Tropas Estelares: Invasores de Marte (2017)

5
(2)

Tropas Estelares: Invasores de Marte
Original:Starship Troopers: Traitor of Mars
Ano:2017•País:EUA, Japão
Direção:Shinji Aramaki, Masaru Matsumoto
Roteiro:Edward Neumeier
Produção:Joseph Chou, Tomi Hashimoto, Max Nishi
Elenco:Casper Van Dien, Dina Meyer, DeRay Davis, Justin Doran, Luci Christian, Emily Neves, Scott Gibbs, Juliet Simmons, Leraldo Anzaldua

Johnny Rico: Você escolheu um bom dia para morrer.

Cinco anos após os confrontos animados de Tropas Estelares: Invasão, uma nova produção foi lançada envolvendo o universo criado por Robert A. Heinlein e adaptado por Edward Neumeier. Trata-se da quinta produção que aborda a guerra contra insetos alienígenas, lançada em 2017, sob o comando de Shinji Aramaki e Masaru Matsumoto. Como elementos que atraem a curiosidade, temos o retorno de Casper Van Dien – no anterior, a voz de Johnny Rico pertencia a David Matranga – e principalmente de Dina Meyer, novamente atuando como Dizzy Flores, mesmo sua personagem tendo morrido em Tropas Estelares (1997). E há, claro, o retorno de Carl Jenkins (voz de Justin Doran) e Carmen Ibanez (Luci Christian), mas sem a atuação de Neil Patrick Harris e Denise Richards.

Starship Troopers: Traitor of Mars tem o subtítulo original referindo-se a Jenkins, apontado pela marechal do céu Amy Snapp (Emily Neves) como responsável pela invasão dos insetos ao planeta Marte. Devido aos acontecimentos do filme anterior, Rico foi rebaixado ao posto de coronel e comanda um grupo de soldados na realização de simulações de confrontos com os inimigos alienígenas. Atrapalhados e sempre falhando nos treinamentos, eles são obrigados a entrar em um combate real quando Marte, até então alheio à guerra, sofre uma invasão de milhares de insetos, numa ação planejada por Amy para crescer sua popularidade política. Marte já estava em comemoração dos dez anos do Dia do Ar, data em que o planeta vermelho se tornou habitável e humanos ocuparam o ambiente amistoso e vulnerável.

Enquanto o sensitivo Jenkins é mantido em cárcere e pede ajuda telepaticamente de Ibanez para ir a Marte, Amy planeja utilizar uma Q-Bomb (arma mencionada no terceiro filme) para destruir o planeta. Sem saber de seus intentos, Rico desce ao local para confrontar as criaturas numa luta desigual, sendo dado como morto numa tentativa de evasão. Ele é acordado por uma visão de Dizzy, a partir de um esforço psicológico de Jenkins para motivá-lo a não desistir. Solitário nas terras vermelha e tendo insetos em seu encalço, cabe a Rico buscar um meio de chegar a uma instalação planetária em uma torre, desativar a bomba e encontrar meios de salvar o planeta, contando com o apoio de seu esquadrão, além de Ibanez e Jenkins.

Com uma qualidade técnica impecável – e efeitos impressionantes de animação na movimentação das criaturas agressivas -, Tropas Estelares: Invasores de Marte é um ótimo acréscimo à franquia, mantendo a fidelidade dos acontecimentos e sabendo explorar seus personagens clássicos. Para quem é fã da série, além de batalhas sangrentas e luta pela sobrevivência e heroísmo, destacam-se também os clássicos anúncios da Fed-Net, servindo para situar o espectador dos acontecimentos sempre com aquela frase que virou marca de Tropas Estelares: “Você quer saber mais?“, na narração de Andrew Love. O roteiro de Neumeier traz dinamismo à animação, com sequências de confrontos eletrizantes, e o adequado protagonismo de Johnny Rico, como referência na franquia.

Com produção executiva de Casper Van Dien, Neumeier e Eiichi Kamagata, vale a pena acompanhar os treinamentos e a trajetória militar, repleta de percalços, numa empolgante aventura de ficção científica e terror. Se tiver oportunidade, queira saber mais!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.