O body horror de Julia Ducournau, TITANE, conquista audiência e crítica!

5
(3)

Em 2016, a diretora Julia Ducournau chocou a audiência com o polêmico RAW, sobre uma estudante de veterinária vegana que adquire um gosto peculiar por carne humana, em uma maneira provocativa de lidar com a maturidade. E parece que a filha de dois médicos conseguiu novamente.

Seu novo filme, TITANE, teve uma passagem pelo prestigiado Festival de Cinema de Cannes em julho. E lá a diretora conquistou a Palma de Ouro, além de uma indicação também ao prêmio Queer. Também venceu o Toronto International Film Festival, na categoria Escolha da Audiência. Sobre o que seria, então, essa produção, que vem já com boas críticas e prêmios?

Talvez a melhor forma seja através do significado da palavra em português:

TITÂNIO: Metal altamente resistente ao calor e à corrosão, com ligas de alta resistência à tração, muito utilizado em próteses médicas devido à sua pronunciada biocompatibilidade.

Como se percebe, e o trailer ajuda a entender isso, trata-se de um body horror, cuja sinopse não diz muito quanto as palavras: Após uma série de crimes inexplicáveis, um pai se reúne com seu filho que está desaparecido há 10 anos.

Estrelado por Agathe Rousselle e Vincent Lindon, Titane ainda aguarda por passagens em diversos festivais, incluindo Sitge, mas deve estrear nos cinemas por aí – nada sobre o Brasil ainda – a partir de 30 de setembro. Vamos aguardar!

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

One thought on “O body horror de Julia Ducournau, TITANE, conquista audiência e crítica!

  • 28/09/2021 em 09:08
    Permalink

    RAW é muito bom. Estou levando fé nesse novo filme da diretora.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.