Black Vomit Filmes: canibais nazistas, feto morto, Troma, cerveja e putaria!

Black Vomit

por André ZP

O estúdio/produtora/distribuidora nova-iorquina Troma caracterizou-se no mundo dos filmes-B como a bam-bam-bam das fitas que misturar horror, humor e sexploitation. Vingadores tóxicos, surfistas nazistas e as mais apetitosas tromettes invadiram o mundo – com o mentor Lloyd Kaufmann comandando a guerrilha – deixando um rastro de deboche, sangue, peitos e escracho ao american way of life por onde tenha passado.

Da mesma forma que a velha Manhattan encontra diversas semelhanças com a nossa São Paulo, o estúdio de lá já tem por aqui sua “versão brasileira“: a Black Vomit Filmes, que tem à frente o cinéfilo, agitador cultural e beberrão Fernando Rick.

Com a ajuda de Rui Villani, Márcio e Renato “Satan”, ele realizou seu primeiro filme em 2002, chamado Rubão, o Canibal, sobre nazistas canibais que vivem no meio do mato e apavoram três amigos que estavam passando por lá. Realizado com uma câmera digital, ajuda dos amigos no elenco e na equipe, e uma enorme quantidade de maquiagem e imaginação, o filme, Rick e a Black Vomit foram ficando conhecidos no meio do cinema under-underground nacional de horror (que antes era praticamente trilhado sozinho por Petter Baiestorf e sua Canibal Produções).

Ótimas vendas e uma boa repercussão do canibal Rubão levaram Rick a pensar em seu próximo filme. Contando basicamente com a mesma equipe, só que dessa vez com um maior cuidado técnico, Rick surge agora com Feto Morto.

O filme, de 60 minutos, conta a história de um sujeito chamado João do Feto Morto (uma ótima e divertida interpretação de Rui Villani), que como o apelido diz, nasceu com um bebê morto grudado na cabeça devido a uma relação incestuosa de seus pais? E o que dizer se as aventuras do protagonista esbarram num padre cheirador, um bêbado pederasta, um aleijado corinthiano, uma gangue que esmurra mulheres e mata crianças, um Exu mestre em kung-fu e outros personagens bizarros saídos de uma mente doentia? E se ainda tiver nudez frontal gratuita, a “musa” trash Denise V. (que quase entrou no Big Brother Brasil) mostrando mais os peitos que a cara, litros de sangue e uma cena onde um cara é castrado e morre com o próprio pênis enfiado na barriga? É claro que temos aí um clássico instantâneo da filmografia nacional bagaceira.

Black Vomit (2)

Mas não pensem que reina a tosqueira técnica usual dos filmes do Baiestorf (seja ela involuntária ou não). Rick, novamente seguindo o exemplo do mestre Kaufmann, procura eliminar, a todo momento, qualquer tipo de tempo morto (aqueles planos mais longos que deveriam ser). O resultado ainda não é 100%, mas ainda assim, está anos-luz a frente do anterior Rubão. A montagem de Feto Morto é um espetáculo à parte, recheada de cortes ágeis e ritmo, e olha que é muito difícil realizar algo assim em uma hora de filme, editando no programa Adobe Premiere, que só dá pau. E ainda por cima, a Black Vomit saiu na frente e lançou o primeiro vídeo independente em DVD no Brasil. O disco, além do filme, ainda traz trailers da Black Vomit e da Quizumba Filmes (produtora de São Carlos), um clipe da banda death metal Evokers (dirigido por Rick), além da cereja no bolo: um making of divertidíssimo, cheio de cenas hilárias e entrevistas com elenco e equipe (onde cada um faz mais questão de xingar o outro do que falar sobre a produção propriamente dita).

E esse pequeno, porém presente público, que curte ver toda essa podreira na TV, aguarda ansioso a próxima produção dos dementes da Black Vomit. Reconhecimento entre os fãs de horror e matéria de duas páginas na revista Cine Monstro depois, vejamos então o que tem a dizer o carniceiro-mor da produtora, Fernando Rick, numa exclusiva para o Boca do Inferno:

Boca do Inferno: Então quer dizer que o protótipo da Black Vomit era uma produtora “séria“, que seria especializada em filmes “góticos“? Fala um pouco sobre esse começo.

Rick: Ah, não era bem isso. Isso foi antes de Black Vomit se formar, queríamos fazer uns filmes mais sérios, o problema era que não tínhamos nem equipamento e nem experiência, aí desistimos daquela merda e eu resolvi fazer algo na linha Baiestorf-Troma, e deu no que deu!

Boca do Inferno: Assistindo a Rubão, o Canibal e Feto Morto, dá pra ver bastante influência de Sam Raimi e Peter Jackson antigos. O que mais tem de influência escondida nas cenas que você cria?

Black Vomit (3)

Rick: Tenho bastante influência da Troma e seu presidente e fundador Lloyd Kaufmann, também tenho influência de Jörg Buttgereit, Lucio Fulci e de filmes asiáticos em geral, que são as coisas mais insanas e retardadas que existem.

Boca do Inferno: Você disse uma vez que a Black Vomit tem o espírito e o “jeito de ser” da Troma. Pode-se dizer que Lloyd Kaufmann seria seu “guru espiritual“, no sentido de inspirar o estilo de produção e despojamento total da Black Vomit?

Rick: A Troma é uma das principais influências pelo jeito que fazem cinema. Isso sim é cinema Guerrilha, feito por um bando de doidos que amam filmes e fazem como podem pra filmar alguma ideia, mesmo que essa ideia for explodir uma escola cheia de retardados mentais (Toxic Avenger 4) e eles não tiverem dinheiro pra explodir nem uma maquete, eles dão um jeito. Nada de gastar uma fortuna pra fazer um filme divertido, nada de historinhas mela cueca, o que queremos são lésbicas peladas, cerveja e galões de sangue!

Boca do Inferno: Você já teve problemas com algumas pessoas ou instituições devido às cenas que poderiam considerar “politicamente incorretas” de seus filmes? Tipo católicos, punks, comunistas…

Rick: Não tive e acho que nem vou ter tão cedo. Hoje em dia, todos estão bem mais acostumados a este tipo de coisa. Claro que não é normal, mas hoje em dia o povo já esta mais preparado pra isso. É muito dificil deixar alguém chocado hoje em dia, e o máximo que acontece, são discussões idiotas, gente querendo achar pelo em ovo.

Black Vomit (4)

Boca do Inferno: Rubão e Feto Morto seguiram uma linha mais debochada, com o gore unindo forças com a comédia escatológica. E seu próximo projeto é uma série de três curtas baseados em casos escabrosos narrados pelo programa de TV do Alborghetti. A intenção é caracterizar a Black Vomit dentro dessa linha de filmes, ou você pretende, no futuro, fazer algo, digamos, mais “sério”?

Rick: Não tenho um plano pro futuro da Black Vomit, simplesmente fazemos o que nos dá na telha. Nosso próximo projeto será uma parceria com os vagabundos da Quizumba Filmes! Vamos fazer os curtas mais doentes que esse país do caralho já viu! Teremos putaria, efeitos de primeira, cerveja e sangue à vontade. Será um pouco diferente dos dois primeiros filmes da Black Vomit, pois será um pouco mais sério, porém, mais doentio.

Boca do Inferno: Quem bebe mais cerveja na Black Vomit? Você, o Rui, o Márcio ou o Satã?

Rick: Ah, de longe, eu! Os caras chegam numa hora em que pedem arrego, eu só paro pra dormir e pra vomitar!

Boca do Inferno: E essa “queda do mito” que o Satã sofreu no making of do Feto Morto? Qual a reação dos fãs que viram ele brincando de gangorra e dançando Rouge?

Rick: Hehehehe! Dos fãs eu não sei, mas do Satan não foi muito boa! Ele ficou fudido com isso. Estávamos combinando de fazer essa porra desde o começo das filmagens, pois sempre o Satan tem uns ataques homossexuais como esses que mostramos. Era pra ser um mini documentário, mas fiquei com uma preguiça da porra de editar tudo, e acabou ficando só com uns 5 minutos dentro do making of! O pessoal que viu achou bem engraçado, ele na gangorra, rindo que nem criança é muito bizarro!

Boca do Inferno: Em todas as entrevistas tuas que li, te perguntam como foi que você achou as “atrizes” do Feto Morto. Bem, como todos já sabem que elas são garotas de programa, aqui vai a pergunta nova: alguém da equipe traçou alguma?

Rick: Haha! Não posso contar que o Rui foi tomar banho com uma daquelas putas feias e que não comeu, mas ganhou uma punheta e gozou na cara dela!! Se ele ler isso ele via ficar puto! Mas é verdade! Reparem na cena em que ela esfrega a teta na cara dele, a língua dele tentando lamber o bico dela é muito engraçado.

Black Vomit (5)

Boca do Inferno: E elas chegaram a ver o filme? Se viram, o que acharam?

Rick: Não viram, felizmente! hehehe! Se elas virem eu to fudido!

Boca do Inferno: Feto Morto foi o primeiro vídeo independente brasileiro a ser lançado em DVD. As vendas recentes tem mostrado que a procura aumentou, já que muita gente já abandonou os vídeo-cassetes?

Rick: Cara, raramente sai VHS. Todo mundo só quer em DVD! Um aparelho de DVD hoje é o mesmo preço de um vídeo-cassete. Daqui uns 3 ou 4 anos ninguém mais comprará fitas. VHS é uma merda. Mofa, estraga, fica com um zunido filho da puta no som… DVD é maravilhoso, imagem e sons perfeitos, edições especiais recheadas de extras. Qualquer fã de cinema ama DVD! E nós, bêbados como somos, prevemos que VHS é uma merda, fizemos a tralha em DVD, e foi tiro e queda. Vendemos uns 20 VHS do Feto Morto até agora e mais ou menos uns 100 DVDs. E todo mundo me pergunta quando vou lançar o Rubão em DVD!

Boca do Inferno: E você acredita que a maior parte dessas vendas é pelo site na Internet ou pelos flyers espalhados em shows e a propaganda boca-a-boca? É que muita gente afirma que a ajuda da internet na divulgação de bandas e filmes independentes é uma ilusão…

Rick: A Internet é o principal! Temos muitas vendas lá na loja Mutilation Records, que é a loja que vende nossos filmes aqui em SP e temos muita ajuda deles. Mas pela internet é o meio de divulgação principal. Sem contar quando sai alguma coisa em revista, zines, etc.

Boca do Inferno: Bom, agora a pergunta difícil, que você VAI TER que responder: trilogia Evil Dead ou o catálogo completo da Troma?

Rick: Puta merda. Ai é difícil. O catálogo COMPLETO da Troma tem 80% de merdas que nem da pra assistir, só que tem clássicos absolutos como Citzen Toxic, Terror Firmer, Tromeu e Julieta, Toxic Avenger 1, etc… Mas Evil Dead foi a desgraça responsável por eu gostar de filmes do tipo, tanto que tenho 2 tatoos do filme. Quer saber? Não vou responder essa porra! Essa merda de pergunta é igual aquela – se você fosse pra uma ilha deserta, quais CD’s você levaria? É uma merda porque ninguém vai pra uma ilha deserta. E eu posso ter tanto o Evil Dead como os da Troma, então FODA-SE! Hehehehe!

(Visited 579 times, 1 visits today)
Autor Convidado

Autor Convidado

Um infernauta com talentos sobrenaturais convidado a ter seu texto publicado no Boca do Inferno!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *