Isolados (2014)

Isolados (2014)

Isolados
Original:Isolados
Ano:2014•País:Brasil
Direção:Tomas Portella
Roteiro:Tomas Portella, Mariana Vielmond
Produção:Valerio Cosimo, Angelo Salvetti
Elenco:Juliana Alves, Regiane Alves, Bruno Gagliasso, Silvio Guindane, José Wilker

Hoje tive a oportunidade de ir conferir o thriller nacional Isolados. Anunciado há muito tempo, e funcionando também como uma homenagem póstuma ao falecido ator e diretor José Wilker, o longa acompanha a jornada do casal Lauro (Gagliasso) e Renata (Alves). Ele, um médico psiquiatra, acredita que uma viagem para a região serrana do Rio de Janeiro pode servir como alívio aos problemas psicológicos da namorada. Ela, visivelmente perturbada e apática, parece acomodada com qualquer situação que o namorado controlador forneça. Chegando lá, porém, Lauro é avisado por um dono de bar que ataques brutais na mata da região estão ocorrendo, mas Lauro prefere omitir a informação de Renata, temendo que seu estado emocional piore ainda mais, já que esta é facilmente impressionável.

A trama, embora batida e, alguns dirão, nada atraente, se salva primeiramente porque é um esforço quase pioneiro no cinema nacional, e se aqui e ali o diretor e roteirista Tomas Portella (ao lado da também roteirista Mariana de Vielmond) pesa a mão em situações que já vimos em diversos exemplares americanos e peca ao incluir diálogos pobres (o longa funciona muito melhor quando não há falas); por outro lado a equipe técnica de Isolados trabalha em conjunto para construir um ambiente de crescente claustrofobia e angústia, ressaltando o próprio título da obra e a situação desesperadora na qual os protagonistas passam a se encontrar, com destaque para a fotografia sombria e quase desprovida de cores quentes de Gustavo Hadba (Turistas) e o excepcional trabalho de maquiagem de Martín Trujillo (Tropa de Elite 2), que desempenham papel fundamental na compreensão da mudança que ocorre da trama e o seu desfecho.

Isolados (2014)

Utilizando os clichês do gênero algumas vezes com efeitos artificiais (os sustos falsos baseados no aumento súbito da trilha são os principais e os que mais irritam) e criando uma estrutura fragmentada por flashbacks no primeiro ato da trama, o filme perde força, mas recupera toda sua atmosfera de mistério e tensão em seus momentos finais, onde as atuações seguras de Gagliasso e Alves, aliadas a um desfecho que não é tolo como a maioria dos plot twists estadunidenses, funciona bem e é coerente e honesto com toda a história que vinha apresentando até então. No final, posso afirmar que o público menos acostumado às convenções do gênero deve curtir muito Isolados pela novidade, e aqueles mais escolados no suspense devem enxergar uma inovação do cinema nacional ao mesmo tempo em que se divertem e se arrepiam com o enredo.

No entanto, o que mais me deixou chateado foram os discursos de preconceito em relação ao filme simplesmente por ele ser… brasileiro. E a sessão vazia (3 pessoas) na qual me encontrava com certeza foi reflexo disso. Uma pena.

Leia também:

Marcus Augusto Lamim

Marcus Augusto Lamim

Um seguidor fiel do cinema em todos seus formatos e gêneros, amante de rock e do gênero fantástico, roteirista amador e graduando em química. Contato: marcuslamim@bocadoinferno.com.br

10 comentários em “Isolados (2014)

  • 03/07/2015 em 20:07
    Permalink

    AVISO: CONTÉM SPOILER!
    Gente desculpa estar postando spoilers, é a minha primeira vez aqui, então não sei se tem regras ou não… Achei o site pq assisti o filme, mas devido a minha sky falhar varias vezes durante o filme, não consegui entender perfeitamente o desfecho, ai dei um google e acabei parando aqui… Os assassinos eram os irmãos que foram pegos, e o Lauro enlouqueceu depois da morte da namorada, ou o próprio Lauro é o assassino ? Será q alguem pode me ajudar rsrsrsrs obrigada… Me desculpem pelo spoiler

    Resposta
    • Silvana Perez
      06/07/2015 em 09:11
      Permalink

      Suelen, pode comentar com spoilers sim, sem problemas. É só avisar antes, como vc fez 🙂
      Sobre Isolados, [SPOILERS!!] os assassinos matam a namorada e o Lauro fica louco. Ele não é o assassino.

      Resposta
  • 19/10/2014 em 13:36
    Permalink

    Faltou uma marketing, se o filme fosse lançado nos EUA seria ” Baseado numa história real”. A provável inspiração (cuidado, não deixa de ser um SPOILER):

    Os irmãos Oliveira, Ibrahin, nascido em 1976, e Henrique, nascido em 1974, em Nova Friburgo, Rio de Janeiro, conhecidos como “irmãos necrófilos” eles tornaram-se assassinos procurados em 1996 acusados pelo assassinato de nove pessoas na região serrana do Estado, desde 1995. Os cadáveres de sete das vítimas foram violados sexualmente, segundo a perícia. A Polícia Militar cercou os irmãos Ibrahin e Henrique de Oliveira, no alto da montanha dos Pinéis, em Riograndina, distrito de Nova Friburgo (a 130 km da capital Rio de Janeiro.A caçada aos supostos “irmãos necrófilos” mobilizou cerca de 250 policiais e pelo menos cem aventureiros estimulados pela recompensa de R$ 5 mil prometida pela Prefeitura de Nova Friburgo.O cerco na montanha dos Pinéis foi montado porque um dos irmãos teria sido visto no local por pessoas que estavam no sítio do comerciante Hélio da Fonseca.Alertados, os homens do Bope subiram a montanha correndo, enquanto cerca de 20 lavradores da região se posicionaram com carabinas, revólveres e facões nas trilhas de descida, impedindo a fuga. A montanha dos Pinéis é coberta por florestas. Seus acessos são quase todos de pedra lisa. Ela tem cerca de 300 metros de altura. A subida principal é pelo lugarejo Janela das Andorinhas, próximo à divisa entre Nova Friburgo e o município de Sumidouro.Um dos irmãos possivelmente Ibrahin, que é mais baixo e forte já havia sido visto na região por homens do Bope, do 11º BPM (Batalhão de Polícia Militar), em Nova Friburgo, e por moradores da região. Ibraim foi morto por um policial, que o encontrara na floresta. O irmão fugiu. Foi preso meses depois. Acusado de praticar necrofilia (sexo com cadáveres) e de matar oito pessoas, o lavrador Henrique Oliveira foi condenado a 34 anos de prisão pelo Tribunal do Júri de Nova Friburgo. Os sete jurados consideraram Henrique culpado da acusação de ter matado, na cidade, em janeiro de 1995, o vigia João Carlos Maria da Rocha. Oliveira também foi considerado culpado da acusação de, na mesma ocasião, ter estuprado Elizeth Ferreira Lima, principal testemunha do caso. Rocha e Elizeth namoravam perto de um riacho quando foram atacados pelos irmãos Henrique e Ibraim Oliveira. Elizeth sobreviveu porque se fingiu de morta. No período entre 1995 e 96, os irmãos assassinaram, segundo a polícia, seis mulheres, uma criança e o vigia. Depois de mortas, as mulheres eram violentadas e esquartejadas, segundo os laudos do Instituto Médico Legal. No julgamento, Oliveira disse que apenas teria visto o irmão cometer os assassinatos

    Resposta
  • 19/10/2014 em 13:36
    Permalink

    Faltou uma marketing, se o filme fosse lançado nos EUA seria ” Baseado numa história real”. A provável inspiração (cuidado, não deixa de ser um SPOILER):

    Os irmãos Oliveira, Ibrahin, nascido em 1976, e Henrique, nascido em 1974, em Nova Friburgo, Rio de Janeiro, conhecidos como “irmãos necrófilos” eles tornaram-se assassinos procurados em 1996 acusados pelo assassinato de nove pessoas na região serrana do Estado, desde 1995. Os cadáveres de sete das vítimas foram violados sexualmente, segundo a perícia. A Polícia Militar cercou os irmãos Ibrahin e Henrique de Oliveira, no alto da montanha dos Pinéis, em Riograndina, distrito de Nova Friburgo (a 130 km da capital Rio de Janeiro.A caçada aos supostos “irmãos necrófilos” mobilizou cerca de 250 policiais e pelo menos cem aventureiros estimulados pela recompensa de R$ 5 mil prometida pela Prefeitura de Nova Friburgo.O cerco na montanha dos Pinéis foi montado porque um dos irmãos teria sido visto no local por pessoas que estavam no sítio do comerciante Hélio da Fonseca.Alertados, os homens do Bope subiram a montanha correndo, enquanto cerca de 20 lavradores da região se posicionaram com carabinas, revólveres e facões nas trilhas de descida, impedindo a fuga. A montanha dos Pinéis é coberta por florestas. Seus acessos são quase todos de pedra lisa. Ela tem cerca de 300 metros de altura. A subida principal é pelo lugarejo Janela das Andorinhas, próximo à divisa entre Nova Friburgo e o município de Sumidouro.Um dos irmãos possivelmente Ibrahin, que é mais baixo e forte já havia sido visto na região por homens do Bope, do 11º BPM (Batalhão de Polícia Militar), em Nova Friburgo, e por moradores da região. Ibraim foi morto por um policial, que o encontrara na floresta. O irmão fugiu. Foi preso meses depois. Acusado de praticar necrofilia (sexo com cadáveres) e de matar oito pessoas, o lavrador Henrique Oliveira foi condenado a 34 anos de prisão pelo Tribunal do Júri de Nova Friburgo. Os sete jurados consideraram Henrique culpado da acusação de ter matado, na cidade, em janeiro de 1995, o vigia João Carlos Maria da Rocha. Oliveira também foi considerado culpado da acusação de, na mesma ocasião, ter estuprado Elizeth Ferreira Lima, principal testemunha do caso. Rocha e Elizeth namoravam perto de um riacho quando foram atacados pelos irmãos Henrique e Ibraim Oliveira. Elizeth sobreviveu porque se fingiu de morta. No período entre 1995 e 96, os irmãos assassinaram, segundo a polícia, seis mulheres, uma criança e o vigia. Depois de mortas, as mulheres eram violentadas e esquartejadas, segundo os laudos do Instituto Médico Legal. No julgamento, Oliveira disse que apenas teria visto o irmão cometer os assassinatos

    Resposta
    • 17/05/2015 em 22:16
      Permalink

      Sabia!
      Quando comecei a ver o filme lembrei logo deste fato! Fiquei procurando o “baseado em fatos reais” e nada! Até a ligação aqui, agora! Muito bem!

      Resposta
  • 08/10/2014 em 16:14
    Permalink

    O filme não é excelente mas soube muito bem adaptar o cinema de horror mainstream americano para o cenário brasileiro. Vale a pena conferir no cinema e contribuir para o cinema de gênero nacional.

    Curti bastante.

    Resposta
  • 06/10/2014 em 22:52
    Permalink

    o filme tem uma ótima fotografia e música , um bom ator e momentos de caustrofobia , só peca por não mostrar os assassinos em confronto com ás vitimas , mas pra ser um filme de suspense -terror brasileiro já é uma vitória..

    Resposta
  • 06/10/2014 em 22:14
    Permalink

    Pois é! Uma desvalorização ao nosso cinema que está tentando sair daquela imagem de comédias cheias de palavrões!!! “Isolados” nem na capital do meu estado entrou em cartaz!!! E olha que são 8 salas!!! 😛 Vergonhoso!!!!

    Resposta
  • 06/10/2014 em 12:54
    Permalink

    Mesmo que os filmes de terror/suspense brasileiros ainda não tenham público, acho que eles precisam continuar a serem produzidos para que as pessoas percebam que filmes brasileiros não são só comédias ou filmes com bandido.

    Resposta
  • 06/10/2014 em 04:22
    Permalink

    Com certeza estou dentro e irei assistir é o cinema brasuca mostrando sua força no gênero terro/suspense.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien