Vingança em Chamas (2002)

Vingança em Chamas (2002) (2)

[Filme poster=”http://bocadoinferno.com.br/wp-content/uploads/2015/03/Vingança-em-Chamas-2002-4.jpg” nacional=”Vingança em Chamas” ano=”2002″ original=”Firestarter 2: Rekindled” pais=”EUA” diretor=”Robert Iscove” roteiro=”Philip Eisner, Stephen King” produtora=”Jeffrey Morton” elenco=”Marguerite Moreau, Malcolm McDowell, Dennis Hopper, Danny Nucci, Skye McCole Bartusiak, John Dennis Johnston, Ron Perkins, Deborah Van Valkenburgh, Dan Byrd”]

[Avaliação nota=”2-5″]

“A pequena Charlie cresceu… e está incendiando a cidade!”

A Incendiária é um romance menor do escritor Stephen King, lançado no ano de 1980, mas apesar disso, como aconteceu com quase toda sua obra, não demorou para que algum produtor interessado num potencial lucro decidisse adaptar essa história para as telonas. Não agradando público nem crítica, a adaptação Chamas da Vingança (1984) permanece, assim como o romance, como uma das menos notáveis obras do mestre do horror, sendo lembrada principalmente por ser um dos primeiros trabalhos de Drew Barrymore. Provavelmente para não perder o filão rentável associado ao nome de King, o canal Syfy produziu junto com a Universal em 2002, uma sequência do filme de 84, lançada aqui no Brasil como Vingança em Chamas. Dirigido por Robert Iscove (especialista em comédias românticas ‘pop‘ como Ela é Demais e De Justin Para Kelly), o filme lançado originalmente como uma minissérie em dois capítulos deixa a desejar quando comparado a outras adaptações e ao próprio livro que rendeu o material original, mas pode funcionar bem como entretenimento descompromissado se você não exigir muito.

A trama se passa duas décadas após os eventos do primeiro filme. Agora crescida, Charlene ‘Charlie’ McGee (Marguerite Moreau), dotada de poderes especiais que permitem a ela atear incêndios apenas com a mente, vive sozinha e com outra identidade, ainda temendo que a “Oficina” a encontre. Vincent Sforza (Danny Nucci) é um agente em uma grande corporação envolta em pesquisas científicas, responsável por localizar várias pessoas que participaram de um experimento nos anos 1970, conhecido como LOTE-6. Ele acredita que, localizando essas pessoas, estas receberão algum tipo de indenização pelos danos sofridos pelos experimentos, sem saber a real e sinistra intenção de seus chefes. Quando Vincent é designado para encontrar Charlie, uma série de eventos leva a consequências mortais, quando mais uma vez o assassino Rainbird (Malcolm McDowell) encontra Charlie.

Vingança em Chamas (2002) (1)

Prejudicado pela falta de virtuosismo técnico que assola os telefilmes, Vingança em Chamas até que é competente no desenvolvimento de seus personagens principais, Vincent e Charlie, e ambos, Danny Nucci e Marguerite Moreau, fazem o que podem para dar vida a seus papeis. Já o personagem de McDowell é a caricatura em pessoa com seu arquétipo do cientista sádico com único propósito de vida. Além disso, o filme é cansativo se assistido em DVD (quase três horas de duração) e provavelmente funcionaria melhor se dividido em capítulos. Completam ainda o filme um roteiro esquemático e formulaico, que aposta frequentemente em diálogos expositivos na segunda metade da trama, recurso claramente utilizado para encher linguiça com a falta de história.

Vingança em Chamas (2002) (3)

Apostando também em um desfecho baseado em explosões e clichês melodramáticos, Vingança em Chamas agrada somente se o espectador desconsiderar o peso de ser uma adaptação (ainda que indireta) de Stephen King. Afinal também há pontos positivos; o longa conta ainda com a presença sempre bacana de Dennis Hopper, como Richardson, que eleva a qualidade do filme, pelo menos por algum tempo. Moreau não decepciona como Charlie e entrega uma “mocinha” determinada, e que é claramente a alma do filme. A adaptação acaba dessa maneira vivendo de altos e baixos, não conseguindo se sustentar de maneira eficiente durante toda sua duração.

Leia também:

Marcus Augusto Lamim

Marcus Augusto Lamim

Um seguidor fiel do cinema em todos seus formatos e gêneros, amante de rock e do gênero fantástico, roteirista amador e graduando em química. Contato: marcuslamim@bocadoinferno.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien