Críticas, Literatura

Amityville (2016)

Uma literatura essencial para aqueles que querem conhecer o que aconteceu naqueles 28 dias na morada do pesadelo, no 112 da Ocean Avenue!

Amityville
Original:The Amityville Horror: The True Story
Ano:2016•País:EUA
Autor:Jay Anson•Editora: Darkside Books

Quando o assunto são as casas assombradas, uma das maiores referências é, sem dúvida, Amityville. As inúmeras continuações, documentários e versões bastardas fizeram com que boa parte do que realmente aconteceu nunca seja conhecido. Assim, uma boa oportunidade de conhecer a história “real“, contada no longa de 1979 e sua refilmagem em 2005, é através da literatura de Jay Anson.

O escrito americano, autor de duas obras (The Amityville Horror: A True Story, e 666) e falecido em 1980, teve a autorização dos Lutz, George e Kathleen, para narrar, nas páginas lançadas pela Darkside Books, ao seu modo, o que teria acontecido naqueles 28 dias em que resolveram ocupar o número 112 da Ocean Avenue, mesmo consciente de que a morada foi palco de uma chacina orquestrada por Ronald DeFeo, que assassinou os pais (Ronald e Louise) e seus quatro irmãos Dawn, Allison, Mark e John, às 3h15 da noite do dia 13 de novembro de 1974. Encontrado no bar Witches Brew, por volta das 6h30 da manhã, Ronald se defendeu dizendo que ouvira vozes que teriam mandado-o fazer o que fez.

Amityville Darkside (2016) D

Logo no primeiro dia, 18 de dezembro de 1975, quando George e a esposa ainda experimentavam os espaços da morada, o padre Mancuso foi ao local para abençoá-lo, mas se sentiu mal e ainda ouviu uma voz grave obrigando-o a sair da residência – um mal que o acompanhou por muito tempo, levando-o a problemas de saúde. Envolto por um frio intenso, que nem a madeira em excesso na lareira é capaz de abrandar, George se torna alvo das entidades que habitam a casa, assim como a esposa, agindo com agressividade e intolerância, sendo acordado todas as noites às 3h15. As crianças também são afetadas, como a mão que é esmagada pela janela, ou a pequena Missy, que passa a conversar com um amigo imaginário, um porco com olhos vermelhos.

Amityville Darkside (2016)Por mais que o leitor já conheça o desfecho, até mesmo na apresentação da obra que já deixa claro o resultado após os 28 dias, é sempre interessante conhecer o pesadelo vivido pela família, seja nas paredes que vertem gosmas, no som da banda fantasma, no estranho visitante com cervejas, na entidade com um véu branco ou na estranha força sentida no quarto vermelho. É claro que a história é baseada nos acontecimentos – e há quem aponte até hoje que tudo foi uma jogada combinada de marketing -, o que permitiu ao autor inventar episódios e situações, mas não deixa de ser incômodo folhear as páginas que narram o que aterrorizou os Lutz.

Com uma belíssima capa vermelha, como o filtro muitas vezes usado no filme de 1979, o livro da Darkside traz um prefácio do Reverendo John Nicola, imagens da planta da casa (situando o leitor dos acontecimentos) e até mesmo o desenho feito por Missy, retratando o porco imaginário na neve. E a leitura atual permite um diálogo com a cena inicial de Invocação do Mal 2, contando como foi que Ed e Lorraine Warren conheceram Amityville e experimentaram as forças malignas: “Para mim, o que existe aqui, seja lá o que for, é com certeza de natureza negativa. É algo que vem das entranhas da terra.“, disse Lorraine ao relatar o que sentiu.

Uma literatura essencial para aqueles que querem conhecer o que aconteceu naqueles 28 dias na morada do pesadelo, no 112 da Ocean Avenue. Vale muito a pena!

Compre o seu clicando AQUI!

Leia também:

2 Comentários

  1. felipe

    estou louco pra ver esse filme

  2. Rafael Coelho Primo

    Será a minha próxima leitura, estou devendo a mim mesmo essa leitura a anos! O outro livro do Jay Anson “666 – O Limiar do Inferno” eu já li, comprei em um sebo a uns 15 anos atrás, até hoje é um dos melhores livros de terror em que tive contato, bem que a Darkside poderia republica-lo tb. Pena que o Jay Anson só escreveu esses 2 romances.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *