Críticas

Chillerama – I Was a Teenage Werebear (2011)

Num momento “caliente” descobre ser portador de um mal ancestral escondido em seus genes; o estigma dos Lobisursos!

Chillerama (2011)

Chillerama - I Was a Teenage Werebear
Original:Chillerama - I Was a Teenage Werebear
Ano:2011•País:EUA
Direção:Tim Sullivan
Roteiro:Tim Sullivan
Produção:Tim Sullivan
Elenco:Sean Paul Lockhart, Anton Troy, Gabby West, Ron Jeremy, Tim Sullivan

Chillerama é uma antologia lançada em 2011 e composta por quatro segmentos, cada um homenageando um gênero diferente. O primeiro filme chama-se Wadzilla (dirigido e escrito por Adam Rifkin), uma paródia sobre os filmes de monstros da década de 50. O segundo episódio, I Was a Teenage Werebear (dirigido e escrito por Tim Sullivan) se passa em 1962 e usa clássicos musicais como Rebel Without a Cause (Rebelde sem Causa – 1955), Grease (Nos Tempos da Brilhantina – 1978) e a saga Twilight (Crepúsculo – 2008) como pano de fundo. O terceiro é uma versão bem humorada do livro O Diário de Anne Frank chamado The Diary of Anne Frankenstein e foi dirigido e escrito por Adam Green. O último segmento chama-se Zom-B-Movie, que tira um sarro dos filmes de zumbis. Foi escrito e dirigido por Joe Lynch. De acordo com Adam Rifkin e Tim Sullivan a ideia original era de produzir uma antologia chamada Famous Monsters of Filmland, baseada na revista homônima editada por Forrest J. Ackerman. Primeiro eles vieram com nomes e mock-up cartazes para cada um dos mini-recursos: The Diary of Anne Frankenstein (1940), I Was a Teenage Vampire (1950), Zombie Drive-In (1960) e Werewolf of Alcatraz (1970). Infelizmente o acordo com a revista Famous Monsters caiu completamente assim que foi lançada uma série na MTV semanal apresentada por Gene Simmons, da banda KISS, de modo que o projeto foi arquivado.

Segmento Wadzilla

Segmento Wadzilla

Alguns anos depois, Rifkin e Sullivan se reuniram com os diretores Adam Green e Joe Lynch no Rainbow Bar and Grill e a ideia ressurgiu. Logo, o quarteto decidiu realizar o projeto Chillerama como um filme de produção independente pela Pictures Ariescope (estúdio de Adam Green), servindo como sede das operações. Devido a restrições orçamentais Werewolf of Alcatraz foi substituído por Wadzilla; I Was a Teenage Vampire foi alterado para I Was a Teenage Werebear a mando de Joe Lynch; Zombie Drive-In tornou-se Zom-B-Movie, e uma quinta produção chamada Deathication foi adicionada a sequência no drive-in para os telespectadores fakes.

Segmento The Diary of Anne Frankenstein

Segmento The Diary of Anne Frankenstein

Como os lobos estão reinando neste mês aqui no Boca do Inferno resolvi fazer uma pequena resenha sobre o segundo segmento do projeto Chillerama intitulado, I Was a Teenage Werebear.

I Was a Teenage Werebear é uma paródia-musical de Rebel Without a Cause, Grease e da Saga Crepúsculo. Situa-se no ano de 1962 e é sobre um garoto chamado Ricky O’Reily, que, relutante em “sair do armário”, acaba se apaixonando por um misterioso bad boy de Malibu High’s chamado Talon (Anton Troy) e num momento “caliente” descobre ser portador de um mal ancestral escondido em seus genes; o estigma dos Lobisursos!

Chillerama (2011) (5)

Este segmento foi escrito e dirigido por Tim Sullivan. Tim, que é assumidamente gay, incluíu muito material da cultura GLS no episódio. A própria palavra “urso” é uma gíria utilizada para identificar homens corpulentos e peludos na comunidade gay. O ator gay e porn-star Sean Paul Lockhart (também conhecido como Brent Corrigan e Fox Ryder) foi escalado para o papel principal e também temos a presença do ícone pornô Ron Jeremy (Playbear).

Curiosidades
• O ator designado para ser o treinador Tuffman desistiu no último minuto, então o escritor/diretor Tim Sullivan assumiu o papel.

• O nome da banda fictícia que realiza no baile (liderado por Robbie Vinton) é Big Toe and The Jam.

• O escritor/diretor Tim Sullivan teve alguns problemas ao mostrar o roteiro para os atores porque incluía uma cena de estupro num vestiário.

Chillerama (2011) (6)

• Em muitas de suas cenas, Adam Robitel teve que improvisar.

• Por causa do cronograma da produção, os atores tiveram que sincronizar seu canto com as gravações do compositor Patrick Copeland. As canções então foram re-dubladas somente depois da conclusão das filmagens.

• O filme deveria ser sido todo filmado em uma escola, mas isso se revelou um custo proibitivo, então a produção foi transferida para a praia.

• Os atores que interpretaram os “werebears” usaram suas próprias roupas para interpretar seus personagens.

Chillerama (2011) (7)

• Conforme o script original, Ricky deveria matar Talon. O escritor/diretor Tim Sullivan decidiu que o par seria necessário para ter um momento final, então ele perguntou aos atores Sean Paul Lockhart e Anton Troy para re-escreverem o final da cena. Ironicamente, foi nesse momento que fechou a versão oficial do segmento que foi destaque em Chillerama (2011).

Leia também:

1 Comentário

  1. putz tinha me empolgado com esse chillerama, capa loca, achei q ia ser uma boa diversa, mas nao tive paciencia para encarar, so a primeira historia q gostei dpois foi ficando muito chato, quase dormi, pulei a segunda historia achando q na terceira ficaria melhor.. ai nao tive paciencia pra ver a terceira tbm e abandonei kk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *