Críticas

Entes Queridos (2009)

Poderia ser mais um daqueles filmes de terror adolescente que tem todos os clichês que esperamos. E ele tem…vários! Mas revisitados!

Entes Queridos (2009)

Entes Queridos
Original:The Loved Ones
Ano:2009•País:Austrália
Direção:Sean Byrne
Roteiro:Sean Byrne
Produção:Michael Boughen, Mark Lazarus
Elenco:Xavier Samuel, Robin McLeavy, Victoria Thaine, Jessica McNamee, Richard Wilson, John Brumpton, Andrew S. Gilbert, Stephen Walden

Entes Queridos poderia ser simplesmente mais um daqueles filmes de terror adolescente que tem todos os clichês que esperamos. E ele tem… vários! Mas revisitados. Uma pequena pérola do cinema australiano, sem positivações ou mocinhos e mocinhas. Um soco na cara!

No início de 2014 chegou às nossas telas, pelo fabuloso Youtube o comercial da Learn for Life Foundation of Western Australia, com uma missão simples: incentivar os jovens australianos a não cabular/matar aulas ou eles poderiam levar ‘bomba’, abordada ao pé da letra na mais que criticada propaganda.

Na mesma linha que a famigerada propaganda, The Loved Ones não economiza no terror e torturas, mas nada ali é gratuito, pelo contrário, as cenas contribuem para a sensação de desespero e falta de perspectiva gerada pelo longa. Você não consegue imaginar um final, ou simplesmente vislumbra o pior final possível.

O filme se inicia com Brent (Xavier Samuel), o adolescente foco, dirigindo com seu pai em uma estrada australiana, ou seja, estrada aberta, sem muitas referências de locais ao redor, lembrando muito a abordagem de diversos Road Movies. De repente, com a entrada de um jovem, todo ensanguentado na estrada, Brent desvia o carro, gerando uma batida que ocasionará a morte de seu pai. Ai, já podemos imaginar o decorrer da história: o protagonista se culpa pela morte do pai, sente-se rejeitado pela mãe e possui como estratégia de fuga, álcool, drogas e seu relacionamento com Holly (Victoria Thaine). Mas o baile da escola se aproxima e Lola (Robin McLeavy) quer Brent como seu par. Rejeitada, a princesinha e seu pai (John Brumpton) farão de tudo para realizar o sonho da garota.

Entes Queridos (2009) (1)

Partindo desta premissa, podemos imaginar que pai e filha sequestram o pobre rapaz, planejando um baile um pouco mais, digamos, privativo. As cenas de tortura tem início, e ao mesmo tempo, acompanhamos subtramas fora do cativeiro, que a primeira vista parecem não se conectar em nada com a trama central, mas em seu decorrer nos mostra a construção cíclica deste filme, em uma ótima sacada narrativa. Uma raridade aos filmes do gênero adolescente na atualidade.

Além da narrativa forte, os atores não deixam a desejar, principalmente, no que tange a dupla dinâmica Lola e seu pai. A relação dos dois é tão doentia e estranha, que eles não precisariam fazer tortura nenhuma, observá-los em ação cotidiana já é bem assustador. E as torturas? Ah, as torturas!

Entes Queridos (2009) (2)

Para quem duvida da teoria de existência dos zumbis, Entes Queridos nos traz uma excelente resposta: uma simples e eficaz lobotomia caseira, que transforma qualquer um, em seu fantoche.

O ciclo de estrada aqui é fechado, o filme se inicia com uma morte na estrada e termina com outra morte, numa espécie de pagamento pelo ocorrido, Brent consegue punir os culpados indiretos pela morte de seu pai, as subtramas se encaixam e tudo faz sentido. Ou seja, no fundo, temos um filme otimista. Só que as torturas e o horror não vão deixar isso tão claro!

Entes Queridos (2009) (3)

Leia também:

3 Comentários

  1. Silvana Perez Silvana Perez

    Dessa vez não podemos culpar a tradução pelo nome do filme, pessoal. Loved Ones significa justamente Entes Queridos 😉

  2. Guilherme

    Quando eu vi esse título eu achei que fosse outro filme, como sempre poderiam ter colocado uma tradução melhor.
    Eu ainda não assisti esse filme, essas torturas parecem fortes demais pra mim.

  3. Alefe Nava

    entes queridos? que tradução horrivel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *