Horror Show (2018)

Horror Show
Original:Horror Show
Ano:2018•País:Brasil
Autor:Aislan Coulter, Marcelo Milici, Raphael Miguel, Diego Canuto, Rayden Fernandes •Editora: Skull

por Juliana C.V. Fernandes

Horror Show é uma antologia na qual os autores se inspiraram em filmes de terror dos anos 80 (época em que desenvolveram grande produção cinematográfica do gênero, tanto que é considerado um dos melhores períodos para o cinema de terror) para escrever 30 contos horripilantes. O livro foi lançado pela Editora Skull, organizado por Diego Canuto, Fernando Luiz e Jonas Zair Vendrame e traz como convidados os participantes recorrentes de antologias: Aislan Coulter ( escritor dos livros Cordel de Sangue e Twittando com o Vampiro)  e Marcelo Milici (fundador do Boca do Inferno e autor da obra Medo de Palhaço).

Os contos são repletos dos mais diversos monstros, assassinos, aliens, seres bizarros, além de frutas e objetos vivos, como em Descontrole Remoto, onde os irmãos Thiago e Rafael vivenciam um momento em que carros criam vida e atacam pessoas, devido a um bruxo chamado Tova, que quer diminuir sua culpa diante de um atropelamento ocorrido em 1994, dois anos antes do tempo em que se passa a trama de Marcelo Milici. Outro exemplo está na narrativa Tomate, que faz homenagem ao filme trash Ataque dos Tomates Assassinos (1978).  Ana Nogueira descreve um pesadelo com as assustadoras bolinhas vermelhas, que se torna real, resultando em um verdadeiro massacre, que não deixa faltar uma coloração vermelha na  praia, nas ruas e casas.

Os leitores ainda podem ser sorteados a sentir coisas inusitadas, como Mauricio, que após ganhar alguns dias com Laura, sua escritora favorita, descobre como é seu Processo Criativo e passa por um verdadeiro tormento, mostrando que o que começa de forma extremamente sexy pode se tornar uma tortura quase infindável. Diego Canuto desenvolveu um texto capaz de fazer a todos questionarem o que alguém é capaz de fazer para fugir do clichê. E já aviso pra tomar cuidado para não se envolverem demais com os personagens ou você pode acabar como Rony, em O Clube do Inferno, de Raphael Miguel, que ao fazer uma pegadinha vestido de Michael Myers (assassino da franquia Halloween), acaba criando um vinculo psicológico e matando não só as vitimas da pegadinha, mas também seus amigos.

Se você é fã dos filmes da época não faltaram referências, todavia não é necessário assistir a nenhum filme para conseguir ler as histórias. Entretanto se você não viu Sexta-Feira 13 o conto Terror em Pirenópolis, de Rayden Fernandes, pode parecer um pouco ilógico quando o fantasma de um garoto de 12 anos que morreu afogado se transforma aleatoriamente  em um assassino de quase dois metros com uma máscara vermelha de boi, aterrorizando um grupo de jovens. A história ainda termina com uma segunda transformação e uma morte chocante.

Caso tenha medo de perder seu sono ou ter pesadelos esse livro não é pra você, pois condiz com o titulo se mostrando um verdadeiro show de horror.

(Visited 479 times, 1 visits today)
Autor Convidado

Autor Convidado

Um infernauta com talentos sobrenaturais convidado a ter seu texto publicado no Boca do Inferno!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *