4.5
(8)

Uma Noite de Pavor
Original:Fright
Ano:1971•País:UK
Direção:Peter Collinson
Roteiro:Tudor Gates
Produção:Harry Fine, Michael Style
Elenco:Susan George, Honor Blackman, Ian Bannen, John Gregson

Se, assim como eu, você também tinha o costume de vasculhar as prateleiras da seção de terror da locadora mais próxima da sua casa, muito provavelmente já pode ter se deparado com o VHS de Uma Noite de Pavor, um filme de suspense do início da década de 70 que não é muito lembrado, mas que vale a pena ser assistido por alguns motivos que irei mencionar a seguir.

Dirigido por Peter Collinson – um diretor não muito conhecido no mundo do horror – e protagonizado por Susan George – uma atriz britânica famosa por sua performance ao lado de Dustin Hoffman no thriller psicológico Sob o Domínio do Medo (1971) –, o filme é até hoje considerado um dos primeiros a ter como trama central uma babá perseguida por um assassino psicopata.

Amanda (Susan George) é uma estudante universitária que também trabalha como babá. Certa noite, foi contratada por Helen (Honor Blackman) e Jim (George Cole) para cuidar de sua filha Tara (Tara Collinson) enquanto os dois saem para um jantar comemorativo. Já nas primeiras cenas, enquanto Amanda conhece a criança e a casa da família, fica evidente que o casal esconde um segredo, algo que parece incomodar principalmente Helen.

Se não quiser saber uma revelação importante do filme, não leia o próximo parágrafo!

Já sozinha com o garoto, a babá começa a perceber que alguém está rondando a casa. Seria Brian Lloyd (Ian Bannen), o ex-marido de Helen que fugiu de uma instituição psiquiátrica, na qual foi institucionalizado após tentar matar a ex-mulher. Se formos dividir o longa em duas partes, podemos dizer que a primeira metade seria um slasher, com um assassino tentando invadir a casa para matar a babá. Já a segunda poderia ser classificada como um filme policial, centrado no resgate da babá e da criança, reféns do psicopata, enquanto a polícia cerca a casa.

Fim dos spoilers

Uma babá indefesa, uma casa isolada, um namorado tarado, um assassino fugitivo, enfim, praticamente todos os elementos que compõem uma velha e conhecida fórmula que já fora repetida exaustivamente em diversos filmes do gênero. Inclusive, aqui temos até nosso próprio Dr. Loomis, ou melhor Dr. Cordell (John Gregson). Mas devemos lembrar que essa película foi lançada em 1971, ou seja, sete anos antes de Michael Myers tocar o terror em Haddonfield no clássico Halloween – A Noite do Terror (1978), Brian já apavorava a noite de Amanda.

E por falar Amanda, a atriz Susan George disse em entrevista que não precisou fazer audição para conseguir o papel de protagonista, tendo sido convidada pelo próprio diretor para participar do filme. Como curiosidade, também contou que seu trabalho em Uma Noite de Pavor serviu como preparação para Sob O Domínio do Medo, filmado no mesmo ano e até hoje considerado o maior sucesso de sua carreira. A atuação de Susan como a atraente babá Amanda é divertida e competente. Seria Susan George uma scream queen subestimada?

Com apenas duas mortes sem graça, um título genérico – com uma versão brasileira pior ainda – e um desfecho sem grandes surpresas, Uma Noite de Pavor pode ser considerado bastante irregular, até mesmo descartável, mas ao mesmo tempo merece ser conferido pela sua importância histórica, tendo sido um dos precursores, para não dizer o primeiro, dos filmes sobre babás e invasão domiciliar, dois importantes subgêneros do cinema de horror que rendem novas produções até os dias de hoje.

Uma Noite de Pavor atualmente não está disponível em nenhum serviço de streaming no Brasil, mas há algum tempo foi lançado em DVD na coleção Obras-Primas do Terror: Psicopatas da Versátil Home Video.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.5 / 5. Número de votos: 8

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

1 comentário

  1. Aliás já estou vendo as coleções da Versatil com outros olhos .. Muita coisa ruim e sem relevância . Sempre tem bombas nas caixinhas …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *