Insônia Mortal (2020)

5
(2)

Insônia Mortal
Original:Sleepless Beauty/Ya ne splyu
Ano:2020•País:Rússia
Direção:Pavel Khvaleev
Roteiro:Aleksandra Khvaleeva
Produção:Frank Ellrich
Elenco:Polina Davydova, Evgeniy Gagarin, Andrey Tereshenko, Sergey Topkov, Veronika Blokhina, Aleksandr Zilberkant, Alevtina Scherbakova

Insônia Mortal conta a história de Mila (Polina Davydova), que um dia ao chegar em casa é sequestrada e levada para um local misterioso comandado por uma organização que se denomina “Recreação”. Ali ela recebe instruções do que precisa fazer através de alto-falantes, além das visitas de um homem misterioso, que parece ser funcionário da corporação e responsável por trazer diversos “testes” e torturas para a garota. Todos os momentos de Mila naquele lugar são controlados por câmeras e espectadores macabros comentam os acontecimentos. O grande desafio, além de tentar escapar e descobrir os motivos de estar ali, é se manter acordada, pré-requisito do experimento-sequestro, que aos poucos vai dominando a mente de Mila através da privação do sono.

A primeira coisa que chama atenção em Insônia Mortal é o idioma. É um filme russo, uma língua que não estamos tão habituados em ver nas telas de cinema, então é sempre válido ter esse tipo de experiência “cultural”.

Desde o início, o filme investe em cenas através de câmeras de segurança, que mostram a visão dos espectadores do experimento e contribuem para o tom de mistério das reais motivações por trás da “Recreação”. E como o cerne de tudo é a privação do sono, levando o cérebro ao limite nesse processo, diversas imagens e animações bem assustadoras e viajadas vão aparecendo conforme a produção se desenrola.

O cenário lembra bastante o famoso banheiro do primeiro Jogos Mortais (2004), o que te faz questionar se os objetivos do experimento não poderiam ser as mesmos. Mas logo na cena de abertura, o filme já traz um super “spoiler” do que vai acontecer. E quando você percebe que realmente é aquela a narrativa que te aguarda as coisas perdem um pouco do brilho. Fica bem óbvio e sem emoção.

As atuações também deixam a desejar. Não sei se foi por algum bloqueio linguístico, mas a falta de expressão facial dos pais de Mila e do policial envolvido em sua busca… meu deus! Por alguns instantes a apatia deles gera suspeitas, como se todos ali estivessem envolvidos. E como a identidade por trás da “Recreação” é um pouco obscura, nem tudo é esclarecido.

Insônia Mortal estreou no dia 17 de junho em diversas plataformas digitais. O filme deixa muito a desejar na condução da narrativa, seguindo um caminho preguiçoso. Mas as imagens de confusão mental e o pequeno suspense arquitetado podem servir de distração para alguns.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Luana Caroline Damião

Graduada em museologia, fã de faroestes e Christopher Lee, deseja que o mundo acabe com um apocalipse zumbi, onde, certamente, será um dos mortos-vivos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.