De curta para longa: o que esperar de Lights Out?

0
(0)

Três minutos de puro medo. Assim foi definido o curta Lights Out (2013) por fãs do gênero. Circulando por festivais e sendo compartilhado na internet, o filme fez bastante sucesso. Tanto barulho positivo em torno da produção agora está acompanhado de um certo temor por parte dos fãs. Para alegria de alguns e tristeza de outros, Lights Out vai virar longa e o trailer desta “versão estendida” já está circulando e deixou os fãs bastante divididos.

Lights Out (2013)

Para quem não lembra ou não assistiu, Lights Out mostra uma mulher, interpretada por Lotta Losten, caminhando para o quarto. Ao apagar a luz do corredor, ela percebe uma estranha sombra que parece se aproximar sempre que a luz está apagada. Sem diálogos ou grandes sequências, Lights Out fez sucesso por trabalhar com uma ideia simples que é o medo do escuro e uma boa montagem. Por ser um curta, não existe a necessidade de explicar o motivo do que é mostrado.

O trailer do longa, que no Brasil recebeu o título de Quando as Luzes se Apagam, parece seguir um caminho bastante parecido com o do curta, porém com uma pegada de investigação para solucionar o mistério. Além do trailer ter trazido esta leitura inicial, alguns pontos também estão sendo debatidos por fãs. Em primeiro lugar o fato da direção ser de David Sandberg, que foi o roteirista e diretor do curta original. Esta parece ser uma questão positiva. Outro ponto de debate é referente ao longa ser produzido por James Wan.

Lights Out (2013)

Responsável por Sobrenatural 1 e 2 e por Invocação do Mal 1 e 2, Wan é um nome bastante querido entre os fãs. No entanto, seus filmes parecem repetidos esteticamente e isso inclusive é percebido no trailer de Quando as Luzes se Apagam. A questão estética aqui pode ser compreendida através da montagem, iluminação, edição de som, fotografia, entre outros pontos. Seguindo esta questão estética, uma leitura despercebida do trailer de Quando as Luzes se Apagam poderia fazer um fã achar que trata-se de um novo filme da saga Sobrenatural.

Parte dos fãs que estão temerosos encontram uma justificativa para acreditarem que Quando as Luzes se Apagam pode ser um filme ruim. Esta justificativa responde pelo título de Mama. O curta espanhol de 2008 foi dirigido por Andy Muschiettie e era bastante assustador. Já a versão em longa metragem de 2013 foi um dos piores filmes do ano. Parte dos problemas do longa, que também foi dirigido por Muschiettie e teve produção de Guillermo Del Toro, foi justamente um excesso de investigações e explicações além de uma vilã genérica que aparecia mais do que deveria quebrando qualquer possibilidade real de medo.

Mama (2008)

Apesar do exemplo de Mama ter sido traumático para alguns grupos de fãs, existem outros casos de curtas que viraram bons longas. Basta pensar que o grande clássico Evil Dead foi na verdade a “versão ampliada” do curta Within the Woods. Ambos os projetos foram dirigidos por Sam Raimi e estrelado por Bruce Campbell. Ou o curta em animação Season’s Greetings de 1996 e que se tornou o longa Contos do Dia das Bruxas em 2007. Os dois projetos foram dirigidos por Michael Dougherty. Sem contar  o curta Husk em 2005 e que ganhou o longa Espantalho em 2011. Ambos foram dirigidos por Brett Simmons.

Within the Woods (1978)
Antes de Ash e o Necronomicon!

Nestes três casos, é possível apontar obras nas quais os diretores não tinham dinheiro e até experiência para fazerem longas e por isso optaram pelo formato de curta, mais simples e barato. E claro que tais curtas serviram para mostrar o que os jovens cineastas podiam fazer com pouco dinheiro.

O que podemos esperar de Quando as Luzes se Apagam? Somente quando o filme estiver em cartaz será possível dizer se o longa é uma boa releitura ampliada do original ou se é mais uma boa ideia mal aproveitada. Até lá, reveja o curta Lights Out para ir esperando pelo longa.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Filipe Falcão

Jornalista formado e Doutor em Comunicação. Fã de filmes de terror, pesquisa academicamente o gênero desde 2006. Autor dos livros Fronteiras do Medo e A Aceleração do Medo e co-autor do livro Medo de Palhaço.

3 thoughts on “De curta para longa: o que esperar de Lights Out?

  • 21/05/2016 em 08:53
    Permalink

    Tenho a esperança de que seja bom. Dizem que ele foi ovacionado na exibição aos críicos, apesar disso não querer dizer muita coisa… Só vendo pra saber.

    Resposta
  • 14/05/2016 em 18:18
    Permalink

    Se seguir os msm passos de MAMA, vou preferir o curta, sem dúvida!!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.