Sexta-feira 13 – Parte 6: Jason Vive (1986)

Sexta-Feira 13 - Parte 6 (1986)
Jason mata, nós nos divertimos!
Sexta-Feira 13 - Parte 6: Jason Vive
Original:Jason Lives: Friday the 13th Part VI
Ano:1986•País:EUA
Direção:Tom McLoughlin
Roteiro:Tom McLoughlin
Produção:Don Behrns
Elenco:Thom Mathews, Jennifer Cooke, David Kagen, Renée Jones, Kerry Noonan, Darcy DeMoss, Tom Fridley, Alan Blumenfeld, Ann Ryerson, Tony Goldwyn, Ron Palillo, C.J. Graham, Vincent Guastaferro

Crystal Lake já não existe mais. O nome foi alterado para “Forest Green” para evitar qualquer lembrança que pudesse ser associada aos massacres ocorridos na região. Mas, essa não foi a única mudança na franquia Sexta-Feira 13. Agora, a série tornou-se uma auto-paródia, transformando o assassino Jason Voorhees num mito e acrescentando uma dose maior de cenas de humor.

Sexta-Feira 13 – Parte VI – Jason Vive começa exatamente do mesmo modo que o filme anterior. Sem retrospectiva, acompanhamos Tommy Jarvis (desta vez, interpretado por Thom Mathews, dos dois primeiros A Volta dos Mortos-Vivos) e um companheiro da instituição mental numa missão noturna no cemitério “Paz Eterna” para verificar se o corpo de Jason continua enterrado por lá. Tommy quer dar um fim nas suas alucinações constantes – como a que acontece no final do filme anterior -, e, para isso, pretende queimar os restos mortais de Jason.

Depois que o desenterra, o rapaz acerta o ferro de uma grade no peito dele por diversas vezes até que um forte raio atinge o corpo, trazendo luzes azuis e efeitos mirabolantes, além de fazer com que os olhos de Jason se abram, no melhor estilo Frankenstein. Ele mata o companheiro de Tommy e sai pela mata em busca de novas vítimas, enquanto caminha para a antiga Crystal Lake. Aqui, cabe uma boa pergunta: – por que Tommy resolveu levar até o local a máscara de hóquei de Jason?

Tommy busca ajuda da polícia e acaba sendo obrigado a sair da cidade. O Xerife não acredita na história de que Jason estaria vivo, pensando que as novas mortes da região possam ser frutos do próprio jovem que quer provar o retorno do lendário assassino. Assim, uma série de violentos assassinatos assolam a região e o acampamento “Forest Green”, onde um grupo de crianças acaba de chegar para passar o verão, ao passo que Tommy tenta, com a ajuda da filha do Xerife, mais uma vez mandar o corpo de Jason para o lago onde tudo começou.

Repleto de piadinhas como a do casal que encontra Jason na mata, a do grupo de paintball, e a da vítima que tem seu rosto esmagado numa árvore – deixando uma marca do “smile” –, esse sexto exemplar torna-se divertido por não se levar muito a sério. A primeira metade é repleta de cenas de humor (inclusive a própria abertura, numa interessante sátira a franquia 007), deixando a segunda metade com a parte mais violenta e dramática.

Sexta-Feira 13 - Parte 6 (1986) (2)

Jason segue o estilo do filme anterior, com seus passos lentos, e sua força, capaz de destruir portas e arrancar a cabeça das pessoas. Uma ótima atuação de C.J. Graham. Só não gostei da ideia de fazê-lo com uma espécie de cinto de utilidades, com ferramentas e facas. Já o novo Tommy está bem diferente do anterior: mais falante, mais risonho, mais consciente, menos violento, o que é uma falha na caracterização do personagem.

As mortes continuam sendo o ponto forte: temos uma tripla degolada, uma chave de fenda na cabeça, um coração arrancado com as mãos e um corpo dobrado para trás, além do rapaz que é empalado com uma lança. E as cenas são bem feitas e dirigidas, a cargo de Tom McLoughlin, diretor de Numa Noite Escura, de vários episódios da série Sexta-Feira 13 – O Legado e da adaptação de Stephen King, Às Vezes Eles Voltam (1991). Atualmente, está apenas comandando longas para a TV, sem destaque.

Sexta-Feira 13 - Parte 6 (1986)

Juntamente com as partes 1, 2 e a 4, Sexta-Feira 13 – Parte VI – Jason Vive está entre os melhores filmes da franquia. Depois, a série desceria até o Inferno, as boas ideias iriam para o Espaço até o remake de 2009.

Curiosidades

– apesar do raio no começo do filme, não há chuva. Isso só aconteceu duas vezes na série até o momento, aqui e no terceiro.

– primeiro filme da franquia em que Jason não mostra o rosto, não perde a máscara

– ninguém é arremessado por um vidro.

– não há cenas de nudez.

Contagem de Corpos

Assassino: Jason Voorhees
1 (36) : Allen – coração arrancado
2 (37) : Darren – empalado com uma lança
3 (38) : Lizbeth – com a lança enfiada na boca (sem pensar bobagem)
4 (39) : Burt – braço arrancado e esmagado numa árvore
5 (40) : Stan e
6 (41) : Katie e
7 (42) : Larry – decapitação tripla com um facão
8 (43) : Martin – garrafa quebrada na garganta
9 (44) : Steven e
10 (45) : Annette – empalados juntos na moto
11 (46) : Nikki – rosto esmagado contra a parede de metal de um trailer
12 (47) : Cort – faca na cabeça
13 (48) : Roy – pedaços de seu corpo encontrados na mata
14 (49) : Sissy – cabeça arrancada
15 (50) : Paula – estripada com um facão
16 (51) : Oficial Thornton – chave de fenda na testa
17 (52) : Oficial Pappas – cabeça esmagada nas mãos de Jason
18 (53) : Xerife Garris – quebrado no meio

(Visited 92 times, 1 visits today)
Marcelo Milici

Marcelo Milici

Fundou o Boca do Inferno em 2001. Formado em Letras, fez sua monografia sobre o Horror Gótico na Literatura. É autor do livro "Medo de Palhaço", além de ter participado de várias antologias de horror!

10 comentários em “Sexta-feira 13 – Parte 6: Jason Vive (1986)

  • 26/02/2018 em 10:58
    Permalink

    O primeiro Sexta Feira 13 que assisti, reprisava na NET no final dos 90 pro início dos 2000, eu nunca pegava o filme desde o começo, mas assistia até o final, um assassino invencível de máscara e que não fala nada, assim foi a minha infância, sem dúvida um filme recomendável pra quem é mais novo e ainda não conhece os filmes do Jason Voorhees .

    Resposta
  • 02/06/2017 em 15:03
    Permalink

    “Depois, a série desceria até o Inferno, as boas ideias iriam para o Espaço até o remake de 2009.”

    “Inferno”, “espaço”… Hilário!!!!

    Resposta
  • 15/01/2017 em 11:44
    Permalink

    Um dos melhores da franquia graças aos momentos de humor negro!

    Resposta
  • 22/06/2016 em 14:06
    Permalink

    Um dos melhores! Fico em dúvida se prefiro esse ou o 4. Enfim, achei o cinto de utilidades do Jason muito foda. E foi nesse filme que transformou Jason no esteriótipo de hoje, um louco de máscara que caminha para pegar suas vítimas e que é imortal. Muito foda!

    Resposta
  • 19/12/2015 em 22:48
    Permalink

    pra mim o melhor filme da série juntamente o com o 3…ponto final..

    Resposta
  • 04/11/2015 em 00:25
    Permalink

    Para mim a parte 6 depois é claro do filme que deu origem a franquia é o melhor de todos.

    Resposta
  • 15/10/2014 em 16:27
    Permalink

    Ótima critica. para mim Sexta-feira 13 parte 3 e parte 7 ( a mantança continua ) são as melhores da franquia. Depois disso, ir pro inferno desceu o nivel demais literalmente, perdeu a emoção e essencia da franquia. o remake de 2009 poderia ter dado uma aliviada no legado do jason, mas, continua sendo piada. Porém, sextafeira nao chega a ser mais piada que A noite do pesadelo rs

    Resposta
  • 11/04/2014 em 13:33
    Permalink

    Na minha opinião, uma das melhores sequencias da série.
    Jason faz um retorno triunfal à Crystal Lake, usando tudo o que sabe.
    BEM MELHOR QUE O PÉSSIMO CAPÍTULO 5.

    Resposta
  • 05/01/2014 em 22:53
    Permalink

    Sim, esse é um dos melhores filmes da série, principalmente pelo seu tom mais cômico. E mesmo que a personalidade de Tommy tenha mudado, sinceramente preferi a atuação de Thom Mathews, muito mais simpático e até “espertinho” em relação ao anterior. Digo espertinho devido à cena onde durante a fuga no carro de Megan, prega seus olhos em algo bem interessante quando estava deitado no colo dela. O Tommy anterior talvez tivesse nojo, vai saber… Não houve cenas de nudez, não houve a aparição de Jason sem máscara (na verdade houve, mas não em close) e nem por isso desvalorizou o conteúdo. Só não concordo em parte quando nas curiosidades é citado que ninguém é arremessado por um vidro. Depende do sentido. Arremessado no sentido de voar pela janela? Daí pode até ser, pois Paula chegou a ser jogada contra uma… rs! Se considerarmos a temível parte 5 como uma “divisora da franquia” ou simplesmente como uma parte “inexistente” entre as partes 4 e 6, a parte 6 é a melhor a partir desse novo início, com o Jason ressuscitado. Depois desceu até o inferno, realmente… E nem sequer o filmes Freddy Vs Jason conseguiu levantar um pouco o meu interesse, principalmente devido à direção ridicula de Ronnie Yu nesse filme. Só mesmo o remake pra voltar a me alegrar, mas como todo sucesso tem suas consequências, já estão planejando a parte 2… vamos esperar!

    Resposta
  • 15/12/2013 em 13:38
    Permalink

    adoro os filme antigos do Jason,me faz lembrar da minha infância assistindo filmes na tv aberta tarde da noite.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien