John Dies at the End (2012)

John Dies at the End (2012)
Viagem lisérgica de Don Coscarelli
John Dies at the End
Original:John Dies at the End
Ano:2012•País:EUA
Direção:Don Coscarelli
Roteiro:Don Coscarelli, David Wong
Produção:Brad Baruh, Don Coscarelli, Andy Meyers, Roman Perez
Elenco:Chase Williamson, Rob Mayes, Paul Giamatti, Clancy Brown, Glynn Turman, Doug Jones, Daniel Roebuck, Fabianne Therese, Jonny Weston, Jimmy Wong

Imagine você sentado em um restaurante, conversando com um amigo, e, de repente, seu telefone toca. Quando atende, do outro lado da linha, seu mesmo amigo que está sentado a sua frente é quem está falando. Tente imaginar também você abrindo a maçaneta de uma porta e a mesma se tornando um pênis; ou um cachorro dirigindo um carro; e um Hot Dog funcionando como telefone! É viagem demais para um filme só? Não quando se trata de uma produção dirigida por Don Coscarelli, muito conhecido pela quadrilogia Fantasma, Beast Master e pelo maluco Bubba Ho-Tep. Mesmo não tendo uma filmografia extensa (comparando com seu tempo de carreira), Coscarelli é muito conhecido no meio fantástico, já que seus filmes fogem do convencional e trazem situações absurdas, como em Bubba Ho-Tep, onde temos a presença de Elvis (interpretado por Bruce Campbell), e até um JFK negro! Após 10 anos, o diretor não foge a regra em seu novo filme, John Dies at the End, e constrói um mosaico com personagens excêntricos, em meio a uma trama tão maluca que, para curti-la, só mesmo viajando com ela.

Adaptado do livro de David Wong, a trama gira em torno de Dave Wong (o personagem leva o mesmo nome do autor, interpretado por Chase Williamson), e o personagem do título John (Rob Mayes). Na trama, Dave, conta sua história ao repórter Arnie (Paul Giammatti), a fim de registrar que o fim da humanidade está próximo. Para convencer Arnie a ouvir sua história, Dave mostra a ele habilidades psíquicas, como adivinhar quantas moedas tem seu bolso, ou seu último sonho.

John Dies at the End (2012) (2)

 

Na história, Dave e John experimentam uma substância a qual chamam de Molho de Soja – ela aguça os sentidos e permite prever o futuro, além de viagens entre universos paralelos. Assim a salvação da humanidade fica a mercê da dupla, quando tem início uma conspiração em outra dimensão. A partir daí, vemos toda a maluquice que citei no início dessa crítica, cenas absurdas e inusitadas, mas não em um mal sentido – absurdos que deixam o filme divertido e instigante. O roteiro opta por surpreender o espectador em vários pontos da trama; em certos momentos ficamos em dúvida, se tudo não passa de uma viagem lisérgica dos jovens sob o efeito da substância (essa que é passada por um Jamaicano chamado Robert Marley), ou se tudo aquilo realmente está acontecendo.

No elenco, os iniciantes Chase Whilliamson e Rob Mayes estão muito bem como a dupla Dave e John; Paul Giammatti, que também está ligado à produção, tem uma participação discreta, mas importante: além de ser o nome forte do elenco, funciona como um atrativo para o filme. E ainda temos a presença do experiente Clancy Brown (que já trabalhou em Highlander, Um Sonho de Liberdade…), que interpreta o Dr. Marconi, uma espécie de psíquico canastrão, que ganha dinheiro com palestras livrando as pessoas de forças ocultas, e ajuda Dave e John em sua missão.

John Dies at the End é um filme que pode não agradar a grande maioria com sua mistura de Sci-Fi, violência, humor em meio a insanidades, mas, com certeza, quem conhece o trabalho do diretor irá gostar. E, agora, é aguardar a nova empreitada de Coscarelli, o provável Bubba Nosferatu, e que não demore mais 10 anos, pois o cinema está carente de obras criativas.

(Visited 50 times, 1 visits today)
Ivo Costa

Ivo Costa

Estudante de Cinema, fez parte do Juri Popular do Cinefantasy em 2011. Além de crítico do Boca do Inferno, atua como diretor e roteirista de curtas-metragens.

5 comentários em “John Dies at the End (2012)

  • 27/12/2015 em 23:45
    Permalink

    Parece meio confuso no começo com suas idas e vindas temporais e sequências absurdas, mas assim que nos acostumamos com o seu ritmo, o filme meio que se aproxima de uma linearidade e ficamos na expectativa de com qual nova maluquice o roteiro nos surpreenderá. Divertidíssimo!

    Resposta
  • 26/04/2013 em 19:31
    Permalink

    Muito bom este filme, mesmo os protagonistas não serem grandes atores, eles não chegam a comprometer o filme, Paul Giammatt rouba a cena toda vez que aparece, Don Coscarelli, realmente realizou uma pequena obra prima… Este filme merece ser visto para que gosta do gênero, não duvido nada que John Dies at the End se torne um filme cult nos próximos anos, obrigado pela dica, para poder assisti-lo…

    Resposta
  • 25/04/2013 em 08:53
    Permalink

    Gostei. Mas me incomodou um pouco o desempenho fraco dos protagonistas…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien