Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas (2018)

Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas
Original:Hotel Transylvania 3: Summer Vacation
Ano:2018•País:EUA
Direção:Genndy Tartakovsky
Roteiro:Michael McCullers, Genndy Tartakovsky
Produção:Michelle Murdocca
Elenco:Adam Sandler, Andy Samberg, Selena Gomez, Kevin James, Fran Drescher, Steve Buscemi, Molly Shannon, David Spade, Keegan-Michael Key, Jim Gaffigan, Kathryn Hahn, Mel Brooks

Mais uma vez os monstros mais insanos e divertidos da Transilvânia estão nos cinemas. Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas (Hotel Transylvania 3: Summer Vacation, 2018) é a terceira parte de uma franquia animada, iniciada em 2012, com a direção do experiente Genndy Tartakovsky. Desta vez a trupe de criaturas clássicas, do imaginário fantástico, está de férias em um cruzeiro monstruoso rumo à cidade perdida de Atlântida, em um mundo de cores e movimentos e muito bom humor. O longa estreou em junho na Austrália e Nova Zelândia, mas somente chegou aos Estados Unidos e no Brasil na semana passada, já conseguindo arrecadar os valores suficientes para bancar o orçamento estimado em U$80 milhões de dólares.

O projeto surgiu em um conceito grandioso, desenvolvido pelo comediante Todd Durham. Ele imaginava que os monstros, sempre admirados pelas crianças, poderiam divertir através de todos os meios: cinema, série, livro, quadrinhos, álbum de figurinhas, bonecos, jogos e até parque temático. Apresentou a ideia para a Sony e roteirizou o primeiro Hotel Transilvânia, lançado oficialmente em setembro de 2012. Nele, Drácula (na voz de Adam Sandler) resolve comandar um hotel para receber os amigos monstros e assim evitar o constante conflito com os humanos. Com ele, sua filha, a vampirinha Mavis (Selena Gomez), além do Frankenstein (Kevin James) e sua esposa Eunice (Fran Drescher), o casal de lobisomens Wayne (Steve Buscemi) e Wanda (Molly Shannon), o Homem Invisível Griffin (David Spade), a Múmia Murray (CeeLo Green, no primeiro, e Keegan-Michael Key, nos demais), entre outros, numa convivência repleta de trapalhadas e confusões. Com a chegada do humano Jonathan (Andy Samberg), um mochileiro em viagem pela Europa, vestido com uma camiseta da antiga seleção brasileira, tudo se complica, principalmente quando ele e Mavis se apaixonam, num conflito de espécies que movimenta o velho hotel.

Em 2015, estreou a segunda parte, Hotel Transilvânia 2, para uma aventura além das acomodações do primeiro. Assim que nasce o filho de Mavis e Jonathan, Dennis (com voz da filha de Adam Sandler, Sunny), uma regra entre os monstros é revelada: se ele não desenvolver suas presas até completar cinco anos, será oficialmente considerado humano. Com a proximidade da data, Drácula tenta a todo custo despertar seus poderes, enquanto um antigo vampiro, Vlad (Mel Brooks), que ainda mantém sua natureza animalesca, está prestes a se aproximar para conhecer o neto, o que pode trazer grandes problemas para todos em batalhas por todos os cantos, incluindo os pântanos da Transilvânia. Divertido e explorando ainda mais as características próprias de cada monstro, e ainda incluindo outros como O Fantasma da Ópera (Jon Lovitz, que fez o Quasimodo no primeiro), a sequência conseguiu obter mais sucesso que o original, brincando com suas referências aos filmes clássicos de terror.

Assim que a primeira continuação apresentou um bom investimento para o estúdio, um terceiro já começou a ser planejado. Ainda em 2015, a Sony Pictures Animation já havia anunciado a data de estreia para 2018, mesmo sem a confirmação do retorno do diretor, envolvido em outros projetos. Contudo, a produtora conseguiu não só trazê-lo de volta como também grande parte do elenco original, partindo para uma ideia bastante ousada no roteiro de Michael McCullers e Genndy Tartakovsky: afastar completamente os monstros de sua estadia para levá-los num passeio pelos mares, para explorar lendas marítimas e brincar com outras referências. O público infantil, já acostumado com seus personagens e vozes, não se importou com as grandes mudanças e já está lotando as salas de cinemas com suas risadinhas sinceras, querendo saber como será a viagem de Drácula e seus amigos.

A aventura começa em 1897, com um encontro entre dois inimigos clássicos: Drácula e o Professor Abraham Van Helsing (Jim Gaffigan). Depois de inúmeras tentativas frustradas, o caçador de monstros cai num penhasco e desaparece, sem mais informações até os dias atuais. Comandando seu hotel, entre festas e casamentos, Drácula sente que chegou a hora de encontrar um novo amor, consciente que o “tchan” da paixão só acontece uma única vez. Após falhar com o aplicativo “Tchander” (versão monstro do Tinder), ele é surpreendido com uma viagem proposta pela filha Mavis para um cruzeiro, onde poderão passar mais tempo juntos. Logo, todo os integrantes do hotel, incluindo na bagagem secretamente o cachorro gigante Tinkles (Joe Whyte), partem no divertido voo Gremlin Air, resgatando os monstrinhos criados por Chris Columbus e comandados por Joe Dante, em 1984 e na continuação de 1990.

Terríveis, traiçoeiros e sempre promovendo confusões, os gremlins dão um show na viagem, trazendo, inclusive, uma referência ao episódio da série Além da Imaginação, Pesadelo das Alturas (Nightmare at 20.000 Feet), dirigido por Richard Donner a partir de um roteiro de Richard Matheson, e que depois ganharia uma versão mais conhecida na antologia No Limite da Realidade (The Twilight Zone: The Movie, 1983). O único detalhe esquecido é que o avião faz um mergulho no mar, o que deveria gerar mais monstrinhos.

Assim que conhecem as acomodações do Monster Cruise, com aspecto similar ao Titanic, atracado no Triângulo das Bermudas, com Drácula não vendo diferenças em relação ao hotel, surge um inesperado “tchan” quando ele se apaixona pela capitã do navio, Ericka (Kathryn Hahn), uma humana que esconde um segredo mortal: ela é descendente da família Van Helsing e está planejando matá-lo durante o percurso. Daí por diante, enquanto ela planeja sua vingança, com o auxílio de um artefato poderoso escondido em Atlântida, os demais se envolvem em diversas bagunças bem-humoradas para desespero do comandante Homem-Peixe (Chris Parnell).

Com o mesmo ritmo intenso do anterior, com mistura de ação e conflitos amorosos, Hotel Transilvânia 3 traz gags divertidas e novos personagens, como o Chupacabra (Jaime Camil) e até o mitológico Kraken (Joe Jonas). E ainda reserva um momento musical interessante na sequência final, ao relembrar uma antiga música de sucesso, levando os pequenos espectadores ao delírio. Irá animar os fãs dos personagens e ainda trará citações aos monstros clássicos para o interesse dos mais velhos, com uso adequado dos efeitos em 3D.

Como nos demais filmes, este também traz mensagens sobre inclusão, diferenças e preconceito, no embate constante entre humanos e monstros, escondidas numa produção levemente engraçada e repleta de personagens estranhos. Com uma boa dublagem na versão brasileira, a jornada dos monstros é rica em referências e bom humor, valendo a indicação para as férias da garotada. Será que visitaremos novamente os ocupantes do hotel monstruoso numa nova sequência? Esperamos que sim, principalmente se os gremlins estiverem na bagagem!

(Visited 1.016 times, 1 visits today)
Marcelo Milici

Marcelo Milici

Fundou o Boca do Inferno em 2001. Formado em Letras, fez sua monografia sobre o Horror Gótico na Literatura. É autor do livro "Medo de Palhaço", além de ter participado de várias antologias de horror!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien