23 Anos de Boca do Inferno: Os Melhores Filmes que Acompanharam o Site

4.9
(14)

Quando o assunto são os melhores filmes de terror de todos os tempos, há de se levar em consideração fatores técnicos, importância e gosto pessoal. Por isso é quase impossível um consenso, uma produção que seja absoluta em todos os critérios, até porque filmes como O Exorcista (The Exorcist, 1973) e A Noite dos Mortos-Vivos (Night of the Living Dead, 1968) possuem admiradores tanto quanto aqueles que não “enxergam tudo isso“, não gostam da construção lenta e dramática da possessão de Regan e nem da fotografia em preto e branco e quase total ausência de maquiagem no clássico de George Romero. Pode-se citar outros exemplos como Halloween – A Noite do Terror (Halloween, 1978), que já li comentários sobre o filme ser um slasher com apenas três mortes, e até mesmo A Morte do Demônio (The Evil Dead, 1982), com efeitos e atuações não tão convincentes dentro da proposta.

Por essa razão, entre os fatores a serem levados em consideração, vejo como principal a importância do filme na época de seu lançamento. Quando analisamos a essência, entendemos o quanto uma produção tem a capacidade de influenciar outras, ser uma das primeiras lembradas em rodas de conversa, citadas em qualquer curso de cinema e até entre os jovens quando se falar em terror. Não precisa dar medo – quem ainda sente? – ou ter vários sustos (os chamados jumpscares), mas ser relevante.

Pensando na comemoração do vigésimo terceiro aniversário do Boca do Inferno, desde o mês passado foram feitas enquetes sobre os Melhores Filmes, desde o ano de fundação do site, em 2001. Participaram da votação membros da Aberst, cineastas brasileiros, fãs de terror e, claro, a própria equipe que compõe o site. Abaixo você confere o resultado da votação, além de comentários meus sobre a escolha e qual seria a minha. Fique à vontade para discordar, a partir dos seus critérios pessoais.

2001
Melhor Filme: Os Outros (The Others)
Participaram da votação: Daniel Medeiros, Ivandro Godoy, Rogério Saladino, Úrsula, Diego Scariot, Samuel Bryan, Débora Gimenes, Trycia Mello, Rubens Mello, Paula Albuquerque, Patty Fang, Morgana, Analu, Patrick Paiva, Ronaldo B. Monteiro, Ramiro Giroldo, Eduardo Morpheus Affinito, Renato José Galavoti Filho, Vinícius J.Santos, Nivaldo Neto, Marta Souza, Vincento Hughes, Antônio Pedro de Souza, Silvana Perez, André Botelho, Maurilei, Rodrigo Huagha, Queops Negronski, Kiko, Elise Siqueira, Eduardo Santana, Leonardo Vieira Cordeiro, Saul Edgardo Mendez Sanchez Filho, Gregory Souza, César Rocha, Giulia, André Alves, Taison Natarelli, Daiane, Gustavo Basso, Cleiton Lopes, Arthur Kenji, Lucas Fragoso Pimentel, Eduarda, Felipe Jesus, Perola Krissia, Katerine, Euller Felix, Caio Braga Pimenta, Lui, Scott Magrão, Louise, Ítalo Passos, Jenny Müller, Jeff, Lucas Crizza, Natália Malini, Jorge Alexandre Moreira, Cecilia, João Umberto, Ricardo Gazolla, Luciano Reis, Mizaki, Clerio Lopes Jr, Gabriel Diniz dos Santos, Danilo Morales, André Luiz Brandão Cisi, Roseana, Renato Dutra, Tati Klebis, Larissa, Ivo Costa, Vera Carvalho Assumpção, Marcelo Ferreira, Gurcius Gewdner, Alexia Pontes, Marina Maria, Yara, Claudia Cunha, Paula, Marília, Rafael, Janderson Rodrigues, Alessandra C. de Lara, Natália, Gustavo Henrique Camillo, Jaques, Renata Maggessi, Marcos Tadeu, Day Celestino, Ruan, Guilherme Barreto, Rafael Assis, Luiz Fernando Pina Sampaio, Paulo Blob, Kênia Francine Rodrigues, Nilvio Pessanha Pinheiro

Comentários: Os Outros é um filmaço realmente, mas traz traços de outras produções fantasmagóricas, com grande influência do clássico Os Inocentes. Para mim, em um ano em que teve A Viagem de Chihiro, Dagon, Fácil de Enterrar e Sessão 9, o melhor é Donnie Darko. Não tem como não aprender com o personagem de Jake Gyllenhaal, um rapaz bipolar, com atitudes estranhas e a capacidade de modelar seu destino. Após sobreviver a um acidente peculiar, ele passa a observar essa nova realidade, enquanto proporciona discussões sobre atitudes impensadas e a capacidade que temos de influenciar o mais próximo. Com uma autorreflexão na materialização de seu ego – um coelho assustador – Donnie Darko é capaz de manipular, agredir e se apaixonar nas mesmas proporções, a partir de seu mundo particular. Richard Kelly fez um filme incrível, com o apoio da ótima fotografia e da trilha sonora bem escolhida. Na votação, ele ficou em terceiro lugar, com 13 votos!

2002
Melhor Filme: O Senhor dos Anéis – As Duas Torres (The Lord of the Rings: The Two Towers)
Participaram da votação: Natália, Diego Scariot, Úrsula, Cleiner Micceno, Vinícius, Mizaki, Patrícia, João Pires, Samuel Bryan, Djalma Marquesani, Rogério Saladino, Lucas Marchetti, Patty Fang, Analu, Patrick Paiva, Ronaldo Monteiro, Ales de Lara, Ramiro Giroldo, Marília M.N.A., Paula, Marina Maria, Marianna Sanfelicio, Gabriel Diniz dos Santos, Rodrigo Huagha, Nivaldo Neto, Yasmine Evaristo, Marta Souza, Marcelo Ferreira, Luiz Fernando Pina Sampaio, Elise Siqueira, Ian, Rodrigo, Kiko, André Botelho, Vincento Hughes, Luciano Reis, Giulia, Ivo Costa, André Alves, Silvana Perez, Jorge Alexandre Moreira, Gustavo Basso, Danilo Morales, Daniel Medeiros, Scott Magrão, Louise Minski, Rubens Mello, Vera Carvalho Assumpção, Arthur Kenji, Juliana Oliveira, Ivandro Godoy, Luciano, Paulo Blob

Comentários: Não dá para ignorar as qualidades técnicas da trilogia de Peter Jackson. O primeiro filme ficou em segundo lugar na votação de 2001, e aqui ocupou o topo com 11 votos. Foi o ano de Extermínio, Sinais, O Olho que Tudo Vê, A Cabana do Inferno, Dog Soldiers, The Eye – A Herança e tantos outros, o que dividiu bem as escolhas. Fico com Extermínio. Depois de lançar Dia dos Mortos, em 1985, com baixa aceitação da crítica, George A.Romero acreditava que os zumbis estavam definitivamente enterrados. Alguns exemplares fracos foram feitos a partir daí, tendo raras exceções como o sangrento Fome Animal, de Peter Jackson, de 1992. O cineasta multifacetado Danny Boyle não se estabelecia em um único gênero e apresentou sua visão sobre os mortos-vivos através dos infectados de Extermínio. Com crítica social, tal qual o Pai dos Zumbis, o filme traz Cillian Murphy como um rapaz que acorda para uma realidade assustadora, tendo que conviver com uma família enquanto descobre o quanto a sociedade pode ser mais podre do que a pele dos doentes. Extermínio foi o filme que despertou os mortos para o novo milênio, influenciando o remake Madrugada dos Mortos, Terra dos Mortos, do próprio Romero, e até [REC]. Teve 7 votos, ficando em segundo lugar nas preferências.

2003
Melhor Filme: O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei (The Lord of the Rings: The Return of the King)
Participaram da votação: Rafael, Danilo Morales, Patty Fang, Marília, Guilherme Barreto, Diego Scariot, Ian, Giulia, André Luiz Brandão Cisi, Arthur Kenji, Renato José Galavoti Filho, Djalma Marquesani, Daiane, A. T. Sergio, Morgana, Marianna, Vinicius J Santos, Tati, Michele, Scott Magrão, Gabriel Diniz dos Santos, Andre Botelho , Louise Minski, Samuel Bryan, Neto, Gustavo Basso, Jeff, Analu, Ronaldo Monteiro, Ricardo Gazolla, Elaine Dias, César Rocha, Lucas Marchetti, Marina Maria, Lanusse, Daniel Medeiros, Rubens Mello, Rogerio Saladino, Mariana, Patrick Paiva, Marina, João Pires, Natália Malini, Caio Pimenta, Vincento Hughes, Rodrigo Huagha, Sharles Maurício Mariano, Lucas Tavares, Elise Siqueira, Paula, Taison Natarelli, Vera Carvalho Assumpcao, Luciano Reis, Ruan, Isabela, Diego Betioli, Cássio Augusto, Alysson Santana, Marcelo Ferreira, Vinicius Machado, Bruna, Carlos Eduardo Vilaça de Lima, Cleiner Micceno, Luandson, Ivo Costa, Clerio Lopes Jr., Enna, Natália, Walter Alves de Luna, Daniel, André, Kênia Francine Rodrigues, Luiz Fernando Pina Sampaio, Rodney de Almeida Santos, Denise, Yves Lacoste, Igor Gomes e Silva Costa, Gabryelle, Renata Gonçalves Santos, Diego, Marcelo, Dylan, Natália

Comentários: Mais uma vez deu Peter Jackson na cabeça, com 25 votos, seguido por Pânico na Floresta (12 votos) e Alta Tensão (11 votos). 2003 trouxe para o cinema, além dos citados, obras como o remake de O Massacre da Serra Elétrica, o tenso Mar Aberto, o intrigante Identidade, além de A Casa dos 1000 Corpos, Olhos Famintos 2 e até Freddy Vs Jason. É provável que você torça o nariz para a minha escolha: dentre tantas produções interessantes lançadas em 2003, a indicação desse slasher de Rob Schmidt, o popular Pânico na Floresta, como referência? No entanto, é impossível não admitir que esse filme, inspirado em produções da década de 70, sobre um grupo de jovens perdidos numa floresta tendo que enfrentar mutantes canibais, trouxe centenas de filhotes bastardos similares, no estilo survivor horror (Viagem Maldita, para citar um). Entre clichês e violência barata e artificial, há um terror claustrofóbico, com cenas tensas e desespero, que, na época, fez os fãs de horror vibrarem pela ousadia do roteiro de Alan B. McElroy.

2004
Melhor Filme: Jogos Mortais (Saw)
Participaram da votação: André Luiz Brandão Cisi, Diego Scariot, João Pires Neto, Rogerio Saladino, Louise Minski, Vinicius Machado, Ivo Costa, Jorge Alexandre Moreira, Sil Perez, Ricardo Gazolla, Natália Malini, Scott Magrão, Úrsula, Giulia, Marta Souza, Danilo Morales, Juliana Oliveira, Marília, Débora, Jeff, Paula, Patty Fang, Lise Santana, Larissa, Vinicius José dos Santos, Kênia Francine Rodrigues, Marcelo Ferreira, Ronaldo Monteiro, Bruna, Diego, André Botelho, Rubens Mello, Janderson, Cleiner Micceno, Luciano Reis, Taison Natarelli, Vincento Hughes, Lis, Natália, Lanss, Morgana Leal, Ian, Vera Carvalho Assumpção

Comentários: Com 13 votos, foi o longa mais bem avaliado pelos 46 votantes. Tinha como opções Janela Secreta, Madrugada dos Mortos, O Grito, Plataforma do Medo e até Espíritos – A Morte está ao seu Lado, que ocupou a segunda posição com 10 votos. Apesar dessas ótimas opções, fico com a voz da maioria. Direção acelerada no ritmo da geração MTV e final surpresa, os jogos criativos de um serial killer que não mata ninguém desenvolveram inúmeros subprodutos, além de mostrar para Hollywood que filmes baratos podem trazer lucro para os estúdios. Ambiente único, poucos personagens, Jogos Mortais cresceu com os novos fãs de horror e criou uma espécie de data comemorativa com o lançamento anual obrigatório de uma continuação. A partir daí, vários assassinos começariam a aprisionar suas vítimas em desafios bem parecidos, mas com resultados pouco satisfatórios.

2005
Melhor Filme: Abismo do Medo (The Descent)
Participaram da votação: Andréa Nunes, Vinicius Machado, Ciro Oliveira, Patty Fang, Diego Scariot, Diego, Daniel Medeiros, Giulia, Lívia, Jeff, Sharles Mariano, Marta Souza, Marcelo Ferreira, Vincento Hughes, Marília, Beatriz da Silva Fraga Nunes, Gabriel Diniz dos Santos, Ricardo Gazolla, Graciela, Denise, Gustavo Basso, Claudio, Arthur Kenji, Rogerio Saladino, Andre Botelgo, Analu, Ivandro Godoy, Taison Natarelli, Hilda Lopes Pontes, Yasmine Evaristo, Louise Minski, Marina Maria, Juliana Oliveira, Mariana Nascimento, Liz, Marina, Scott Magrão, Aton, Paula, Guilherme Barreto, Pablo Amaral Rebello, Lise Santana, Rubens Mello, Patrick Paiva, Cecília Ribeiro, Djalma Marquesani, Vinicius J Santos, Maurício Pereira, André Alves, Ramiro Giroldo, Cássio Augusto, Danilo Morales, Rodrigo Huagha, Cleiner Micceno, Tadeu Alves Zvir, Alysson, Fernando Gonini, Ivo Costa, Renato José Galavoti Filho, Lucas Marchetti, Kênia Francine Rodrigues, Maurício, Tati, Vera Carvalho Assumpção, Natália, Paulo Duarte, Janderson, Luiz Fernando Pina Sampaio, Lívia Ventura

Comentários: Sem dúvida, esse terror cavernoso de Neil Marshall é um de seus melhores trabalhos. 16 votos o fez liderar a disputa, seguido por Constantine (11 votos) e A Chave Mestra (7 votos). Mas e o King Kong, de Peter Jackson? Terra dos Mortos, A Casa de Cera, O Exorcismo de Emily Rose, Noiva Cadáver e Wolf Creek – Viagem ao Inferno…não mereciam também um voto? Fiquei com O Albergue, de Eli Roth. Se Jogos Mortais desenvolveu as armadilhas e o conceito do sequestro criativo, O Albergue estabeleceria o subgênero torture porn, com vítimas bonitas com poucas roupas e a inspiração para os sádicos. Eli Roth brinca com o lugar-comum de jovens em ambiente hostil e com a metalinguagem, propondo a questão: quem tem mais sangue nas mãos, aquele que paga para torturar ou o espectador que assiste e se diverte? Também inspirou continuações até mesmo de Jogos Mortais e outras formas de torturas, algumas mais ousadas e gráficas.

2006:
Melhor Filme: O Labirinto do Fauno (El Labirinto del Fauno)
Participaram da votação: Ivo Costa, Natália, Ciro Oliveira, Patty Fang, Jeff, Renato José Galavoti Filho, Gabriel Diniz dos Santos, Denise, Alerson Sousa, Ronaldo Monteiro, Graciela, Morgana, Vinicius J Santos, Ales de Lara, Janderson, Lucas Marchetti, Rogerio Saladino, Ana Victoria, Larissa, Marília, Ruan, Cássio Augusto, Taison Natarelli, Pablo Amaral Rebello, Ramiro Giroldo, Djalma Marquesani, Vinicius Machado, Louise Minski, Vincento Hughes, João Pires, André Botelho, Danilo Morales, André Luiz Brandão Cisi, Gustavo, Marcelo Ferreira, Tadeu Alves Zvir, Marta Souza, Ricardo Gazolla, Allyson, Lívia, Bruna, Analu, Lise Santana, Dai, Guilherme Barreto, Elvis de Melo, Rubens Mello, Aton, Luiz Fernando Pina Sampaio, Juliana Oliveira, Mariana Nascimento

Comentários: Obra-prima de Guillermo del Toro, o filme teve 24 votos, vencendo O Hospedeiro (6 votos) e Viagem Maldita (5 votos). Esse ano teve lugar para os slashers (Presos no Gelo, Terror no Pântano), continuações (O Massacre da Serra Elétrica – O Início, O Grito 2, Jogos Mortais 3, Premonição 3), assombrações (Carta para a Morte, Silk) e monstros gosmentos (Seres Rastejantes), entre outros. Concordo com a escolha da maioria, pelo paradoxo entre fantasia e realidade, entre ingenuidade e amadurecimento. A garotinha que utiliza da imaginação como válvula de escape de um mundo absolutamente cruel tocou o público e trouxe uma nova linguagem para as fábulas infantis. Repleto de simbolismo e magia, O Labirinto do Fauno é um eterno aprendizado sobre os limites da imaginação, algo que o amadurecimento aos poucos dilui.

2007
Melhor Filme: [REC]
Participaram da votação: João Pires, Diego Scariot, Danilo Morales, Patty Fang, Ivo Costa, Kiko, Dai, Giulia, André Botelho, Nivaldo Neto, Helton, Guilherme Barreto, Luisa, Morgana, Lucas Marchetti, Renato José Galavoti Filho, Yasmine Evaristo, Douglas Luiz, Louise Minski, Marina Maria, Marilia, Daniel Medeiros, Scott Magrão, Marta Souza, Bruna, Arthur Kenji, Elaine Dias, Pablo Amaral Rebello, Diego, Ricardo Gazolla, Gustavo Basso, Dylan, Graciela Paciência da Silva, Nayane Maciel, Marcelo Ferreira, Vincento Hughes, Ronaldo Monteiro, Lis, Rubens Mello, Gabriel Diniz dos Santos, Ales de Lara, Rodrigo Huagha, Jeff, Djalma Marquesani, Rogerio Saladino, Marisa, Analu, Ciro Guimarães, Taison Natarelli, Natália Malini, Patrick Paiva, Tati, Ian, Luan Sampaio, Tadeu Alves Zvir, Denise, Elvis de Melo, Juliana Oliveira, Vera, Cesar, Gabriel Farah, Vera Carvalho Assumpção, Gabriel Haddad

Comentários: Embora o ano de referência seja o mesmo de Atividade Paranormal, o longa de Oren Peli só alcançaria a popularidade em 2009, permitindo o reinado deste horror espanhol como revitalização do found footage, aquele estilo com câmera em primeira pessoa e a descoberta de material em áudio e vídeo, tal qual A Bruxa de Blair (1999) e Cannibal Holocaust (1980). [REC] soube mesclar diversos subgêneros em seu conteúdo, desde zumbis (mais tarde, seriam demônios) à claustrofobia ao mostrar um velho edifício em quarentena depois que uma infecção é liberada no local, transformando seus moradores em pessoas raivosas. Destaque para a maldita Menina Medeiros, que tirou o sono de muita gente na época! [REC] teve 15 votos, seguido por Zodíaco (9 votos) e O Nevoeiro (5 votos). Não se esqueça que nesse ano também tivemos A InvasoraEu Sou a Lenda, Temos Vagas, Gritos Mortais, Extermínio 2, 1408, A Fronteira e até – pasmem! – O Orfanato. Concordam com a escolha?

2008
Melhor Filme: Deixa Ela Entrar (Låt den rätte komma in)
Participaram da votação: Danilo Morales, Ciro Oliveira, Debby, Rogerio Saladino, João Pires, Lucas Marchetti, Denise, André Luiz Brandão Cisi, Daniel Medeiros, Djalma Marquesani, Ricardo Gazolla, Rubens Mello, Vinicius Machado, Cleiner Micceno, Ivo Costa, Louise Minski, Sil Perez, Gabriel Diniz, Ronaldo Monteiro, Marta Souza, César Rocha, Rodrigo Huagha, Marcelo Ferreira, Lívia, Paula, Douglas Luiz, Jeff, Renato José Galavoti Filho, Liz, Marina Maria, Natália, Marília, Lucas Tavares, Yasmine Evaristo, Morgana, Gustavo, André Botelho, Lise Santana, Carlos Eduardo Vilaça de Lima, Ian, Patty Fang, Dylan Granado, Lucas, Guilherme Barreto, Tadeu Alves Zvir, Elvis de Melo, Alerson, Luciano, Kênia Francine Rodrigues, Dai, Nicole, Angélica Aparecida Pereira Maciel, Murilo, Cesar Carrera, Gabriel Farah, Tamires Fialho, Alberto Bauer Sant’anna, Mauricio Rezende Filho, Gabriel Gustavo Haddad, Claudio Basso, Diego

Comentários: Ano de Mártires, Os Estranhos, Cloverfield, O Último Trem, Espelhos do Medo e tantos outros, como a volta de Zé do Caixão com Encarnação do Demônio e até a estreia de Rodrigo Aragão com Mangue Negro. E é este último a minha escolha como melhor filme do ano. Mangue Negro foi um divisor de águas para o cinema independente brasileiro, afastando qualquer conceito de trash comumente associado à produção marginal para um horror de primeira, bem realizado e com crítica social. Foi o ano também de Crepúsculo, que, embora detestável, deu o pontapé para diversas produções de melodrama adolescente, como uma espécie de influência negativa.

Mangue Negro (2008)

2009
Melhor Filme: Arraste-me para o Inferno (Drag me to hell)
Participaram da votação: André Luiz Brandão Cisi, Rubens Mello, Ivo Costa, Lucas Marchetti, Pablo, Vincento Hughes, Cleiner Micceno, João Pires, Ales de Lara, Sil Perez, Vinicius Machado, Diego, Denise, Ciro Oliveira, Danilo Morales, Djalma Marquesani, Ricardo Gazolla, Taison Natarelli, Natália, Debby, Taty, Daniel Medeiros, Jorge Alexandre Moreira, Natália Malini, Rogerio Saladino, Louise Minski, Yasmine Evaristo, Giulia, Marcelo Ferreira, Patty Fang, Rodrigo Huagha, Ronaldo Monteiro, Morgana, Isabella Carrillo Gaeta, Matheus Bomfim e Silva, Jeff, Diego, Kênia Francine Rodrigues, Draccole, Paula, Renato José Galavoti Filho, Fernanda Sobral, Marta, Marilia, Douglas Luiz, Arthur, Gabriel Diniz, Felipe, Daniela Franco, Vitor, Tales, Clerio Lopes Jr., Raissa Signor, Dai, Tadeu Alves Zvir, Elvis de Melo, Johnn Henrique, Marina Maria, Murilo

Comentários: A escolha de 20 pessoas do grupo acima é muito boa. É bem divertido esse filme de Sam Raimi, envolvendo maldição e bruxaria. O segundo mais bem votado é A Centopeia Humana, com 7 votos, e esse é o que eu chamo de “meu malvado favorito“. Apesar da qualidade suspeita, principalmente por envolver temas recorrentes como o do cientista louco, A Centopeia Humana resgatou o exploitation, aqueles filmes que eram feitos antigamente com a intenção apenas de criar polêmica, atrair pelos excessos e absurdos (depois viriam Kill List e A Serbian Film). O enredo das jovens que são aprisionadas por um médico louco que decide ligá-las através do sistema digestório realmente atraiu muitos espectadores pela simplesmente possibilidade de falar mal. Mas poderiam votar em A Órfã, A Última Casa, Zumbilândia, os remakes Sexta-Feira 13 e Dia dos Namorados Macabro, Avatar, Contatos de 4º Grau e tantos outros.

2010
Melhor Filme: Cisne Negro (Black Swan)
Participaram da votação: Natália, Diego Scariot, Ciro Oliveira, Úrsula, Vinicius Machado, João Pires Neto, Denise, Daniel Medeiros, Djalma Marquesani, Lucas Marchetti, Diego, Pablo, Rafael, Liz, Vincento Hughes, Louise Minski, Scott Magrão, Danilo Morales, Ivo Costa, Renata Maggessi, André Luiz Brandão Cisi, Morgana, Hilda Lopes Pontes, Paula, Giulia, Jeff, Marina Maria, Marta, Ronaldo Monteiro, Yasmine Evaristo, Bruna, Nayane, Andre Botelho, Arthur Kenji, Clerio, Patrick Paiva, Gabriel Diniz dos Santos, Ian, Neto, Analu, Lis, Sharles Mariano, Isabela, Luísa, Marcelo Ferreira, Grace Kelly Olívio, Tadeu Alves Zvir, Elvis de Melo, Guilherme Barreto

Comentários: 14 votos teve o Cisne Negro, mostrando sua força dentre os fãs de horror. Ilha do Medo e Sobrenatural correm por fora, com 7 votos cada. E é este último que eu apontei como representante de horror de 2010. Um dos nomes mais influentes do gênero desde o início do século, James Wan é sempre associado a produções interessantes. Talvez você encontre boas opções entre os lançados no ano (O Último Exorcismo, A Hora do Pesadelo, Yellowbrickroad, Enterrado Vivo, A Casa, Eu Vi o Diabo…), mas o seu Sobrenatural trouxe de volta, com força total, o subgênero casas assombradas. Ajudado pelo sucesso de Atividade Paranormal, o filme não só despertou um demônio perturbador no encalço de uma família simples, como também relembrou o clássico Poltergeist, com mais qualidade até do que o remake lançado posteriormente. Também foi um ponto positivo a ousadia de apresentar “o outro lado“, conduzindo o protagonista e o público a um passeio aterrorizante entre almas perdidas.

2011
Melhor Filme: A Pele Habito (La Piel que Habito)
Participaram da votação: Vinicius Machado, Ivo Costa, Danilo Morales, Louise Minski, Rogério Saladino, Ciro Oliveira, Djalma Marquesani, Sil Perez, Daniel Medeiros, Lucas Marchetti, Cleiner Micceno, Scott Magrão, Patty Fang, Giulia, Douglas Luiz, Renato José Galavoti Filho, Marília, Morgana, Fernanda Sobral, Lucas Gaspar, Marina Maria, Sharles Mariano, Ronaldo Monteiro, Andre Botelho, Paula, Luís Gustavo, Marta, Jeff, Yasmine Evaristo, Pablo, Gabriel Diniz, Alerson Sousa, Ales de Lara, Lívia, Isabela, Luísa, Bruna, Robson, Denise, Daniela Franco, Ricardo Gazolla, Arthur, Sara, Tati, Neto, Ian, Dai, Graciela Paciência da Silva, Tadeu Alves Zvir, Elvis de Melo, Natália, Guilherme Barreto, Janderson

Comentários: Com 17 votos, o longa de Pedro Almodóvar levou a melhor em 2011. Foi o ano de Premonição 5, Pânico 4, A Casa dos Sonhos, Super 8, Planeta dos Macacos – A Origem entre outros. Depois de [Rec], Balagueró fez uma continuação em 2009, com um novo conceito para os infectados, e, em 2011, apresentou o thriller Enquanto Você Dorme, simples e fantástico que traz um inimigo que simplesmente quer acabar com a felicidade de uma garota por quem se sente atraído. Este juntamente com God Bless America, Killer Joe, The Woman e Kill List formam um pacote de produções que visa a distorção da família, invadindo o porto seguro para perturbar o espectador.

2012
Melhor Filme: O ABC da Morte, Poder Sem Limites, ParaNorman, A Última Casa da Rua
Participaram da votação: Sil Perez, Danilo Morales, André Luiz Brandão Cisi, Úrsula, Louise Minski, Rogério Saladino, Ricardo Gazolla, Auryo Jotha, Vinicius Machado, Lucas Marchetti, Ivo Costa, Cleiner Micceno, Scott Magrão, Djalma Marquesani, Pablo, Daniel Medeiros, Patty Fang, Taison Natarelli, Natália

Comentários: Quatro filmes como melhores do ano? Sim, mas como vocês podem notar acima tivemos uma baixa votação, com apenas 19 participantes. Cada um desses filmes levou apenas 2 votos enquanto V/H/S, A EntidadeA Mulher de Preto, Frankenweenie, Hotel Transilvânia, Grabbers, e outros, receberam apenas 1 voto ou nem foram escolhidos. Por anos, Joss Whedon anunciou um projeto que ele considerava completamente anti-clichê, espalhando cartazes que brincavam com a fórmula do gênero. Em 2012, ele finalmente foi lançado, para a satisfação dos fãs de horror, cumprindo a promessa positivamente. Trata-se de um filme metalinguístico, cheio de referências, realizado por alguém apaixonado pelo cinema fantástico. Pode-se considerar a obra como um divisor do gênero, pois dificilmente um filme envolvendo um grupo de jovens numa cabana na floresta será visto da mesma forma. Qual o meu filme de 2012? O Segredo da Cabana!

2013
Melhor Filme: Invocação do Mal (The Conjuring)
Participaram da votação: Rogerio Saladino, Vincento Hughes, Daniel Medeiros, João Pires, Cleiner Micceno, Lucas Marchetti, Ivo Costa, Patty Fang, Úrsula, Hilda Lopes Pontes, Danilo Morales, Marta, Ronaldo Monteiro, Rodrigo Huagha, Gustavo, Marilia, Lise Santana, Ricardo Gazolla, Nayane, Giulia, Patrick Paiva, André Botelho, Gabriel Diniz, Vinicius Machado, Natália, Clerio, Jeff, Fernanda Sobral, Tadeu Alves Zvir, Marina Maria, Marcelo Ferreira, Ciro Oliveira, Yasmine Evaristo, Morgana, Djalma Marquesani, Diego, Neto, Natália Malini, Paula, Lívia, Arthur Kenji, Louise Minski, Scott Magrão, Dai, Pablo, Alerson, Dylan, Tati, Sara Zerbinati, Cesar Carrera, Ales de Lara, Gabriel, Gabriel Haddad, Tamires, Alberto Antunes Filho, Mauricio Rezende, Claudio

Comentários: É sem dúvida o ano de Invocação do Mal. Tivemos outros filmes interessantes no ano como Sinistro, Uma Noite de Crime, A Colônia, A Morte do Demônio, Somos o que Somos, Expresso do Amanhã, Elysium e Círculo de Fogo. Contudo, se o próprio James Wan trouxe sangue novo para o subgênero das casas assombradas com Sobrenatural, coube a ele a realização de um dos melhores exemplares do novo século. E pensar que anos depois ele faria o sucesso Velozes e Furiosos 7. Aqui ele apresentou a boneca Annabelle – que depois ganharia seu próprio filme – e contou um pouco das aventuras macabras dos Warren. Uma família às voltas com forças sobrenaturais pode não ser novidade, mas a ideia de ambientá-la na década de 70, dialogando com O Bebê de Rosemary, e a homenagem ao clássico Os Inocentes tornam esse longa uma produção diferente e essencial!

2014
Melhor Filme: O Que Fazemos nas Sombras e Interestelar
Participaram da votação: Helton, Natália, Tati, Rogerio Saladino, Djalma Marquesani, Ivandro Godoy, Danilo Morales, Taison Natarelli, Pablo, Debby, Auryo Jotha, Daniel Medeiros, Vinicius Machado, Lucas Marchetti, Ales de Lara, Úrsula, Janderson, Ivo Costa, Denise, Patty Fang, Renato José Galavoti Filho, Jeff, Aton, Juliana Oliveira, Marília, Rubens Mello, Douglas Luiz, Sil Perez, Rodrigo Huagha, Marina Maria, Gabriel Diniz dos Santos, uilherme Barreto, Ronaldo Monteiro, Yasmine Evaristo, Patricia, Marcelo Ferreira, Morgana, Dai, Pedro, Fernanda Sobral, Marta, Sharles Mariano, Cleiner Micceno, Giulia, Lanusse, Bruna, Clerio

Comentários: Considerado aterrorizante pelo diretor de O Exorcista, William Friedkin, The Babadook foi conquistando o público aos poucos, exibindo a conta-gotas suas mensagens implícitas e seu simbolismo, tornando uma simples história de bicho-papão numa metáfora para o autismo ao mostrar uma mãe imersa no mundo particular de seu pequeno. Muitos não entenderam sua proposta e viram-no apenas como um horror comum, com efeitos risíveis e poucos sustos. Seu conteúdo se amplia a cada reflexão, a cada discussão, permitindo que um novo olhar ganhe força com o tempo. Se será um novo clássico, só o tempo dirá. Além de The Babadook, 2014 lançou Last Shift, The Houses October Built, Creep, Boa Noite, Mamãe, Late Phases, Godzilla.

2015
Melhor Filme: A Bruxa (The Witch)
Participaram da votação: Ciro Oliveira, Patty Fang, Gabriel Diniz, Danilo Morales, Sil Perez, Marília, Jeff, Lise Santana, Marta, Úrsula, Ricardo Gazolla, Pablo, Rogerio Saladino, Dai, Marcelo Ferreira, Douglas Luiz, Helton, Rodrigo Huagha, Cleiner Micceno, Andre botelho, Denise=, Marina Maria, Lucas Marchetti, Yasmine Evaristo, Nayane, Daniel Medeiros, Morgana, Guilherme Barreto, Arthur Kenji, Neto, Vinicius Machado, Luciano, Debby, Natália, Taison Natarelli, Ronaldo Monteiro, Bruna, Clerio, Ian, Tadeu Alves Zvir, Alerson Sousa, Rubens Mello, Ivo Costa, Giovanna Rubbo

Comentários: Não foi difícil escolher A Bruxa como melhor filme para os 44 votantes (o filme recebeu 29 votos), superando A Visita, Sala Verde, JeruZalem, o remake de Mártires e vários outros. O longa de Robert Eggers é um dos melhores do novo milênio, com um enredo folk horror, com elementos de bruxaria, uma floresta sombria e claustrofóbica em uma atmosfera apavorante. E o filme apresentou uma bruxa assustadora, que não poupa um bebê de fazer parte de seu prato principal. Filmaço!

2016
Melhor Filme: Invasão Zumbi, Fragmentado, Rua Cloverfield 10 e Raw
Participaram da votação: Taison Natarelli, Pablo, Sil Perez, Vinicius Machado, Rogerio Saladino, Jorge Alexandre Moreira, Debby, Ciro Oliveira, Djalma Marquesani, Cleiner Micceno, Louise Minski, Ricardo Gazolla, Vincento Hughes, Scott Magrão, Natália, Lucas Marchetti, Natália Malini, Daniel Medeiros, Denise

Comentários: Mais uma votação que teve baixa adesão dos fãs do gênero, apontando quatro produções como as melhores, cada uma com três votos. Além deles, quem assistiu aos lançamentos de 2016, deve ter visto O Lamento, Dark Song, Demônio de Neon, o premiado A Chegada, O Homem nas Trevas, Invocação do Mal 2Fragmentado, novamente com Anya Taylor-Joy como protagonista, é um dos que mais me chamaram a atençaõ nesse ano. Uma trama criativa de M. Night Shyamalan, que além de deixar o espectador tenso, propõe discussões sobre personalidades, auto-aceitação e traumas. Muito bem dirigido, com a ótima atuação de James McAvoy!

2017
Melhor Filme: Corra! (Get Out!)
Participaram da votação: Felipe, Bruno, Samuel Bryan, João Pires, Rogerio Saladino, Ciro Oliveira, Taison Natarelli, Denise, Sil Perez, Lucas Marchetti, Vinicius Machado, Diego, Daniel Medeiros, Ivo Costa, Djalma Marquesani, Louise Minski, Scott Magrão, Vincento Hughes, Ales de Lara, Natalia, Helton, Rubens Mello, Cleiner Micceno, Tati, Ronaldo Monteiro, Rodrigo Huagha, Jeff, Tadeu Alves Zvir, Marta, Marilia, Gabriel Diniz, Guilherme André, Matheus Vianna, Cristiano Carneiro, Yasmine Evaristo, Nayane Maciel, Renan Vieira, Arthur Kenji, Pedro, João Pedro Florêncio, Anselmo, Marina Maria, Bibiana, Douglas Luiz, Marcelo Ferreira, André Botelho, Mariana Rizzuto Do Nascimento, Lucas, Anthony, Victor, Morgana, Jeanne Silveira, Caio, Lis, Daniela Franco, Danilo Morales, Matheus, Antonella, leonardo, Murilo, Angélica Aparecida Pereira Maciel, Lucas Marques

Comentários: Muitos filmes bons passaram pelos cinemas em 2017: It – A Coisa, o premiado A Forma da Água, Blade Runner 2049, Assassinato no Expresso do Oriente, As Boas Maneiras, Mãe, A Morte te dá Parabéns, O Bar…mas Corra! levou a melhor com 20 votos dentre os 66 participantes. E realmente é o meu preferido! Foi o filme que apresentou o talento na direção e nos ótimos roteiros de Jordan Peele, apresentando um rapaz indo conhecer a família de uma moça, como muito acontece por aí. Mas, Peele explora preconceito e racismo, sem deixar de lado um horror com elementos de magia negra. Lembra sutilmente o excelente A Chave Mestra, mas com personalidade própria.

2018
Melhor Filme: Hereditário (Hereditary)
Participaram da votação: Helton, Lucas Marchetti, Úrsula, Vinicius Machado, Marcelo Ferreira, Ales de Lara, Bruna, Marina Maria, Ivandro Godoy, Jussara, Cleiner Micceno, Marta, Ian, Danilo Morales, Auryo Jotha, Patrick, Andre Botelho, Marilia, Djalma Marquesani, Sharles Mariano, Neto, Caio, Sharles Mariano, Tati, Yasmine Evaristo, Jeff, Denise, Natália Malini, Daniel Medeiros, Tadeu Alves Zvir, Pablo, Lucas Silva Felix, Rubens Mello, Ivo Costa, Natália, Arthur Kenji, Louise Minski, Tavares, João Pires, Dai, Vincento Hughes, Patty Fang, Clerio, Arthur, Ricardo Gazolla, Gabriel Diniz dos Santos, Joffre

Comentários: Com 24 votos, dentre os 46 participantes da votação, Hereditário é “a bruxa” de Ari Aster. Faz parte do estilo que passou a ser chamado de pós-horror, indo além de jumpscares para misturar gêneros, numa linguagem lenta e metafórica. Bruxaria como nunca vista, com sequências sangrentas e ousadas, o filme ainda terminou como um frame assustador, um quadro sublime e aterrorizante! Os demais – A Casa que Jack Construiu, O Que Nos Mantêm Vivos, Terror Extremo, Suspiria, o brasileiro A Mata Negra, Halloween, O Predador….ficaram a ver navios.

2019
Melhor Filme: Midsommar – O Mal Não Espera a Noite (Midsommar)
Participaram da votação: Clerio, Lucas Marchetti, Helton, Ciro Oliveira, Úrsula, Marcelo Ferreira, Taison Natarelli, Bruna, Tavares, Jussara, Dai, João Pires, Morgana, João Pires, Vincento Hughes, Tadeu Alves Zvir, Marília, Samuel Bryan, Patty Fang, Carlos Eduardo Vilaça de Lima, Alex, Gabriel Diniz dos Santos, Rubens Mello, Denise, Ricardo Gazolla, Yasmine Evaristo, Lise Santana, Pablo, Cleiner Micceno, Ivo Costa, Lucas, Daniel Medeiros, Renato José Galavoti Filho, Natália, Analu, Lis, Tati, Neto, Danilo Morales, Nayane, Marta, Auryo Jotha, Vinicius Machado, Caio, André Botelho, Douglas Luiz

Comentários:Justo“, você poderia logo pensar com a vitória de Midsommar como a melhor opção de 2019. Mas o ano foi além! Tivemos nos cinemas o brasileiro Bacurau, o divertido A Hora da Sua Morte, a volta de Robert Eggers com O Farol, It – Capítulo 2, O Bar Luva Dourada, a refilmagem de Cemitério Maldito, Vidro, Maligno, A Morte te Dá Parabéns 2, sem falar em Nós, de Jordan Peele. E este último é a minha escolha para destaque de 2019. Gosto bastante dos aspectos religiosos e simbólicos de Midsommar, mas Nós também traz uma reflexão interessante, camuflada por um terror apocalíptico.

2020
Melhor Filme: O Homem Invisível (The Invisible Man)
Participaram da votação: Jeff, Ivo Costa, Yasmine Evaristo, Denise, Neto, Ricardo Gazolla, Marina, Analu, Clério, Gabriel Diniz dos Santos, Marina Maria, Natália, Djalma Marquesani, Rodrigo Huagha, Dai, Louise Minski, Ronaldo Monteiro, Arthur Kenji, Lucas Marchetti, Rogério Saladino, Vinicius Machado, Marília, Diego Betioli, Morgana, Tati, Cleiner Micceno, Patty Fang, Caio, Douglas Luiz, Rubens Mello, Marcelo Ferreira, Ciro Oliveira, Úrsula, Dayane, Ian, Karol, Pablo, Renato José Galavoti Filho, Marta

Comentários: Dos 39 que votaram na enquete sobre o melhor filme de 2020, 7 apostaram em O Homem Invisível! O Cemitério das Almas Perdidas e Possessor vêm logo em seguida, com cinco e três votos respectivamente. Várias outras produções receberam dois votos mostrando a dificuldade na escolha: Bela Vingança, Caveat, A Casa Sombria, Post Mortem, Fuja, A Caçada, Freaky, Anything for Jackson, O Que Ficou para Trás, O Diabo de Cada Dia e até Um Lugar Silencioso – Parte II foram escolhas dos infernautas. Dentre todos, mais uma vez Rodrigo Aragão sobe no meu pódio particular. O Cemitério das Almas Perdidas é mais uma super produção de horror brasileiro, com excelentes efeitos especiais e um enredo que mistura vários elementos do estilo, incluindo zumbis. Muito bom!

2021
Melhor Filme: A Lenda do Cavaleiro Verde (The Green Knight)
Participaram da votação: Djalma Marquesani, Marcelo Ferreira, Alberto Antunes Filho, Louise Minski, Dai, Douglas Luiz, Sil Perez, Danilo Morales, Dylan, Rodrigo Huagha, Rubens Mello, Pablo, Gabriel, Ricardo Gazolla, Morgana, Cesar, Auryo Jotha, Jeff, Neto, Carla, Claudionor, Rogerio Saladino, Patty Fang, Diego Betioli, João Pires, Patrick Paiva, Samuel, Caio, Marilia, Mauricio, Ivo Costa, Andre Botelho, Vinicius Machado, Lucas Marchetti, Denise, Gustavo, Euller Felix, Marina Maria, Natália, Vincento Hughes, Marta, Ramiro Giroldo, Paula, Yasmine Evaristo, Sharles Mariano, Gabriel Diniz dos Santos, Daniel Medeiros, Gabriel Haddad, Tamires Fialho, Bruna

Comentários: Algumas participantes dessa enquete confundiram Barbarians com Barbarian, lançado por aqui em 2022 como Noites Brutais. Assim deixaram de dar seu voto para a trilogia Rua do Medo, Duna – Parte 1, What Josiah Saw, Horror in High Desert, The Innocents, Titane, Gaia, The Medium e vários outros filmes de 2021. O meu preferido foi tema de artigo no Boca do Inferno em um caso de amor à primeira vista: a jornada proposta em A Lenda do Cavaleiro Verde, com suas assombrações e bons efeitos, além da metáfora envolvida, é simplesmente magnífica. Todos os mencionados aqui valem pelo menos a diversão ou reflexão, enquanto para o Cavaleiro Verde vale a reverência.

2022
Melhor Filme: Não! Não Olhe (Nope)
Participaram da votação: Felipe, Gustavo, Joann, Patty Fang, Paulo, Renato, Raul, Diego Betioli, Victor, Manuela, Viana, Analu, Diogo Felicciano, Fernanda, Neto, Nayane, Jussara Félix, Jeff, Lana, Auryo Jotha, Carla, Bruno Henrique, Janderson, Ronaldo Monteiro, Pablo, Clerio, Vincento Hughes, Gica, Úrsula, Denise, Lívia, Bruno, Wellington Henrique Dias, Lucas Marques, Gabriel Diniz dos Santos, Damares, Sil Perez, Caio, Dylan, Pedro Roveroni, Tiago, João Pedro Florêncio, Fábio, Lucas Marchetti, Silas Bezerra, Marcelo, Cesar Carrera, Junior, Desiree, Pedro, André, Djalma Marquesani, Marcelo Ferreira, Doutor House, Fernando Figueiredo, Gabriel M., Louise Minski, Dai, Maria, Douglas Luiz, Daniel Medeiros, Israel, Drégus de Oliveira, Luana, André Alves, Rogerio Saladino, Bruna, Renato José Galavoti Filho, Jessika, Marta, Cristian da Silva, Lucas Medeiros, Henrique Fenzke, André Botelho, Cauã, Yasmine Evaristo, Cleiner Micceno, Ricardo Gazolla, Tati, Morgana, Raphael Rodrigues, João Victor Farías, Vinicius Alves, Danilo Morales, Vinicius Machado, Rodrigo Huagha, Ivandro Godoy, Daniel, Ewerton, Ivo Costa, Rubens Mello, Lila, Jerônimo

Comentários: Dos 96 que participaram da enquete, 30 escolheram essa produção de Jordan Peele. E foi a que eu menos curti em sua filmografia. É um filme ok, mas que não me cativou como eu esperava – ora, escolhi dois filmes do diretor entre os melhores do século! Mas como pensar nesta produção tendo na lista o estranho Pearl? Produção de várias camadas, o longa de Ti West é divertidamente estranho, tendo Mia Goth em um de seus melhores papéis. Foi o ano também de Até os Ossos, X – A Marca da Morte, do surpreendente Fale Comigo, do chatão (peço desculpa aos fãs) Skinamarink: Canção de Ninar, M3gan, do polêmico Soft & Quiet, Avatar 2, Noites Brutais (agora, sim), Terrifier 2 e até Hellraiser. Porém, fico com a estranhice simpática de Pearl.

2023
Melhor Filme: O Mal que nos Habita (When Evil Lurks)
Participaram da votação: Gabriel, Cesar Carrera, Renato José Galavoti Filho, Jeff, Gabriel Diniz dos Santos, Pablo, Natália, Rubens Mello, Cleiner Micceno, Jeronimo, Daniel Medeiros, Caio, Marília, Tati, Daniela Franco, Vera Carvalho Assumpção, Marcelo Ferreira, Murilo, Amanda Reznor, Taison Natarelli, Alberto, Rogerio Saladino, Ales de Lara, Morgana, Ivandro Godoy, Maurício, Louise Minski, Ricardo Gazolla, Claudio, Ronaldo Monteiro, Xochipilli, Denise, Mayk, Fábio, Flávio Carnielli, Dylan, Ivo Costa, Jussara Félix, Danilo Morales, Neto, Andre Botelho, Douglas Luiz, Samuel, Tamires Fialho, Marta, Yasmine Evaristo, Ciro Oliveira, Bruna, Gabriel Haddad, Djalma Marquesani, Lucas Marchetti, Angélica, Patty Fang, Bryan Bauch, Marina Maria, Raphael, João Pires, Gustavo, Paula, Sil Perez

Comentários: O longa argentino teve 17 votos, superando Batem à Porta (12 votos) e Godzilla Minus One (7 votos). Embora eu tenha achado O Mal que nos Habita bastante criativo e bem feito, minha escolha é para o lagarto gigante no primeiro longa japonês com a criatura que tive o prazer de ver nos cinemas! Focando no lado humano, mas deixar de destruir cidades e criar heróis, o filme me empolgou tanto que senti vontade de vê-lo duas vezes na tela grande, algo que não me acontecia desde A Bruxa. Godzilla enfrentou Birth/Rebirth, Beau tem Medo, O Mundo Depois de Nós, Feriado Sangrento, O Jogo da Invocação, Five Nights at Freddy’s – O Pesadelo Sem Fim, V/H/S/85 e tantos outros e alcançou o primeiro lugar dentre as minhas preferências! E das suas?

Que venham mais 23 anos de Boca do Inferno!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.9 / 5. Número de votos: 14

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Avatar photo

Marcelo Milici

Professor e crítico de cinema há vinte anos, fundou o site Boca do Inferno, uma das principais referências do gênero fantástico no Brasil. Foi colunista do site Omelete, articulista da revista Amazing e jurado dos festivais Cinefantasy, Espantomania, SP Terror e do sarau da Casa das Rosas. Possui publicações em diversas antologias como “Terra Morta”, Arquivos do Mal”, “Galáxias Ocultas”, “A Hora Morta” e “Insanidade”, além de composições poéticas no livro “A Sociedade dos Poetas Vivos”. É um dos autores da enciclopédia “Medo de Palhaço”, lançado pela editora Évora.

2 thoughts on “23 Anos de Boca do Inferno: Os Melhores Filmes que Acompanharam o Site

  • 15/05/2024 em 22:34
    Permalink

    Concordo com quase todos os favoritos de cada ano, menos talvez Midsommar (filme ok apenas) e principalmente Não! Não Olhe (mais votado do que Pearl, X, Fale Comigo, Hellraiser e Terrifier 2? SÉRIO?)

    Resposta
  • 10/05/2024 em 22:37
    Permalink

    Parabéns pelos 23 anos! E pelos excelentes filmes listados. Longa vida ao “Boca do Inferno”.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *