Críticas

D.R. (2012)

Uma bela surpresa. Divertido, com ótimas atuações e efeitos, principalmente sonoros, arrepiantes!

DR (2012)

D.R.
Original:D.R.
Ano:2012•País:Brasil
Direção:Felipe M.Guerra, Joel Caetano
Roteiro:Felipe M.Guerra
Produção:Felipe M.Guerra, Joel Caetano, Mariana Zani
Elenco:Oldina do Monte, joel Caetano, Mariana Zani

O sonho de qualquer genro é ter uma sogra com o talento de Dona Oldina do Monte, capaz de transformar uma discussão de relacionamento – a famigerada DR – num ambiente propício para o deleite dos fãs do gênero. A união das produtoras independentes Necrófilos Produções Artísticas e RZP – Recurso Zero Produções permitiu á realização do curta D.R., co-dirigido por Felipe M.Guerra e Joel Caetano.

Ambos os jovens cineastas já provaram a capacidade de contar histórias sangrentas com o mínimo de recursos, mas com a disposição que falta para o cinema brasileiro. Guerra, de curtas como Mistério na Colônia (2003), Extrema Unção (2010) e O Estripador da Rua Augusta (2014), e Caetano, de Gato (2009), Estranha (2011) e Morte e Morte de Johnny Zombie (2011), realizaram D.R. em apenas um dia, sem grana, e ainda assim deram um tratamento ágil e violento, em apenas dez minutos.

No enredo, a sogra (Oldina) e a esposa (Mariana Zani) discutem as atitudes consideradas erradas do marido Felipe (Joel), um ato comum em qualquer relacionamento e que muitas vezes terminam em ofensas e separações. “Ele finge que não me escuta” e “Ele me maltrata descaradamente” são algumas das falas da esposa, que ainda aponta problemas típicos como olhar para outras mulheres e a aparição de uma marca de batom no pescoço. Cabisbaixo, Felipe parece arrependido ou com vergonha de se defender, mas, na verdade….

Uma bela surpresa. Divertido, com ótimas atuações e efeitos, principalmente sonoros, arrepiantes o curta ainda traz uma referência a uma cena de pesadelo de Aniversário Macabro (1972), que fará o espectador se contorcer no assento. Portanto, antes de se sentar com seu companheiro para discutir a relação, vale a pena experimentar esse chute no estômago do cinema independente!

Leia também:

1 Comentário

  1. Não gostei, ficou previsível demais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *