Críticas, Literatura

O Bairro da Cripta – Tomo II – Os Epitáfios (2015)

Mantém a qualidade de As Elegias, levando o leitor a cantos ainda mais sombrios de Tebraria!

O Bairro da Cripta: Os Epitáfios (2015)

O Bairro da Cripta - Tomo II – Os Epitáfios
Original:
Ano:2015•País:Brasil
Páginas:164• Autor:M.R. Terci•Editora: LP-Books

No ano passado, o escritor M. R. Terci lançou, pela editora LP-Books, seu livro de estreia: O Bairro da Cripta – Tomo I – As Elegias. Em vinte e quatro contos, a obra nos apresentou a cidade de Tebraria, no interior de São Paulo, cujo Bairro da Cripta abriga as mais diversas histórias de horror. As Elegias seria só o primeiro de uma pentalogia e, já em 2015, Terci lançou o segundo volume de sua obra: O Bairro da Cripta – Tomo II – Os Epitáfios.

Este segundo volume conta com quinze contos, um pouco menos que seu antecessor. Isso se dá porque, enquanto As Elegias apresentava contos mais breves, Os Epitáfios traz algumas histórias mais longas. A linguagem rebuscada permanece presente, e em alguns contos torna-se mais poética.

O maior destaque de Os Epitáfios é o conto O Salão Comunal. Aqui, o autor acompanha dois ladrões de sepulturas em diferentes períodos: o primeiro deles, Caligari, conta suas experiências através das páginas de seu diário, datado de 1950; o segundo, Cesare, se aventura pela mesma cripta dez anos depois, em 1960, usando o diário de Caligari como guia, bem como mapas que o saqueador lhe deu. Além de ser o primeiro conto em que Terci intercala períodos diferentes, em O Salão Comunal o autor aprofunda a mitologia que permeia suas histórias, apresentando criaturas assustadoras que habitam o famoso cemitério do Bairro da Cripta. Essa mitologia deve ser ampliada ainda mais nos próximos volumes da série.

Vale destacar também o conto Os Poetas, que explica como se originou o nome do bairro, e O Relógio Cappadocci, ligado diretamente aO Salão Comunal. Esta interligação entre contos, aliás, está presente na maior parte das histórias, assim como aconteceu em As Elegias.

O Bairro da Cripta – Tomo II – Os Epitáfios mantém a qualidade de As Elegias, levando o leitor a cantos ainda mais sombrios de Tebraria. Desta vez, também somos servidos com criaturas monstruosas, sangue e mistério, mas M.R. Terci mostra que o Bairro da Cripta vai muito além disso. Ao fim de Os Epitáfios, nos sentimos terminando uma viagem vertiginosa – e mal podemos esperar pela próxima partida.

Leia também:

7 Comentários

  1. felipe

    Segundo volume do Bairro da Cripta, e estou cada vez mais viciado nessa jornada. Sempre quis ler algo escrito no Brasil, que fosse bem “gótico, mas ao mesmo tempo brasileiro”. Sou desses que fica revirando site por site atrás de contos sombrios da nossa literatura. Augusto dos Anjos e Álvares de Azevedo são meus favoritos, e encontrar um escritor que trás de volta, essa temática da 2º Geração Romantista, “o mal do século” como dizem, é um achado e tanto. Enfim, muito ansioso para os próximos livros!

  2. Oi Silvana,
    Eu gostei muito do livro e da sua resenha também. Meu preferido foi Coletor de Corações. E não vejo a hora de dar continuidade no Tomo III.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    • Silvana Perez Silvana Perez

      Olá, Kênia! Obrigada! Coletor de Corações é ótimo mesmo. Também estou ansiosa pelo Tomo III 🙂

  3. Anamaria Villaron Xavier

    Adorei esse livro, espetacular, aliás tudo que esse autor escreve é muito bom!
    Parabéns pela matéria, o Boca mandou muito bem!!

    • Silvana Perez Silvana Perez

      Obrigada, Anamaria! 🙂

  4. Receber CINCO CAVEIRAS no Boca do Inferno, a Meca do gênero, o maior e mais completo site brasileiro nos gêneros do Horror, Ficção Científica e Cinema Fantástico em geral, reconhecido por seu constante apoio e divulgação literária e cinematográfica, responsável por incríveis análises críticas, artigos, comentários e entrevistas com diversos profissionais da área, é o tipo de coisa que te faz dormir de conchinha com o livro resenhado.
    A Silvana diz que tenho uma linguagem rebuscada mas, no final do dia, me faltam predicativos para nomear toda essa GENEROSIDADE e APOIO que ela e toda a galera do Boca do Inferno premiam, todos os dias, o escritores, artistas, cineastas e todos os profissionais envolvidos nessa mal-afamada paixão de dar vida aos pesadelos noturnos e paisagens oníricas.
    Folheando o dicionário encontrei o substantivo NOBREZA. No lugar do significado, a palavra tinha essa página impressa na descrição – http://bocadoinferno.com.br/quem-somos/ .
    Então, Silvana Perez e Grande Elenco do Boca do Inferno, por hora, meu MUITO OBRIGADO!
    PS: Em primeira mão… o tomo três do Bairro está prestes a entrar em cena com 385 páginas e 19 contos inéditos.

    • Silvana Perez Silvana Perez

      Obrigada pelas palavras, Marcos! Estamos aguardando o Tomo III 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *