Vingança Muda (2012)

The Seasoning House (2012)

Vingança Muda
Original:The Seasoning House
Ano:2012•País:UK
Direção:Paul Hyett
Roteiro:Paul Hyett, Conal Palmer, Adrian Rigelsford, Helen Solomon
Produção:Michael Riley
Elenco:Rosie Day, David Lemberg, Amanda Wass, Sean Cronin, Kevin Howarth, Tomi May, Emma Britton, Emily Tucker, Katie Allen, Thomas Worthington, Dominique Provost-Chalkley, Anna Walton, Sean Pertwee

A maldade humana não tem limites! É o que retrata o diretor Paul Hyett em The Seasoning House. Hyett é conhecido por seu trabalho de Makeup FX em filmes conhecidos como: Abismo do Medo 1 e 2, Juízo Final, Eden Lake, Ataque ao Prédio, entre outros. Esse é seu primeiro trabalho como diretor, e vem conquistando prêmios por festivais de gênero pelo mundo afora.

O ambiente do filme se passa em 1996, em um país não identificado, porém, com uma referência ao conflito dos Bálcãs – conflitos separatistas, que envolveram Sérvia, Montenegro, Eslovênia, Croácia, Bósnia-Herzergovina… .A “Casa do Tempero” (tradução ao pé da letra) se refere a um lugar onde meninas são sequestradas e forçadas a servir como escravas sexuais para Militares da região. Neste ambiente, Angel (Rosie Day) tem um papel diferente na casa: a jovem surda-muda é “protegida” pelo ex-militar e dono do local, Viktor (Kevin Howarth), que dá a função a garota de cuidar e “preparar” as meninas da casa. Esse trabalho consiste em limpá-las, drogá-las e maquiá-las. O local é degradante com as garotas sequestradas sendo expostas a todo tipo de violência física, enquanto Angel (nome dado por Viktor) assiste a tudo atônita, sem nada poder fazer – apenas luta para sobreviver em meio a toda maldade ali presente.

As coisas na casa mudam com a chegada de uma garota que sabe a linguagem dos sinais, Arijana (Amanda Wass), que cria um laço emocional com Angel. Mas essa situação dura pouco com a aparição de Goran (Sean Pertwee) e seus homens a casa. Ele foi responsável pela morte da mãe de Angel, e consequentemente pelo seu sequestro. Quando um dos homens de Goran mata com violência Arijana, Angel reage com um violento ataque a facadas ao monstrengo que tem três vezes o seu tamanho. A partir daí começa um jogo de caça ao rato, onde Angel foge por entre as paredes da casa e os militares a perseguem para acertar contas.

The Seasoning House (2012) (2)

Mesmo se auto-intitulando como um thriller de vingança, não é este o destino de Angel – é uma história de sobrevivência – tudo o que ela faz é para salvar a própria pele e não para se vingar. O filme perde ao não explorar a questão da escravidão sexual, foca em Angel, e tenta criar uma subtrama (que não funciona), de lealdade e traição entre Goran e Viktor. O grande mérito do filme está nas cenas com maior violência gráfica. Como eu disse em cima, o Hyett é especialista em Makup Fx, e isso nada deixa a desejar no filme. A fotografia de Adam Etherington é excelente, em tons sépia que refletem diretamente com o ambiente sujo e degradante da casa. As atuações de mais destaque ficam a cargo da jovem Rosie Day e do vilão Sean Pertwee – principalmente na cena final.

The Seasoning House retrata bem a crueldade humana, e o que está ali na tela reflete a realidade – já sabemos que o tráfico de escravas sexuais na Europa é um assunto incômodo e não é devidamente tratado com a seriedade que devia ter. O final, que parecia esperançoso para Angel, representa hoje o que o futuro reserva para essas meninas, se tudo continuar como está.

(Visited 4.223 times, 1 visits today)
Ivo Costa

Ivo Costa

Estudante de Cinema, fez parte do Juri Popular do Cinefantasy em 2011. Além de crítico do Boca do Inferno, atua como diretor e roteirista de curtas-metragens.

6 comentários em “Vingança Muda (2012)

  • 21/08/2014 em 14:12
    Permalink

    Bah, cara. Assisti esse filme ano passado na seção comentada com o diretor, no Fantaspoa. Tenho que discordar contigo sobre o filme abordar fracamente o tema de tráfico sexual. Digo, essa é a tua opinião e eu a respeito. Mas a primeira etapa do filme é total desenvolvida para mostrar esse tráfico, essa exploração. Desde o inicio recebemos o filme como um soco no estômago, redescobrindo as mazelas que acontecem em outros territórios e que esquecemos, tão absorvidos por nossas rotinas. Esse é um filme para, acima de tudo, criarmos esperanças – mesmo que sangrentas – para vítimas de sociedades destruídas.

    Reitero minha opinião com as palavras do diretor ao explicar todo o processo de coleta de dados para a construção do roteiro, quando ele concluiu, com pesar: “por incrível que pareça, nós encontramos lugares muito piores dos que nós mostramos no filme”. Toda a platéia perguntou-se “tem como ficar pior”?

    Resposta
  • 31/03/2014 em 12:30
    Permalink

    O melhor filme q assisti ano passado. Realmente não é vingança, mas sobrevivência estilo Sem Saída (Eden Lake). Filme muito bom com um gore impressionante – há uma cena de uma faca saindo da carne que me deixou chocado tamanho o realismo da mesma. Eu daria 5 caveiras por ser um filme incrível!

    Resposta
  • 29/03/2014 em 18:34
    Permalink

    Pelo jeito , mais um torture porn de peso , me interessei e muito .

    Resposta
    • 30/03/2014 em 19:27
      Permalink

      é bem por aí Lucas,só que tá mas para o drama,não é à toa que esse diretor fez parte da produção de eden lake,filme bem angustiante de se ver,mas muito bom,assim como é esse,assista que vale a pena 🙂

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien