Críticas

Príncipe das Sombras (1987)

Um assustador suspense sobrenatural que trata de possessão demoníaca, religião, conspirações da Igreja e até viagem no tempo!

Príncipe das Sombras (1987)

Príncipe das Sombras
Original:Prince of Darkness
Ano:1987•País:EUA
Direção:John Carpenter
Roteiro:John Carpenter
Produção:Larry J. Franco
Elenco:Donald Pleasence, Lisa Blount, Jameson Parker, Victor Wong, Dennis Dun, Susan Blanchard, Anne Marie Howard, Dirk Blocker, Jessie Lawrence Ferguson, Peter Jason

Suponha que há uma mente universal controlando tudo. Um deus que controla até as partículas sub-atômicas. Toda partícula tem sua antipartícula. Sua imagem semelhante… seu lado negativo.
Professor Birack

Após o fracasso injusto de Aventureiros do Bairro Proibido e totalmente p da vida com os grandes estúdios, John Carpenter assinou contrato com a pequena Alive Films, que previa a produção de quatro filmes de baixo orçamento, mas que em compensação daria muito mais liberdade para o veterano diretor. O primeiro deles foi justamente Príncipe das Sombras um assustador suspense sobrenatural que trata de possessão demoníaca, religião, conspirações da Igreja e até viagem no tempo!

Tudo tem início quando o padre Loomis (será parente do Dr. Loomis de Halloween?), interpretado pelo grande Donald Pleasence, descobre o segredo que um antigo padre guardava quando este acaba de falecer. Trata-se de uma chave e um diário que contém segredos importantes sobre a possível vinda do anticristo. Enquanto isso em uma faculdade de Física em Los Angeles, o professor Birack (Victor Wong de Aventureiros) está dando mais uma aula para seus alunos, Catherine (Lisa Blount), Brian (Jameson Parker), Kelly (Susan Blanchard) e Walter (Dennis Dunn, também de Aventureiros). Birack não é o típico cientista que alguém espera que seja. Chega a abandonar a razão muitas vezes e entrar em papos filosóficos como quando diz: Tudo isso é falso! Libertem-se da realidade clássica. A nossa lógica em nível subatômico é só fantasmas e sombra.

O tal padre Loomis descobre que a tal chave tão querida pelo falecido padre abre as portas de um salão da igreja que guarda um sinistro segredo. Para ajudá-lo na descoberta do segredo, Birack é chamado para um encontro onde o padre lhe explica a crítica situação. Ao que parece o padre falecido fazia parte de uma seita chamada A Irmandade do Sono, que de tão secreta nem o próprio Vaticano sabia de sua existência. A tal Irmandade, a cada geração, escolhia um padre para guardar a igrejinha da cidade e seu maior segredo, um enorme cilindro que contém um líquido misterioso. O problema é que o tal líquido é nada menos que o filho de Satã!

Príncipe das Sombras (1987) (5)

Com a intenção de provar cientificamente os relatos contidos em um livro e por consequência a verdade sobre a vinda do AntiCristo, Birack e Loomis organizam uma junta científica para ir na igreja e estudar as provas. Além dos estudantes de física de Birack se juntam à linguista Lisa (Ann Yen) , à radiologista Susan (Anne Marie Howard), Leahy (Peter Jason, do posterior Eles Vivem) , o microbiólogo Calder (Jessie Lawrence Ferguson , mais conhecido como o gângster que tem os dedos cortados no comecinho de Darkman) e o bioquímico Frank (Robert Grasmere). No começo ninguém sabe ao certo o que pesquisar, o que aguça a curiosidade de todos. Só que ao passo que vão descobrindo a verdade sobre os escritos e sobre o tal líquido coisas estranhas vão acontecendo na Igreja.

Começa com os mendigos da rua que estão aparentemente em um estado de zumbificação e matam todos que tentam sair da igreja. E o líder deles é ninguém menos que o famoso cantor de rock Alice Cooper.

Em outro momento, quando Susan está sozinha com o tal cilindro, é possível notar que há um vazamento dele e a água ao invés de escorrer pelo chão está se acumulando no teto! É aqui que Carpenter economiza uma boa grana em efeitos especiais usando o truque mais velho da história do Cinema. Somente colocando a câmera invertida fazendo parecer que o cilindro está pingando para cima e o teto está alagando. E quando Carpenter precisa que a água do teto desça simplesmente retrocede o filme! Efeitos extremamente simples e que não gastam um centavo, um ótimo exemplo para diretores de hoje em dia que acham que efeitos especiais são a solução pra tudo. Voltando ao filme, Susan recebe um jato do tal líquido na boca e na mesma hora fica possuída e vira uma espécie de zumbi e começa a infectar um a um dentro da igreja sempre vomitando o líquido na boca de suas vítimas.

Príncipe das Sombras (1987) (2)

Príncipe das Sombras é um daqueles filmes que além de serem assustadores ainda jogam mensagens filosóficas para o público. Carpenter em seu roteiro (ele assina como Martin Quatermass) mostra o filho de Satã como algo físico e não espiritual, e em um momento o padre interpretado por Donald Pleasence – totalmente chocado com as novas revelações – explica: Decidiram fazer do mal uma força espiritual (…) Era mais conveniente. Assim o Homem ficava no controle. Mentira Idiota! Eramos vendedores, só isso. Vendíamos nosso produto aos que precisavam. Uma vida nova, gratificar-nos, punir inimigos para nossa verdade reinar. E Carpenter ainda vai mais longe com revelações como a de que Jesus seria na verdade um alienígena! Não sei como o filme não ocasionou alguma confusão com grupos católicos ou a própria Igreja, já que Dogma de Kevin Smith deu toda aquela confusão por muito menos. Outro detalhe interessante do roteiro, e que não é bem explicado, é um estranho sonho: todos que dormem nos arredores da Igreja e recebem uma imagem assustadora da fachada da igreja e de um silhueta gigantesca saindo dela (será o demônio finalmente liberto?) isso com uma narração de fundo que explica que o que estamos vendo não é um sonho e sim uma mensagem do futuro. Uma cena que consegue dar um frio na espinha.

Em certo momento um dos pesquisadores é infectado com todo o líquido do recipiente e se transforma em uma espécie de hospedeiro do mal. Seu corpo vai se transformando lentamente com barulhos de ossos se partindo e se reorganizando e seu rosto começa a ficar cheio de pústulas e feridas no melhor estilo exorcista. A maquiagem excelente ficou a cargo de Frank Carrisosa, que voltaria a trabalhar com Carpenter em Eles Vivem. Isso tudo aos olhos de um amedrontado Walter (Dennis Dun), que fica preso em um armário e seu único modo de se comunicar com os outros sobreviventes é através de uma parede. Esse é um dos momentos mais angustiantes do longa, onde os sobreviventes na outra sala tentam quebrar a parede para salvar Walter. Outro momento interessante é quando o padre Loomis está escondido em um cômodo tentando fugir dos possuídos e ao rezar, começa a chorar e questionar onde estaria Deus nesse momento. Uma ótima cena, onde Pleasence simplesmente brilha.

Príncipe das Sombras (1987) (4)

Príncipe das Sombras se saiu bem nas bilheterias, já no primeiro fim-de-semana se pagou (o filme custou 3 milhões e faturou mais de 4 milhões e seiscentos mil) e o total arrecadado ao fim das exibições nos cinemas foi de mais de 14 milhões só nos Estados Unidos. Mas se por um lado foi um êxito comercial e de público, os críticos continuaram a pegar no pé do diretor, segundo ele: O filme não foi bem sucedido pela crítica. Eles estavam zangados porque eu tinha voltado ao terror. Existe uma coisa de governar e perdoar na sociedade americana. Querem construir todos os nossos heróis para depois destruí-los. Quando voltam e se rendem, nós os aceitamos. Mas o herói que é construído e destruído e volta para fazer algo ‘ruim’ ninguém entende, e por isso ninguém consegue entender porque eu resolvi voltar a fazer filmes de terror e foi porque eu estava muito cansado dos estúdios. E sobre a vontade de fazer o filme, ele também comenta: Eu queria trabalhar com Donald Pleasence novamente e queria trabalhar com alguns atores asiáticos com quem havia trabalhado em ‘Aventureiros do Bairro Proibido’, e eu queria fazer um filme verdadeiramente assustador. É, parece que conseguiu, como sempre.

Leia também:

13 Comentários

  1. Marcelo Alexandre da Silva

    Por que 4 estrelas para um filmasso desse?

    • paulo

      é um bom triller ,sou fã de Carpenter mas não é seu melhor filme acho que 4 estrelas está muito bem classificado.

  2. Calígula

    Ótima crítica. Assisti este filme numa exibição do SBT no início da década de 1990, eu acho; e acredito que vi mais uma vez posteriormente. Gostei muito, é realmente assustador, e todo o fã de filmes de terror que conheço, ao assisti-lo, ficou muito satisfeito também!

  3. Rogério

    passou agora pouco no SPACE ….a cena do espelho é a melhor

    • paulo

      passa no tcm agora bastante.

  4. Cristiano

    Muito bom este filme, tem ótimas cenas principalmente as cenas do sonho, eu tinha oito anos quando assisti este filme.

  5. Carlos

    “Birack não é o típico cientista que alguém espera que seja. Chega a abandonar a razão muitas vezes e entrar em papos filosóficos como quando diz: Tudo isso é falso! Libertem-se da realidade clássica. A nossa lógica em nível subatômico é só fantasmas e sombra.”

    Veja bem amigo. Ele pode não ser o típico cientista que um LEIGO espera do clichê, porque sua frase é cientificamente impecável. Birack fala do comportamento das partículas em nível subatômico, onde comparado ao mundo clássico newtoniano macroscópico, só podemos medir probabilidades: fantasmas e sombra.
    No mais, parabéns pela crítica. O filme é primoroso.

  6. Filmaço. Eterno clássico oitentista.

    Deixo aqui meu Blog para os amantes de filmes de Terror
    Você encontra esse e outros filmes pra baixar em:

    http://bautrash.blogspot.com.br/

  7. amandio l b

    ehhh!!!!! eu fico quebrando a cabeça procurando filmes bons de terror! e me deparo com esse filme foda! ai vem a cabeça! tenho que continuar a penerar nos anos 80! muito bom mesmo!

  8. Jeferson

    Filme foda! A cena do contato feito pelo sonho sempre me arrepia! Sem contar aquela sequencia final foda, com uma sequência de câmera perfeita!

  9. Augusto

    Carlos Dente, respondo, em parte, à sua pergunta: a falta de orientação dos pais. Antes tinhamos quem nos orientar e educar. Poderíamos assistir a qualquer coisa que sabiamos diferencia o joio do trigo. Hoje, com a ausencia de um responsavel, qualquer coisa é considerada nociva, menos a apatia dos pais, lógico.

  10. Carlos Dente

    Quantas vezes assisti esse filme no antigo’ Cinema em Casa’… Quando criança (e depois de adulto, ainda hoje) a idéia de poder enviar uma mensagem de volta no tempo me fascinava. / / Bons tempos que se conseguia assistir filmes de Terror em uma trade de folga, em casa. Hoje a censura não permite, pois tais filmes seriam “má influência” para os jovens, o que me leva à perguntar: nestes tempos de “bandeira verde”, o que então está destruindo a índole e a moralidade dos jovens que não podem assistir estes filmes “ruins”, onde Bem e mal são tão bem definidos.

    • vanessa vasconcelos

      concordo totalmente 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *