Críticas

A Bruxa de Blair (1999)

Influenciou toda uma geração de falsos-documentários com um terror-psicológico extremamente eficiente e assustador!

A Bruxa de Blair (1999)

A Bruxa de Blair
Original:The Blair Witch Project
Ano:1999•País:EUA
Direção:Daniel Myrick, Eduardo Sánchez
Roteiro:Daniel Myrick, Eduardo Sánchez
Produção:Robin Cowie, Gregg Hale
Elenco:Heather Donahue, Michael C. Williams, Joshua Leonard, Bob Griffin, Jim King, Sandra Sánchez, Ed Swanson, Patricia DeCou, Mark Mason

Os fatos estão aí para mostrar que uma mentira bem contada se torna uma verdade… Pelo menos por algum tempo. Um dos casos que ilustram justamente esse fato vem de quinze anos atrás, ano de lançamento do filme, ou mais precisamente vinte anos, pois em 1994 três jovens estudantes desapareceram após entrarem nas florestas de Burkittsville, antiga Blair, enquanto filmavam um documentário sobre uma lenda local, a Bruxa de Blair, a responsável pela morte e desaparecimento de crianças desde 1785, sendo criada toda uma mitologia em torno da feiticeira Elly Kedward.

Claro, hoje sabe-se que tudo não passou, realmente de um boato para promover a obra, mas na época, com a internet ainda engatinhando, e a criação de um site antes mesmo de o filme ser lançado, levou as plateias a realmente acharem que os jovens haviam desaparecido, e que as filmagens assistidas no cinema fossem reais, algo ao mesmo tempo surpreendente e inovador (hoje o gênero “filmagens encontradas” está mais do que desgastado). Mesmo não sendo um fã do subgênero, devo tirar o chapéu para a ideia dos jovens cineastas Eduardo Sanchez e Daniel Myrick, que criaram com detalhes (que você pode conferir no site original http://blairwitch.com), toda a base para a lenda, desde a expulsão da suposta bruxa do vilarejo de Blair até a reconstrução da cidade com o nome de Burkittsville (cidade que realmente existe no estado de Maryland) e casuais desaparecimentos e assassinatos, sempre relacionados à Bruxa, ou a sua influência exercida em humanos.

A Bruxa de Blair (1999) (3)

Dessa maneira, Sanchez e Myrick criaram a motivação não só para o público embarcar no projeto, mas também para os três estudantes-atores, que a princípio, realmente acreditavam não na lenda, mas em estarem investindo num documentário real (os jovens dormiam na floresta de verdade, tinham pouca comida, levaram sustos reais – arranjados pela equipe de produção, as falas foram todas improvisadas, etc.), criando uma forma de cinema realista como nunca vista antes.

Mas, e o filme?

A Bruxa de Blair (1999) (4)

Mesmo se desconsiderarmos a época e o impacto daquele momento, o filme continua com seus méritos ao contar a história de três estudantes da faculdade Montgomery, que decidem, sob a liderança de Heather (Donahue), partir para a floresta para filmar um documentário sobre uma lenda local. Chegando lá, porém, os jovens passam por apuros conforme os dias e, sobretudo, as noites vão passando, lidando não somente com o frio e a fome, mas com uma sinistra presença que se mostra cada noite mais ameaçadora.

O filme é hábil ao construir uma atmosfera de tensão palpável conforme as noites passam e as ameaças de uma força invisível se tornam cada vez mais presentes –  e tudo é feito de uma maneira muito sutil, e mesmo quando os diálogos entre os jovens são prosaicos, com brincadeiras e brigas, tudo é bastante verossímil e real. Gosto particularmente de uma cena onde Heather desaba ao cair em lágrimas após discussão com Josh, deixando claro que chegou ao seu limite naquela situação.
E o desfecho, parte mais criticada pelos fãs (e por outro lado, elogiada pela maioria da critica), se mostra corajoso pela sua ambiguidade, afinal, quebra nossas expectativas e nos apresenta…

A Bruxa de Blair (1999) (1)

(SPOILERS ABAIXO):

…um vilão sem rosto, que tanto pode ser humano como sobrenatural, o que o torna ainda mais assustador, pois nossa imaginação pode inventar as coisas mais bizarras que poderiam ter acontecido com os jovens naquele contexto, já que nada fica claro. E nisso o filme é inteligentíssimo, restando aos espectadores fazerem seu julgamento. O impacto pode não ser o mesmo hoje, mas o sentimento ao final continua o mesmo.

Curiosidades:

O filme custou inicialmente 22.000 dólares (e após “melhorias” 60.000 dólares) e rendeu no mundo inteiro, segundo dados do site Box Office Mojo, a quantia de US$ 248.639.099 (quase 250 milhões), permanecendo até hoje como o filme que mais arrecadou tendo como base a relação orçamento/renda.

Leia também:

20 Comentários

  1. Fiquei apavorado quando assisti na época

  2. Vitor Marcelo

    cara! as pessoas não devem subestimar esse filme, na minha opinião é um dos filmes mais geniais já feitos , é um filme barato mas que com muita inteligencia e criatividade na montagem e na mitologia rica acaba sendo luxuoso!! quantos filmes de terror tem um bom resultado sendo baratos sem mostrar efeitos especiais,monstros e sangue? esse conseguiu, e eu nem falei sobre a campanha de marketing vendendo o filme como falso documentário, pois quando assisti já sabia que se tratava de um filme de ficção . sem duvida é meu filme de terror favorito!

  3. Goreah ofda

    Recomendo a todawd pessoas que não tem para fazer e quer ver bobagem

  4. Paulinha

    Uma porcaria….filme tedioso perdi meu precioso tempo!

  5. Calígula

    Oi,
    eu sou daqueles que gostaram, e muito, deste filme, realmente é perturbador! Parabéns pelo post, para mim este está entre os dez melhores filmes de terror que assisti.

  6. Edson

    Muito fraco ,quem nao viu nao ta perdendo nada

    • vai estar perdendo ~só~ um dos filmes mais influentes, se não O filme mais influente, dos últimos vinte anos.

      • Paulinha

        E mais chato também!

    • Paulinha

      Concordo com vc…não perde nada msm. Filme lixo!

  7. Augusto Sales

    Encerrou com chave de ouro os filmes de terror do século vinte.

    http://gatosmucky.blogspot.com.br/2013/03/the-blair-witch-project.html

  8. MORCEGO

    Assisti há alguns anos, e, posso dizer… FILME ASSUSTADOR DO FINAL DO MILÊNIO!!!!!!!!!!! Assisti o filme todo e depois, o documentário sobre a Bruxa, o que me deixou sem dormir durante muuuito tempo!!!!!!!!!
    Um filme genial!!!!!!!!! Ao lado de CANNIBAL HOLOCAUST, o melhor Found Footage do Cinema!!!!!!!!!
    UM DOS FILMES MAIS ASSUSTADORES DE TODOS OS TEMPOS!!!!!!!!!!!
    UM CLÁSSICO MODERNO!!!!!!!!!!!!

  9. Filmaço! Está entre os meus favoritos do gênero. Revi recentemente em DVD e ainda continua tenso. Muito bem construído, A Bruxa de Blair mostrou que um filme não precisa seguir fórmulas prontas pra levar multidões ao cinema.

  10. Daniel Castro

    Assisti recentemente após mais de 12 anos depois de ter visto pela primeira vez, e continuo com a mesma opinião. Acho este “A Bruxa de Blair” simplesmente um dos piores filmes do gênero found footage, embora tenha sido o pontapé inicial para a retomada do gênero, lá pelo início dos anos 2000. Uma “caveira” apenas, seria minha nota para este fraco e superestimado filme de terror, que possivelmente vem se perpetuando na mente dos aficionados pelo gênero apenas pelo status ou marketing, e não pelas qualidades da obra. Embora seja considerado um clássico e até figure na lista de 1001 filmes para ver antes de morrer, essa é minha opinião acerca desta singular película. Em suma, eu poderia morrer sem tê-la visto.

    • Antonio

      Obviamente, é sua opinião, e deve ser terminantemente respeitada.

    • Tenho a mesma opinião que você , mais acho que você perdeu seu tempo em assistir a essa propaganda enganosa novamente mesmo tendo odiado esse filme que nem eu !

      • Tu é um rapaz muito cheio de ódio! Isso faz mal pro coração! Queria ver um comentário positivo sobre algum filme que tenha gostado. Tem? 😀

    • Hierofante1970

      Faço sua escrita a minha sem mudar uma virgula se quer, filminho mequetrefe superestimado.

    • alan

      vou ter q concordar com o @daniel nessa… só vi agora, em 2014 tb… nunca tinha visto antes.
      Não gostei tanto tbm.. não é um filme ruim… aliás, ultimamente só se lança filmes ruins do gênero de terror (e gosto do gênero found footage…virou clichê? Dane-se! kkk ainda gosto)

      mas , no q tange ao B de B eu achei muito sem sal…talvez por ser um dos primeiros do gênero… não sei…

      TALVEZ o efeito fosse diferente caso eu tivesse visto mais novo/antes da moda…mas vai saber… 🙂

    • Mk

      Concordo contigo camarada, eu assisti recentemente depois de anos ouvindo falar desse filme, e me arrependi amargamente.Respeito quem gosta, mas eu acho bem lixoso.

  11. Eduardo Farias

    Obra-prima divisora de águas, apenas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *