O Herdeiro do Diabo (2014)

Filme estreia no Brasil no próximo dia 24.

O Herdeiro do Diabo
Original:Devil's Due
Ano:2014•País:EUA
Direção:Matt Bettinelli-Olpin, Tyler Gillett
Roteiro:Lindsay Devlin
Produção:John Davis
Elenco:Allison Miller, Zach Gilford, Sam Anderson, Roger Payano, Vanessa Ray, Bill Martin Williams, Geraldine Singer, Julia Denton, Colin Walker, Madison Wolfe, Joshua Shane Brooks, Aimee Carrero

O “herdeiro do diabo” não é tão feio quanto pintaram por aí, mas é bastante inofensivo. Funcionando moderadamente como horror, O Herdeiro do Diabo segue a história de um jovem casal, Samantha e Zach McCall (Allison Miller e Zach Gilford) que estão muito felizes com o casamento que acaba de acontecer. Em sua lua-de-mel pela Republica Dominicana, o casal é convidado por um taxista (Roger Payano) para uma festa obscura nos subúrbios da cidade. Após muita bebedeira e uma ressaca para ambos, o casal volta da viagem com uma inesperada surpresa: Samantha está grávida. A felicidade toma conta do casal, com Zach gravando cada momento da gravidez com sua câmera caseira. No entanto, mudanças muito estranhas no comportamento de Samantha podem revelar algo muito mais sério do que problemas comuns da gravidez.

Beneficiado por um uso inteligente do recurso da câmera na mão, os cineastas Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett se mantêm fieis à lógica proposta pelo longa quase integralmente, e encontram maneiras muito orgânicas de acompanharem a sina dos protagonistas através de imagens de câmeras que vão além daquela que o personagem Zach utiliza, com destaque para a cena que se passa no interior de um supermercado e faz uso do sistema de câmeras de segurança do local para mostrar uma das mudanças no comportamento de Samantha. Da mesma forma, o recurso também serve para criar um sentimento de empatia muito eficiente para com o casal protagonista, através de um primeiro ato destinado a mostrar situações triviais daqueles personagens, algo que não se torna cansativo, mas acaba fazendo com que nos importemos com aquelas pessoas.

O Herdeiro do Diabo (2014) (2)

Porém, se os diretores e a roteirista estreante Lindsay Devlin acertam no formato já saturado por cinesséries como Atividade Paranormal e derivados, o longa possui os mesmos defeitos dos filmes de horror lançados atualmente, como os inúmeros sustos falsos, a maior parte deles baseada no volume estridente da trilha para causar pulos da poltrona do cinema. Além disso, a trama se mostra formulaica e óbvia, previsível desde a mudança de comportamento da mulher, que passa a comer carne, sendo anteriormente vegetariana, até a repentina troca do médico obstetra que cuida da gravidez de Samantha, algo que remete ao clássico O Bebê de Rosemary. Além disso, os diretores criam uma cena gratuita, onde Samantha está na floresta fazendo uma refeição pouco apetitosa, apenas para mostrar efeitos visuais bacaninhas onde pessoas saem voando, algo que eles parecem gostar, a julgar pelo segmento dirigido por eles na antologia V/H/S. Pontualmente a trama ainda conta com furos pontuais de lógica (por exemplo, como ninguém nota a movimentação na casa vizinha?) e foge, ainda que raramente, do formato proposto, momentos que podem acabar jogando o espectador para fora do filme. Criando ainda um mistério com certo nível de tensão, mas acabando por um final apressado e um gancho óbvio para uma continuação, O Herdeiro do Diabo fica no meio do caminho, mas é capaz de oferecer um bom entretenimento para os menos exigentes.

Leia também:

Marcus Augusto Lamim

Marcus Augusto Lamim

Um seguidor fiel do cinema em todos seus formatos e gêneros, amante de rock e do gênero fantástico, roteirista amador e graduando em química. Contato: marcuslamim@bocadoinferno.com.br

4 comentários em “O Herdeiro do Diabo (2014)

  • 18/08/2014 em 11:53
    Permalink

    Fui assistir no cinema por recomendação de uma amiga e achei péssimo, fiquei com sono em várias partes, achei extremamente genérico e com sustos previsíveis, nada especial, não valeu o ingresso, infelizmente 🙁

    Resposta
  • 06/03/2014 em 09:44
    Permalink

    Eu discordo do autor do texto quanto ao uso inteligente da câmera, do domínio do found footage e da cena no interior do supermercado. Acredito que a proposta desse gênero seja mostrar o conteúdo de uma fita (ou HD, como queiram) abandonada ou perdida. Os diretores usam cenas na delegacia antes e depois do conteúdo do que seria a fita original, as cenas no interior da casa tem várias sequencias de cortes para mostrar ângulos diferentes e por que diabos alguém pegou a fita das câmeras de segurança do supermercado e editou junto às imagens da filmadora do casal? O que dizer então das cenas filmadas pelos adolescentes no parque? Tudo isso quebra totalmente o clima de realidade e faz este filme ser, na minha opinião, o pior filme já lançado deste gênero.

    Resposta
    • 07/03/2014 em 12:13
      Permalink

      Concordo plenamente. Não teve nada de inteligente nesse filme. Do início ao fim foi um clichê só e além de momentos completamente injustificáveis pra se usar uma câmera, o filme nos leva a um final podre que me fez querer pegar meu dinheiro de volta e queimar num ritual satânico pra ter o diabo que no filme não teve…

      Resposta
  • 28/02/2014 em 14:33
    Permalink

    vou assistir mesmo assim.nem que seja pra falar mal.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien