Críticas, Televisão

The Walking Dead – 5ª Temporada (2014/2015)

Retorno aos momentos dramáticos, violentos e surpreendentes que fizeram de The Walking Dead uma série tão interessante e envolvente!

The Walking Dead (2014) (1)

The Walking Dead - Quinta Temporada
Original:The Walking Dead - Season 5
Ano:2014/2015•País:EUA
Direção:Greg Nicotero, David Boyd, Jeffrey F. January, Michael E. Satrazemis, Ernest Dickerson, Seith Mann, Billy Gierhart, Julius Ramsay, Larysa Kondracki, Jennifer Lynch
Roteiro:Matthew Negrete, Angela Kang, Scott M. Gimple, Seth Hoffman, Heather Bellson, Corey Reed, Channing PowellRobert Kirkman
Produção:Jolly Dale, Paul Gadd, Matthew Negrete, Channing Powell
Elenco:Andrew Lincoln, Norman Reedus, Steven Yeun, Lauren Cohan, Chandler Riggs, Danai Gurira, Melissa McBride, Michael Cudlitz, Emily Kinney, Chad L. Coleman, Sonequa Martin-Green, Lawrence Gilliard, Jr., Josh McDermitt, Christian Serratos, Alanna Masterson, Seth Gilliam, Andrew J. West, Denise Crosby, Tyler James Williams, Ross Marquand, Tovah Feldshuh, Alexandra Breckenridge

Atenção! O texto abaixo contém detalhes da 5ª Temporada de The Walking Dead, servindo como um resumo para o Infernauta!

Se as três primeiras temporadas beiraram a perfeição, com momentos grandiosos que ficariam para sempre guardados na memória dos fãs, a quarta foi apenas regular. Teve cenas arrepiantes envolvendo o destino de Heshel, do Governador e da pequena Lizzie, mas as alternâncias de núcleos, muito por conta da quantidade excessiva de episódios, trouxe morosidade (para não dizer enrolação). A chegada ao tão sonhado Terminal, o aguardado Santuário, foi árdua e repleta de conflitos humanos, afastando mais uma vez os errantes do foco principal. Mas, quem conhece as HQs sabe o que os aguardaria no novo ambiente, um pesadelo que se consolidou no excelente episódio de estreia, ocorrido dia 12 de outubro de 2014.

Sob o comando do especialista Greg Nicotero, No Sanctuary, começa no ponto final da temporada anterior, quando Rick (Andrew Lincoln) prepara os demais, presos numa espécie de vagão, sobre a necessidade de uma ação drástica. Eles são mantidos como alimentos por uma comunidade de canibais, tendo o pescoço cortado um a um, até a vez de Glenn (Steven Yeun), Daryl (Norman Reedus), Rick e Bob (Lawrence Gilliard Jr.). A salvação vem de uma atitude comandada por Carol (Melissa McBride), enquanto deixa Tyreese (Chad L. Coleman) com o perigoso Martin (Chris Coy) e Judith. A redenção de Carol salva o grupo, e Rick tem, finalmente, a oportunidade de reencontrar a filha.

The Walking Dead (2014) (2)

Uma nova personagem desponta na série. O padre Gabriel Stokes (Seth Gilliam) é salvo pelo grupo, conduzindo-o até sua igreja. Enquanto alguns ficam por lá, Rick, Michonne, Bob e Sasha (Sonequa Martin-Green) vão em busca de alimentos, encontrando alguns velhos conhecidos do padre, em estado errante, permitindo que o público já entenda como o religioso sobreviveu nesse mundo caótico. Daryl e Carol saem em busca de informações sobre o paradeiro de Beth, sequestrada por um veículo como uma cruz na traseira, na temporada anterior, enquanto Bob é pego pelos remanescentes do Santuário, o grupo de canibais liderado por Gareth (Andrew J. West). A última cena, apresentando um Bob parcialmente devorado, é bem impactante, mostrando que a temporada não iria conter na violência.

Em Four Walls and a Roof, o grupo descobre o que aconteceu com Bob, e se prepara para um confronto com os Hunters, os tais canibais, que pararam de se alimentar do rapaz quando este alegou ter sido mordido por um errante. Abraham (Michael Cudlitz) quer aproveitar o ônibus da igreja e levar logo Eugene (Josh McDermitt) para a capital – algo que foi apresentado na temporada anterior, envolvendo a possibilidade do cientista conhecer um modo de conter o vírus. Glenn pede que ele fique para ajudá-los no confronto, prometendo seguir caminho com eles, além de Maggie (Lauren Cohan) e Tara (Alanna Masterson), após o ato. Quando os caçadores invadem a igreja, são surpreendidos pelo plano de Rick, resultando numa derrota imediata e o assassinato do grupo. Bob morre, e é enterrado – permitindo que possam seguir Abraham. Mas, eis que surge Daryl, retornando de sua tentativa de resgate de Beth, aparentemente sozinho.

The Walking Dead (2014) (3)

Como de costume em The Walking Dead, o episódio seguinte, Slabtown, traz apenas Beth, acordando no Grady Memorial Hospital. Comandado pela Oficial Dawn Lerner (Christine Woods) com o auxílio do Dr. Steven Edwards (Erik Jensen), o local aparenta ser agradável para uma recuperação após acidentes e o contato com errantes, mas os internos não encontram meios de se afastar dali, conforme anuncia o funcionário Noah (Tyler James Williams). Logo Beth percebe que o ambiente não é tão agradável quanto qualquer um poderia imaginar, e já planeja uma fuga com Noah, até que surge Carol ferida. Embora eu não seja fã desses episódios descentralizados, este até que foi bem interessante, funcionando como um conto claustrofóbico isolado.

A mesma boa avaliação tem o seguinte, Self Help, centrado no ônibus de fuga, com Abraham, Tara, Eugene, Rosita, Maggie e Glenn. Quando percebem que o caminho para a capital envolve uma travessia arriscada por um local dominado por errantes, eles planejam um caminho alternativo. Contudo, a confissão de Eugene, sobre não ser cientista e ter inventado essa história de cura para seguir viagem com o grupo, é o momento alto do episódio, levando Abraham a um estado absoluto de choque.

The Walking Dead (2014) (4)

Consumed mostra o que aconteceu com Daryl e Carol na busca por Beth, concluindo com um atropelamento. Eles chegam ao hospital, conhecem Noah e notam que será preciso agir com cautela para resgatá-la do local. Mais um episódio à parte da temporada, apenas regular. O grupo principal retornaria em Crossed, alternando cenas dos demais núcleos – como deveria ser -. Rick planeja uma troca envolvendo seguranças do hospital, algo que não dá muito certo devido a um ato ingênuo de Sasha. O último episódio de 2014, Coda, é bem movimentado, com zumbis atacando a igreja, e a trupe de Rick em ação, encerrando de modo dramático com uma morte surpreendente.

Greg Nicotero comanda o nono episódio, What Happened and What’s Going On, exibido em 8 de fevereiro de 2015, com todas as personagens rumando para a cidade de Noah, Richmond, Virginia, onde ele acredita que a paz pode ajudá-los a confortar a perda. Na exploração, Tyreese é mordido por um irmão de Noah, e, enquanto aguarda a ajuda, começa a ter alucinações como Rick, reencontrando vários mortos: Martin, Bob, Lizzie, o Governador, Mika e a recente Beth. A tentativa de amputar o braço do amigo não resolve o problema, e ele é enterrado, com os sobreviventes planejando realmente ir para a capital, acreditando na possibilidade de encontrar apoio. Um episódio melancôlico, mas extremamente eficiente na condução dos pesadelos.

The Walking Dead (2014) (5)

Ao descansar num celeiro, cansados e desidratados, eles são surpreendidos pela chegada do estranho Aaron (Ross Marquand), que quer convencê-los a se unir ao grupo dele em Alexandria. Com a experiência no contato com humanos, Rick resolve prendê-lo para descobrir suas reais intenções, em The Distance. Michonne pede que seja dado um crédito ao rapaz, mas Rick, acertadamente, tenta encontrar meios alternativos para chegar ao local, mantendo o rapaz sobre vigilância. O décimo segundo episódio, Remember, apresenta a chegada ao local com a introdução da líder da comunidade, Deanna (Tovah Feldshuh), que faz entrevistas em vídeo com cada novo morador e apresenta as regras além de seus dois filhos, Nicholas (Michael Traynor) e Aiden (Daniel Bonjour), sendo que este último se estranha com Glenn. Limpos, barbeados e residindo numa mesma morada, Rick já pensa na possibilidade de assumir o controle do local caso não consigam se proteger.

Forget evidencia uma Sasha ainda abalada pela perda de Tyreese, treinando tiros. Entre as novidades do episódio, um errante é identificado com a assinatura “W“; Carl faz amizade com a esquisita Enid (Katelyn Nacon), uma pequena que sempre se ausenta da cidade; Rick conhece o marido de Deanna, Reg (Steve Coulter), além da gata Jessie (Alexandra Breckenridge), casada com o violento Pete (Corey Brill). Também é interessante a relação de Carol com outra criança, o filho de Jessie, Sam (Major Dodson), com ameaças e frieza, heranças de suas experiências com outros pequenos. Alexandria se apresenta como um local perfeito demais para o grupo, cativando cada um com seus interesses, seja com motos e recrutamento (Daryl), segurança (Rick), construção (Abraham) ou vigilância (Sasha).

O décimo quarto episódio, Spend, traz gore à temporada, com a morte de dois personagens, numa missão para reparar o painel solar. A explosão de uma granada mata Aiden, fere gravemente Tara, e, durante a fuga do local, Nicholas entrega Noah para errantes. Enquanto isso, em Alexandria, Carol suspeita das agressões de Pete e o Padre tenta convencer a líder da comunidade sobre a periculosidade do grupo de Rick, como se fosse a representação do Mal. O clima de amizade e companheiro se encerra no penúltimo episódio, Try. Conflitos internos, ciúmes e agressões envolvem a relação de Rick com Pete, culminando com um espancamento público, ameaças e, por fim, uma ação surpreendente de Michonne.

The Walking Dead (2014)

Exibido em 29 de março de 2015, Conquer, de Greg Nicotero, traz ainda mais peças para a série. O retorno de Morgan (Lennie James), confrontando dois membros de um grupo intitulado Wolves (lobos), que acredita que os homens evoluíram dos lobos, já apresentando o cenário da sexta temporada. Enquanto Deanna pretende organizar um julgamento pelas ações de Rick, em Alexandria, com grandes chances de exilá-lo, Glenn se envolve numa briga realmente feia com Nicholas na selva. Daryl e Aaron seguem um estranho com um casaco vermelho e caem numa armadilha elaborada pelos Wolves, ficando presos num veículos. Eles são salvos por Morgan, que encontra vestígios do local onde Rick poderia estar. Este, prestes a ser julgado, descobre que errantes entraram na cidade, e tenta contê-los. Armado com a Katana de Michonne, Pete acidentalmente mata Reg, e acaba sendo condenado por Deanna, que pede que Rick o mate. A chegada de Morgan e dos demais concluem a temporada, mostrando, após os créditos, que os Wolves influenciarão pelo menos a primeira parte da próxima temporada.

A quinta temporada resgatou o ritmo do início da série, com mais ação e surpresas. Além da perda de personagens importantes, o ritmo foi bem mais envolvente, e os diálogos foram contidos entre momentos violentos e sangrentos, e muitos errantes. As perspectivas para o futuro são animadoras – um novo relacionamento, confrontos com outros grupos, mortes -, desde que os realizadores entendam que a série precisa manter o foco na trama principal sem desvios desnecessários.

Leia também:

3 Comentários

  1. a temporada ta seguindo em perfeita ordem, mesmo que tenha tido uma decadênçia nas temporadas passadas como por exemplo uma parte da segunda e terceira, a quinta foi otima espero continuado desse niveel pra melhor
    #partiusextatemporada-TWD

  2. Tiago

    Os filhos da Deanna se chamam Spencer e Aiden. Nicholas é outro personagem da HQ, apenas amigo do Aiden. =)

  3. Bruno Pessoa

    Dizer que as primeiras temporadas é genial aí é forcação de barra pra caralho hein?? só a metade da segunda temporada e a terceira é ladeira abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *