Contracted: Phase II (2015)

0
(0)

Contracted - Phase II
Original:Contracted - Phase II
Ano:2015•País:EUA
Direção:Josh Forbes
Roteiro:Craig Walendziak
Produção:J.D. Lifshitz, Raphael Margules
Elenco:Matt Mercer, Marianna Palka, Morgan Peter Brown, Anna Lore, Laurel Vail, Peter Cilella, John Ennis

Foi numa festa, em 2013, que Samantha (Najarra Townsend) teve relações sexuais com um desconhecido e contraiu uma estranha doença. Em três dias, a jovem sofreu alterações drásticas em seu corpo como erupções cutâneas, perda de altas doses de sangue pela uretra, nariz e boca, além de quedas de dentes e cabelo, olhos extremamente irritados e uma sensibilidade sonora. Além das dores constantes e da debilitação de seu organismo, a garota ainda sentia uma pressão psicológica imensa pela mãe, pela namorada, uma amiga e o apaixonado Riley (Matt Mercer). No último e insano ato, a garota assassinou as garotas, transou com o rapaz e, na transformação completa em uma zumbi, mordeu sua mãe. Contágio Letal (Contracted, 2013), de Eric England, veio com a interessante proposta de fazer um filme de mortos-vivos diferente, partindo de uma crítica ao sexo irresponsável.

Dois anos depois, entregou o projeto a Josh Forbes, que, com base no roteiro de Craig Walendziak, desenvolveu Contracted: Phase II, uma continuação direta, tendo como protagonista Riley e seu dia seguinte à morte Samantha, alvejada pela polícia. Ele, então, como era de se imaginar, começará a sofrer os mesmos sintomas, enquanto tenta encontrar um meio de não ter o mesmo destino da amiga. Para simplesmente não repetir o argumento do primeiro filme, a sequência também explora o rapaz que transmitiu a doença, como base de um plano de acabar com o mundo – sim, é uma ideia infantil mesmo!

Aquele tom de mistério envolvendo o tal BJ (Morgan Peter Brown) é diluído num clichê absurdo que o apresenta com uma tatuagem de Abaddon na mão e citações ao fim de tudo, mantendo uma zumbi sob seus domínios. É mostrado que o vírus não foi transmitido pela relação sexual, mas por uma seringa aplicada pelo sujeito durante o ato, o que corrompe a boa mensagem do primeiro e não se justifica pela necessidade do sexo casual. Ora, bastava ele sair aplicando o soro em qualquer pessoa e o resultado seria o mesmo, como se o ato irresponsável de Samantha tenha sido perdoado pela intenção macabra do vilão.

 

Também há outros personagens no imbróglio como uma policial que percebe o avanço da doença e acredita que BJ seja o paciente zero. Por outro lado, se a ideia é ruim e a repetição do argumento se mostra falho, é preciso pelo menos elogiar a intenção em mostrar o avanço do problema a um nível quase apocalíptico, com mais pessoas se transformando em zumbis (alguns mais acelerados do que Samantha e Riley, como se percebe). Com a desconstrução do enredo original, restam algumas boas cenas sangrentas como a da garota que, ao tentar tirar a lente, acaba por arrancar o próprio globo ocular (!!!); ou as tentativas de Riley de extração dos vermes que estão surgindo por toda a pele e também foram vistos na autópsia de Samantha.

Inferior até mesmo na direção e elenco, Contracted: Phase II é desnecessário e bastante irregular. O tormento de Samantha merecia um respeito maior do que servir de propósito a uma vilão com ideias megalomaníacas.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

(Visited 937 times, 1 visits today)

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.