O Porão… e porque o tememos

5
(9)

Responda rápido. Qual é o local mais assustador de filmes de terror quando as ações acontecem dentro de casas? Sala? Cozinha? Banheiro? Nenhum destes cômodos é capaz de meter tanto medo quanto o porão. Baste lembrar de alguns momentos clássicos do gênero. Em qual aposento Norman Bates escondeu a sua mãe? Onde a luva de Freddy Krueger estava guardada? Em que parte da casa Ash encontrou o Livro dos Mortos? No porão.

Sujo, pouco iluminado, com teto rebaixado e repleto de entulhos e coisas velhas, fica fácil entender porque os melhores (e os não tão bons) diretores utilizam este pequeno espaço para criar grandes momentos em filmes que marcaram o gênero.

De Psicose (Psycho, 1960) até A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project, 1999), o porão sempre foi um lugar comumente associado ao medo. Este tipo de construção não é comum no Brasil, com exceção de algumas cidades localizadas no sul do país. Já em países do hemisfério norte, praticamente todas as casas possuem porões. Estados Unidos, Canadá, Inglaterra. Mansões e construções simples. A pergunta lógica da vez é se o cinema de terror utiliza elementos cênicos para transformar estes espaços em cenários assustadores. E a resposta é negativa, pois os mesmos já são por si só mais do que assustadores.

SUJO, SEM LUZ E APERTADO

O porão é, sem nenhum exagero, um lugar assustador. Na verdade, o espaço é uma espécie de depósito da casa. Por não ser um cômodo que as pessoas frequentam, dificilmente já foi pintado ou tem algum tipo de decoração. A parede é de tijolo aparente e a poeira faz parte do local. Por ser no nível abaixo do térreo da casa, a iluminação natural é inexistente e a artificial geralmente se resume a uma lâmpada pendurada na parede e que a qualquer momento vai queimar.

A primeira impressão negativa referente a um porão começa já na porta de entrada e descida para o mesmo. Geralmente trancada, é quase fácil de imaginar que aquele cômodo não tem serventia para a casa. Historicamente sabemos que se trata do oposto, já que alguns porões são projetados para, antes de serem simples depósito, servirem como abrigos para pessoas se protegerem de fortes tempestades e furacões. Nestes casos, é comum encontrar provisões e colchões neste pavimento subterrâneo da casa, o que não significa que a decoração seja das melhores ou sequer existente.

A escada para o porão já é de colocar medo em qualquer pessoa. Com degraus pequenos e com o teto rebaixado, a inclinação da descida permite que a pessoa enxergue apenas mais alguns degraus antes da visão humana se perder na falta de iluminação. Uma vez lá em baixo, é impressionante perceber a quantidade de coisas velhas que foram jogadas por lá com o passar dos anos. Bicicletas, móveis quebrados, geladeira velha, ferramentas. Todos esses materiais dificultam o caminhar no espaço e é bastante comum andar, bater e derrubar algo que vai fazer muito barulho na acústica do lugar.

MACHADOS E FACÕES

E para qualquer fã de filme de terror, alguns dos objetos são mais do que familiares. Pás, correntes, serrote, serra elétrica, machado, facão, facas enferrujadas, foice. Se estivéssemos em uma película, facilmente estaríamos no porão de O Massacre da Serra Elétrica (The Texas Chain Saw Massacre, 1974). Ficou com medo? E como se não bastasse toda essa ambientação, a maioria dos porões possui apenas uma única entrada. Uma vez lá dentro, não se tem como sair, a não ser pela mesma escada mal iluminada que serviu de entrada.

O porão também é o local no qual ficam os fusíveis da casa. O que significa que, quando a fiação da casa, que geralmente é velha, tem algum problema e a luz é cortada, é lá embaixo que a pessoa precisa ir com uma lanterna ou uma vela para tentar trocar as baterias. É justamente neste momento que as piores lembranças de cenas de filmes de terror em porões vão se tornar bastante vivas na cabeça do morador que tenta, sem sucesso, trocar os fusíveis.

E se o morador em questão é uma pessoa alta, vai se sentir a própria Tenente Ripley fugindo da nave Nostromo, em Alien (1979). Quem viu o filme lembra que a atriz Sigourney Weaver, no alto dos seus 1,83 de altura, precisava correr abaixada nos corredores da espaçonave. Desta forma, o porão pode ser tão claustrofóbico quanto a Nostromo.

Ficou impressionado? Quer se mudar para uma casa com porão? Então, antes disso, revisite alguns dos cômodos mais famosos do cinema:

Psicose (Psycho, 1960). DIREÇÃO: Alfred Hitchcock. ELENCO: Anthony Perkins, Vera Miles, Janet Leigh, John Gavin, Martin Balsam.

Indiscutivelmente o maior clássico do suspense de todos os tempos, a trama de Hitchcock tem na cena do assassinato de Janet Leigh no chuveiro o seu clímax. Mas é a cena final, na qual a personagem de Vera Miles desce até o porão da casa de Anthony Perkins, que todo o mistério da trama é revelado.

A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project, 1999). DIREÇÃO: Daniel Myrick e Eduardo Sánchez. ELENCO: Heather Donahue, Michael Williams, Joshua Leonard.

Talvez uma das melhores surpresas de uma década marcada por fracas produções para o gênero, A Bruxa de Blair conduziu o público de forma magistral pelos caminhos do medo. De todas as cenas que marcaram a produção, a inesquecível descida de Heather até o porão fez muita gente ficar sem fôlego nas salas de cinema. Ao avistar o Michael de costas, o público já conseguiu prever o pior.

Evil Dead (1983). DIREÇÃO: Sam Raimi. ELENCO: Bruce Campbell, Betsy Baker, Sarah York, Ellen Sandweiss.

Um dos filmes mais queridos pelos admiradores do gênero. Trash para uns, clássico para outros, esta pequena obra prima é referência até hoje pelos excessos criados por Raimi. O porão de Evil Dead, além de abrigar objetos mais do que estranhos, também servia de calabouço para quem fosse possuído pelos espíritos do mal.

A Hora do Pesadelo (A Nigthmare on Elm Street, 1984). DIREÇÃO: Wes Craven. ELENCO: Heather Langenkamp, John Saxon, Johnny Depp, Robert Englund.

A estreia de Freddy Krueger é considerada um dos melhores momentos do cinema de terror da década de 1980. Um monstro que ataca as pessoas quando elas estão mais indefesas: durante o sono. A casa de Heather foi utilizada em todos os filmes da série, inclusive em Freddy Vs Jason. Mas também merece destaque o porão da casa dela, onde a luva de Freddy estava escondida.

A Noite dos Mortos Vivos (Night of the Living Dead, 1968). DIREÇÃO: George A. Romero. ELENCO: Judith O’Dea, Duane Jones, Karl Hardman, Marilyn Eastman.

Outro filme referência no gênero, esta produção de Romero apresentou ao mundo os mais terríveis vilões: os nossos mortos que saíam de suas tumbas para devorarem os vivos. O filme acompanha um grupo de sobreviventes em uma casa que tem um porão. Parte do grupo acha seguro ficar lá embaixo, enquanto a outra metade acha a ideia absurda. Para onde você iria?

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 9

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Filipe Falcão

Jornalista formado e Doutor em Comunicação. Fã de filmes de terror, pesquisa academicamente o gênero desde 2006. Autor dos livros Fronteiras do Medo e A Aceleração do Medo e co-autor do livro Medo de Palhaço.

One thought on “O Porão… e porque o tememos

  • 18/05/2022 em 02:49
    Permalink

    Lembrei da cena de Esqueceram de mim, onde Kevin tem também medo de estar ali!!!! valeu!!!!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.