Críticas

The Eyes of My Mother (2016)

É um daqueles filmes que conseguem traduzir em imagens sentimentos variados, sejam eles de admiração, pena, estranheza ou repulsa!

The Eyes of My Mother
Original:The Eyes of My Mother
Ano:2016•País:EUA
Direção:Nicolas Pesce
Roteiro:Nicolas Pesce
Produção:Max Born, Jacob Wasserman, Schuyler Weiss
Elenco:Kika Magalhães, Will Brill, Flora Diaz, Paul Nazak, Clara Wong, Diana Agostini, Olivia de Bond

Filme obscuro, incômodo, The Eyes Of My Mother, primeiro longa do diretor Nicolas Pesce, que teve sua estreia em Sundance, vem recebendo diversos elogios, e também algumas críticas devido a violência inserida na narrativa, que traduz um comportamento bizarro da solitária protagonista.

Francisca (Olivia Bond) passa os dias na companhia de sua mãe (Diana Agostini), que mostra para a filha suas habilidades cirúrgicas ao remover os olhos dos animais da fazenda. Um pai (Paulo Nazak) distante, que apenas trabalha, chega em casa e assiste TV, praticamente sem interagir com sua esposa e filha. A rotina da família muda, quando a mãe é assassinada em sua casa.

O filme é dividido em três partes: a primeira, “Mother”, Francisca tem que lidar com a morte de sua mãe, apegando-se ao pai e tomando conta e resolvendo de certa forma a situação. A segunda “Father”, mostra Francisca já adulta (Kika Magalhães), lidando com a perda do pai; e a terceira, “Family”, traz a protagonista lutando contra a solidão, tentando construir uma família. Seria uma bonita história de superação, de como lidar com a solidão, porém, essa história vai muito além do que podemos esperar .

Pesce habilmente mantém a maior parte da violência real fora da tela, com efeitos sonoros, cortes sugestivos, mas totalmente pesados, como a cena em que a pequena Francisca esfrega o sangue de um piso de azulejos, fazendo a maior parte do trabalho pesado. O que lentamente emerge é a composição psicológica problemática da Francisca, que teve de crescer após não só uma experiência extremamente traumática, mas também sem qualquer orientação. Isto parece levar a mesma a simplesmente copiar o comportamento dos adultos ao seu redor, incluindo, Charlie (o assassino de sua mãe) e seu pai idoso, cujos métodos de lidar com a morte não são exatamente o que poderia ser descrito como normal.

Há alguns momentos poéticos, envoltos aos lamentos de Amalia Rodrigues, estrela portuguesa (o filme apesar de se passar em uma fazendo isolada nos EUA, mostram uma família com laços de Portugal, onde os personagens falam fluente tanto o inglês e o Português). Sua música reflete, em momentos mais calmos, os sentimentos de Francisca. Entre eles, a cena em que a protagonista entra na banheira com o cadáver de seu pai, enquanto lamenta a solidão após a sua morte.

Tudo condizente também com o momento do abraço maternal, mais tarde no filme, que poderia ter saído diretamente de uma história de Edgar Allan Poe. Minimalista momento do compositor Ariel Loh, em um silêncio sinistro que ajuda a sugerir ainda mais o tom certo em várias cenas-chave. Com pouquíssimos diálogos, uma fotografia em preto e branco, uma ambientação sombria, uma trilha sonora tristíssima, só aguçam o sentimento de solidão da protagonista, e dão o tom mais pesado da trama.

The Eyes of My Mother é um daqueles filmes que conseguem traduzir em imagens sentimentos variados, sejam eles de admiração, pena, estranheza ou repulsa – todos eles podem ser percebidos durante o longa. É um belo trabalho de estreia de um jovem promissor e talentoso diretor.

Leia também:

2 Comentários

  1. Willian Bitencourt

    Ivan
    Não sei se foi impressão minha, mas a Francisca deu continuação ao hábito misógino do pai de trancafiar as pessoas? Repare que no momento em que ele pega o assassino, ele não o mata ou procura a polícia, mas prende.

  2. Eu já tinha visto falarem desse filme um tempo atras no Bloody Disgusting e foi muito elogiado , então me interessei muito por ele e criei uma grande expectativa .
    Então o assisti ontem a tarde , e não é a toa todos os elogios pois esse filme é excelente , e merece a nota máxima e os prêmios de festivais .
    ” The Eyes Of My Mother ” é claro que está na minha coleção !
    Um dos Melhores Filmes de 2016 , altamente recomendado !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *