Críticas

Ed e Sua Mãe Morta (1993)

Simpática comédia de humor negro, Ed e Sua Mãe Morta tem sua maior força no elenco impagável!

Ed e Sua Mãe Morta (1993)

Ed e Sua Mãe Morta
Original:Ed and His Dead Mother
Ano:1993•País:EUA
Direção:Jonathan Wacks
Roteiro:Chuck Hughes
Produção:W.M. Christopher Gorog
Elenco:Eric Christmas, Steve Buscemi, Harper Roisman, Sam Jenkins, Ned Beatty, Gary Farmer, Robert Harvey, John Glover, Miriam Margolyes, Jon Gries, Dawn Hudson

Ed Chilton (Steve Buscemi) é um quase Norman Bates. Quase. Obcecado pela sua falecida mãe, o sujeito se recusa a abandonar o luto, e divide seus dias entre a loja de ferragens da família e o seu tio Benny (o grande Ned Beatty). Passivo e submisso, Ed não se relaciona com quase ninguém, e prefere assim.

As coisas começam a mudar quando a sexy e misteriosa Storm (Sam Jenkins) se muda para a casa ao lado. O tímido e virgem Ed acaba inevitavelmente se apaixonando pela bonitona, que também parece atraída por ele. Tudo poderia descambar para um final feliz se não fosse pela aparição do suspeitíssimo A.J. Pattle (John Glover, sempre ótimo), um estranho que promete trazer a mãe de Ed de volta dos mortos pelo preço certo.

Ed a princípio hesita, mas seu complexo de Édipo acaba vencendo a batalha, e ele aceita a proposta. Sua mãe (Miriam Margolyes) volta à vida como se nada tivesse acontecido. Ed entra em júbilo por ter sua velha de volta, mas há um porém: ela precisa se alimentar de almas para continuar viva. A princípio ela se contenta em comer baratas vivas. Mas logo sua fome aumenta e ela se torna um monstro incontrolável.

Ed e Sua Mãe Morta (1993) (1)

Simpática comédia de humor negro, Ed e Sua Mãe Morta tem sua maior força no elenco impagável. Buscemi, Beatty, Glover e Jenkins estão completamente à vontade em seus papéis, mesmo o roteiro não sendo nenhuma maravilha. O ponto fraco está em Miriam Margolyes, que tem um papel importantíssimo como a mãe possessiva que volta dos mortos. Apesar de já ter provado seu talento em muitos outros papéis, falta-lhe carisma neste filme. Mas nada que um ataque de fúria assassina com uma serra-elétrica nas mãos não compense.

Leia também:

2 Comentários

  1. Guilherme

    O título original é tão ruim quanto a tradução, mas a história parece boa

  2. vanessa vasconcelos

    adoro filmes esquisitos assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *