4.5
(37)

Five Nights at Freddy's - O Pesadelo Sem Fim
Original:Five Nights at Freddy's
Ano:2023•País:EUA
Direção:Emma Tammi
Roteiro:Scott Cawthon, Seth Cuddeback, Emma Tammi
Produção:Jason Blum, Scott Cawthon
Elenco:Josh Hutcherson, Elizabeth Lail, Piper Rubio, Mary Stuart Masterson e Matthew Lillard.

A não ser que você viva em Nárnia, certamente já ouviu falar em Five Nights at Freddy’s. A franquia de games, iniciada em 2014, possui uma premissa bem simples: o jogador é transportado a uma pizzaria abandonada, onde deverá sobreviver por cinco noites aos ataques de vários animatrônicos assassinos. Em um ano marcado pelo sucesso de filmes de bonecos, como Megan, e adaptações de jogos, como Super Mario Bros. – O Filme, por que não unir as duas coisas? A Blumhouse pensou o mesmo, lançando estrategicamente no período do Halloween a adaptação cinematográfica Five Nights at Freddy’s – O Pesadelo Sem Fim.

Na trama, acompanhamos a dura jornada de Mike Schmidt (Josh Hutcherson), um rapaz que não consegue se manter em nenhum emprego, ao mesmo tempo em que precisa cuidar de sua irmãzinha Abby (Piper Rubio) e lidar com uma peculiar obsessão por um livro chamado A Teoria dos Sonhos. Correndo grande risco de perder a guarda de Abby para a tia Jan (Mary Stuart Masterson), Mike aceita um emprego de vigia da pizzaria abandonada Freddy Fazbear, conhecida por apresentar shows de animatrônicos no passado. Aliviado por finalmente ter como pagar as contas, durante a madrugada Mike irá perceber que os animais robóticos não são tão inocentes assim.

Não sendo um grande fã da franquia de jogos criada por Scott Cawthon, minha primeira impressão foi de uma produção que não aproveita o potencial do universo dos robôs possuídos. Apesar da caracterização verdadeiramente impecável dos bichos, muito do roteiro me pareceu forçado e sem sentido. Com um pouco de pesquisa, entretanto, percebi que o filme inteiro realmente é um grande fan service. A verdadeira identidade dos bonecos, cenários, dispositivos de tortura, design interno dos robôs, tudo isso é uma grande carta de amor aos fãs da saga, que devem ter se deliciado com a participação ativa de Cawthon na produção do filme.

O grande problema é que o longa não é exclusivo dos fãs, e analisando de forma imparcial, temos aqui uma obra que não funciona enquanto filme de horror. Tendo visto algumas gameplays isoladas, sempre achei incômoda a sensação das noites passando e os perigos aumentando, com mortes icônicas e jumpscares realmente assustadores. Em Five Nights At Freddy’s – O Pesadelo Sem Fim, não vemos nada disso. A ausência praticamente completa de sangue e sustos (não esqueçamos que se trata de uma classificação PG-13), somada ao clima de Sessão da Tarde que domina quase todo o segundo ato e o interminável drama de Mike (cuja maior obstinação é descobrir a identidade de um sequestrador através dos sonhos) acabam resultando em um filme que simplesmente não assusta.

Ao que parece, o criador Scott Cawthon recusou diversas propostas de outros roteiros, com adaptações mais assustadoras e menos fiéis, o que de certa forma é louvável, mas acho que caberia aqui um meio-termo, talvez explorando mais a questão das cinco noites e com um pouquinho mais de horror envolvido. O resultado final acaba sendo uma experiência marcante para os fãs, mas decepcionante para o público em geral.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.5 / 5. Número de votos: 37

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

4 Comentários

  1. Quando FNAFBlançou em 2014 eu tinha 10 anos e imediatamente virei fã de carteirinha até o 2o jogo, não joguei mais depois 3o por este ter me desanimado. Como eu só acompanhei a saga até o 3o jogo quando era criança e mesmo naquela época não ter me aprofundado em nenhum lore, eu fui assistir o filme esse ano com conhecimento apenas de uns 10% do lore que é mostrado no filme, então eu era o “público geral”, e como parte desse público geral eu simplesmente achei muitas partes do filme extremamente vergonhosas de assistir. A trama do Mike sonhando e interagindo com seus sonhos não é tão vergonhoso e sem sentido quanto o clímax do filme mas ainda assim é sem graça e o fato de ela acontecer sempre que ele está trabalhando na pizzaria é EXTREMAMENTE decepcionante. Nos jogos praticamente 100% do que o jogador faz é checar câmeras e se proteger de animatrônicos que o querem matar enquanto trabalha como segurança. O porquê de os roteiristas desse filme decidiram fazer isso simplesmente NÃO ACONTECER NENHUMA VEZ nesse filme (além de uma cena de 30 segundos de personagem terciário) eu não faço ideia. Em minha opinião, o filme deveria ter deixado de lado grande parte do lore que foi exposto no filme e focado em fazer um filme de terror e suspense sobre um segurança tentando sobreviver em uma pizzaria onde os animatrônicos tentam o matar, sabe? A narrativa que faz literalmente 100% dos 3 primeiros jogos. Não seria tão ruim se o lore do filme não fosse tão sem sentido e vergonhoso, mas infelizmente ele é. Eu não duvido que funcione para os jogos mas ele simplesmente não traduziu nem um pouco bem para o formato de filme. A história tem outros problemas como o fato de todos os personagens, até a criança Abby reagirem aos acontecimentos ao seu redor de forma completamente e comicamente irrealista, mas eu acho que o maior problema foi o citado anteriormente de terem focado em uma lore que já era de qualidade questionável nos jogos e não terem focado no terror e suspense que são icônicos dos jogos e fazem quase 100% deles.

  2. Olá! Conheci fnaf em 2018 quando tinha 8 anos, a partir de 2019 eu fiquei bastante ansiosa para que fizessem um filme sobre esse jogo maravilhoso. Quando saiu o trailer, tinha várias jumpscare e etc, já no filme em si quase não tem isso, e quando tem não dá medo (só aquele fdp do balon boy), eu realmente me decepcionei assistindo aquilo, era tudo tão repetitivo e quando os Animatronics começaram a se mecher e interagir com a Abby e o Michael viu tudo aquilo ele aceitou tão rápido que eram robôs possuídos e tals. A partir daí eu vi que cagaram o filme, fiquei realmente chateada… O pessoal da minha sala de cinema estavam entediados enquanto assistiam o filme, o davam risadas em algumas cenas, e aquele plot Twist. Aquilo era pra ser um plot?! Sinceramente, foi horrível, e aquela frase icônica do William: “Eu sempre volto”. Eles conseguiram deixar aquilo de lado, não foi legal, ninguém gritou, todo mundo tava simplesmente dormindo ou mechendo no celular. Prefiro esquecer que esse filme existe…

  3. Eu sou fã de FNAF, jogo desde 2018 quando eu tinha 9 aninhos, e posso dizer que me decepcionei muito com o filme. Sinceramente, minha opinião é similar à sua. Five nights at Freddy’s tem um universo muito rico e assustador, o jogo é assustador e a lore em si é assustadora. Quando vi o trailer de FNAF eu já logo pensei: vai dar m*rda. Não porque eu não gostei da ideia de se criar um filme sobre o jogo, e o filme não foi ruim (tendo em vista que se pagou na pré estreia), mas eu realmente não gostei da apresentação do mesmo. Quando fui assistir o filme, nada mais que decepção. Vários furos de roteiro, a história é quase que parcialmente muito diferente do que eu sei sobre o jogo e, principalmente, cadê o elemento assustador?
    Não vou dizer que não gostei, só acho que está fraco para um filme sobre a franquia, que, como eu disse, é rica e interessante.
    Nota: 2/10

  4. Prazer! Eu vivia em Nárnia pois só agora com a estreia desse filme que soube que isso é game tbm kkkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *