Os Inocentes (1961)

Os Inocentes (1961) (1)

Os Inocentes
Original:The Innocents
Ano:1961•País:EUA, UK
Direção:Jack Clayton
Roteiro:Henry James, John Mortimer, William Archibald, Truman Capote
Produção:Jack Clayton
Elenco:Deborah Kerr, Peter Wyngarde, Megs Jenkins, Michael Redgrave, Martin Stephens, Pamela Franklin, Clytie Jessop, Isla Cameron

A década de 60 foi muito interessante para o cinema de horror,  marcada por vários clássicos absolutos, que são referências e sempre encabeçam listas de “melhores e mais assustadores“: O Bebê de Rosemary (1968), de Roman Polansky, Psicose (1960) e Os Pássaros (1963) de Hitchcock, A Noite dos Mortos-Vivos (1968), de George A. Romero…estão entre os mais famosos do gênero. Tirando o filme do Romero, os outros citados traziam um terror psicológico, que chocam muito mais pelo que sugerem do que mostram. Os Inocentes trabalha esse tangente do terror ao narrar a história de uma jovem governanta que acredita que a casa onde trabalha está assombrada, e que duas crianças podem ser vítimas das entidades.

Dirigido pelo jovem Jack Clayton (na época com 30 anos), Os Inocentes é uma adaptação do livro A Volta do Parafuso (1898), do escritor americano Henry James. A trama se passa ao redor de Miss Giddens (Deborah Kerr), contratada como governanta de uma mansão para principalmente cuidar dos órfãos Flora (Pamela Franklin) e Miles (Martin Stephens). Ao chegar à casa, a governanta passa a ver aparições de antigos empregados, que ela acredita que estão influenciando as crianças. Miss Giddens começa então a tentar descobrir qual a relação que os falecidos empregados tinham com as crianças, e o motivo da morte de ambos. O ambiente soturno da enorme mansão, com seus intermináveis corredores, criam várias situações de tensão enquanto a governanta caminha segurando seu candelabro. O diretor cria uma ambiguidade entre o sobrenatural e a insanidade da protagonista, gerando muitas dicussões. Há quem defenda que tudo o que acontece não passa de uma loucura da governanta; outros que realmente existe a presença dos fantasmas na mansão.

Os Inocentes (1961) (4)

O filme tem vários nomes conhecidos em sua equipe. A fotografia estupenda em p&b fica a cargo do talentoso Freddie Francis, vencedor de vários prêmios, inclusive dois Oscars por Filhos e Amantes (1960) e Tempo de Glória (1989). Ele é conhecido também por outros trabalhos sensacionais como O Homem Elefante (1980) e Cabo do Medo (1991) do Scorcese. O roteiro ficou a cargo de Willian Archibald, que trabalhou com Hitchcock em A Tortura do Silêncio e com o famoso escritor Truman Capote, do famoso A Sangue Frio.

No elenco o destaque fica para o trio principal: Deborah Kerr trabalha muito bem a questão da ambiguidade do tema e retrata uma mulher que, mesmo fragilizada, tem coragem ao tentar livrar as crianças do mal que ela acredita estar influenciando-as. Pamela Franklin, que veio a trabalhar com o diretor novamente no belo Our Mother’s House, é uma criança linda e elegante, com olhares expressivos e inocentes. Já Martin Stephens cria um personagem com personalidade forte e arrogante, além de se mostrar um pequeno galanteador.

Os Inocentes (1961)

Os Inocentes se tornou um clássico do gênero e ainda é uma grande referência. Os Outros (2001), por exemplo, bebe na fonte e não nega a influência. Houve um prequel em 1971 – Os que chegam com a Noite, dirigido por Michael Winner e estrelado por Marlon Brando – onde mostram os acontecimentos que levaram a morte do caseiro Peter Quint e da Sra. Jessel. Os Inocentes é um filme que tem uma bela estética, elegante, soturna, além de uma atmosfera assustadora, resultando num trabalho primoroso, que não envelhece com o tempo e sempre será um excelente exemplar do gênero.

(Visited 148 times, 1 visits today)
Ivo Costa

Ivo Costa

Estudante de Cinema, fez parte do Juri Popular do Cinefantasy em 2011. Além de crítico do Boca do Inferno, atua como diretor e roteirista de curtas-metragens.

3 comentários em “Os Inocentes (1961)

  • 29/09/2014 em 14:36
    Permalink

    Eu li o livro e adorei, mas ainda não tive paciência pra ver o filme. Esse, eu gostaria de ver um Remake. (Não me crucifiquem)

    Deixo aqui meu Blog para os amantes de filmes de Terror
    Você encontra esse e outros filmes pra baixar em:

    http://bautrash.blogspot.com.br/

    Resposta
  • 31/01/2014 em 23:01
    Permalink

    não me assustei com esse filme,e o acho superestimado,me desculpem.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien