Críticas

Avenida do Terror, 388 (2011)

Apesar do marketing utilizando o nome de Vincenzo Natali para vender o filme, temos apenas mais um exemplo mediano desse sub-gênero!

Avenida do Terror (2011)

Avenida do Terror 388
Original:388 Arletta Avenue
Ano:2011•País:Canadá
Direção:Randall Cole
Roteiro:Randall Cole
Produção:Steven Hoban, Mark Smith
Elenco:Nick Stahl, Mia Kirshner, Devon Sawa, Aaron Abrams, Charlotte Sullivan, Krista Bridges, Gerry Dee, Kyle Labine, Daniel Lévesque

Lançado em DVD no Brasil pela Califórnia Filmes, é um filme canadense situado dentro do sub-gênero found footage, com produção executiva de Vincenzo Natali, mais conhecido por dirigir Cubo (1997) e Splice – A Nova Espécie (2009).

Um casal comum, formado por James (Nick Stahl) e Amy (Mia Kirshner), mora na Arletta Avenue (do título original). Eles não sabem, mas são observados constantemente através de diversas câmeras estrategicamente posicionadas, por alguém sinistro e com intenções hostis. Depois que Amy dasaparece misteriosamente, e não tendo êxito em contar com o auxílio da polícia incompetente, o marido James decide fazer uma investigação própria.

O found footage foi muito bem utilizado no italiano Cannibal Holocaust (1980), de Ruggero Deodato, e redescoberto em 1999 com A Bruxa de Blair. Desde então, tornou-se um estilo bastante explorado no cinema de horror, e que de certa forma já está saturado, substituindo a originalidade e interesse iniciais por um grande clichê repetitivo.

E, aqui, apesar do marketing utilizando o nome do canadense Vincenzo Natali para vender o filme, temos apenas mais um exemplo mediano desse sub-gênero, flertando mais com o suspense e menos com o horror, apesar do desfecho pessimista.

Leia também:

2 Comentários

  1. Roger

    Copiaram o pôster do Atividade Paranormal na maior “cara dura”.

  2. Não sei porque ainda insistem nisso .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *